Pós-Jogo: A confusa estreia do Flamengo no Carioquinha 2015







Foi um jogo confuso. Se fora de campo começou com confusão e invasão de vestiário, dentro de campo, após um bom inicio, o time do Flamengo foi confuso. Tão confuso que numa bola confusa saiu o gol dos caras, ainda no primeiro tempo. Para ilustrar a confusão que foi o confuso jogo em Macaé, o gol do Flamengo aconteceu depois de uma confusão na área que o Wallace cruzou para o Alecsandro marcar. Como se não bastasse tanta confusão, esse mesmo Alecsandro terminou o jogo no gol. Confuso, né?

Confusões a parte, está cada vez mais visível a falta que um 'nove' faz ao time do Flamengo. Embora eu saiba que o Luxemburgo quer que esse homem seja o Cirino, a quantidade de bolas cruzadas no primeiro tempo na área e que não teve complemento faz essa necessidade aumentar. Do que adianta ter laterais que apoiam, pontas que cruzam na área se não tem ninguém para completar a bola?

O Flamengo começou bem o jogo e antes do primeiro minuto, o Arthur Maia perdeu um gol inacreditável.  A pressão que o Flamengo fazia na saída de bola do Macaé mostrava que a qualquer momento poderia sair o gol. O problema é que não há time no mundo que consiga fazer essa marcação o tempo todo e, conforme o tempo ia passando e o gol não saía, o Macaé começava a gostar do jogo. Léo Moura se machucou, Pará entrou e numa jogada pela esquerda do ataque deles, uma bola cruzada e um escorregão do Samir facilitou a vida do Pipico, atacante do Macaé, que fez o primeiro gol do jogo.

Como o gol foi no fim do primeiro tempo, o Flamengo voltou com o Alecsandro no lugar do Nixon, segunda substituição no jogo. Não demorou nem 15 minutos para que um atacante de ofício, de área marcasse o gol de empate. Depois de um cruzamento do Wallace numa bola rebatida na área, o Alecsandro fez de cabeça o gol de empate.


A última substituição do Flamengo foi a entrada de Márcio Araújo, que melhorou a saída de bola no Flamengo. O time crescia no jogo, quando numa bola cruzada na defesa, o goleiro Paulo Victor se chocou com um jogador do Macaé e teve que deixar o campo


Paulo Victor saiu de campo, mas o goleiro César, o reserva não pôde entrar porque o Flamengo já tinha feito as três substituições. Sobrou para o atacante Alecsandro, que vestiu a camisa do César, a luva do Paulo Victor e foi ser o goleiro nos 16 minutos finais do jogo. A partir dai o Flamengo perdeu chances de matar o jogo no contra-ataque e se favoreceu da falta de ímpeto do Macaé que não chutou ma bola sequer ao gol do Flamengo com o Alecsandro como goleiro.

O resultado final do jogo foi o empate por 1 a 1. Um resultado que não foi ruim pelas circunstâncias do jogo. Porém, a atuação do time não me agradou, principalmente pela falta de ímpeto do ataque. Entendo que haja uma adaptação para o novo esquema e é preciso mesmo fixar em jogo, com os mais diferentes adversários. Torço para que isso aconteça logo, talvez contra o Barra Mansa, nosso próximo adversário no Carioquinha 2015.

Saudações!

PS.: Coisa linda a torcida do Flamengo em Macaé, hein! 



Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.