Uma vitória para comemorar!




Se tem uma coisa que aprendi a comemorar são as vitórias do Flamengo. Quando é na Libertadores, na casa do adversário, com o gol da virada sendo um golaço e com uma boa atuação de vários jogadores, é até complicado falar dos mesmos erros de sempre.

Ainda bem que, no Flamengo, para cada erro do Gustavo Henrique, temos um gol do Gabigol. Para cada bobeada da defesa, temos um gol do Arão. E para cada atuação ruim do Everton Ribeiro, tem Arrascaeta decidindo. Isso sem falar na atuação sem passe errado do Gerson e da disposição do Diego.

Aliás, pelo jogo de ontem, ficou claro que nem o Diego a 110% consegue suprir as falhas de marcação da entrada da área do Flamengo. Ele e Gerson não conseguem fazer a cobertura dos laterais, preencher os espaços da marcação entre as linhas defensivas. Ou Rogério ajeita a marcação alta e os jogadores saem para marcação sem medo de errar, como era com o Jorge Jesus ou esse espaço e a não cobertura dos laterais continuarão fazendo o Flamengo levar gol todo jogo. O sistema defensivo do Flamengo continua sendo uma mãe para os adversários. 

Aliás, uma coisa que me irrita bem é a marcação alta que o time não consegue fazer com eficiência. Não tem como Bruno Henrique e Gabigol marcar com linha alta e na próxima linha, ter um espaço imenso na marcação porque defensores ficam plantados na intermediária, dando espaço ao ataque adversário. No jogo contra o Velez, aconteceu umas 4 vezes, só no primeiro tempo.

Começar com vitória na Libertadores é um bom início. É pra comemorar! O time não foi 100% mas teve os seus méritos no ataque, o que facilita a vida do técnico e dos próprios jogadores. Na próxima semana tem mais Libertadores. No sábado, tem a decisão da Taça Guanabara, que pode fazer o Flamengo entrar com vantagem nas finais do Carioca. A pergunta da vez é: vamos com os titulares ou com os reservas?



Aquele que conquista!




No início de 2019 eu recebi a melhor notícia que eu poderia receber e não foi a contratação do Bruno Henrique ou do Gabigol. A expectativa de ter um novo membro da família, que veio para trazer amor e nos unir cada vez mais, me trouxe um amor que já conhecia. Mas mal sabia que a chegada do Vicente, que significa  "o que vence", "aquele que conquista", do Gabigol e do Bruno Henrique iria ser um marco para que o Flamengo mudasse o patamar com conquistas de títulos de maneiras inimagináveis. A coisa do "só acontece com o Flamengo" que antes vinha de maneira negativa passou a nos acompanhar em momentos únicos, de vitórias inesquecíveis.

O fato é que o Vicente nunca viu o Flamengo perder um título. Nem quando o adversário teve gol anulado e o jogador isolou a bola na entrada da área no último minuto. Nem quando tudo parecia perdido, dois pênaltis contra numa disputa pra acabar. Nem quando o goleiro pegador de pênalti estava do outro lado. Nem quando o técnico substituiu jogadores possíveis cobradores de penaltis e tivemos que ter o Michael (teve rubro negro ateu nessa hora?) definindo uma disputa. Nem quando o sentimento de "dessa vez não vai dar" já dominava boa parte dos flamenguistas. Não foi dessa vez, Vicente!

A virada na disputa dos pênaltis, com o Flamengo em desvantagem em 2 gols, com goleiro desacreditado fechando o gol, jogador improvável convertendo pênalti é mais uma história flamenga que contarei para o Vicente quando ele crescer e precisar dormir. Não contarei história de bichinho.... Contarei as histórias que esse time me fez viver. Contarei que vi um timaço do Flamengo fazendo história e que não aproveitei como deveria, mas aproveito o máximo que posso.

O Flamengo vem fazendo história e os títulos conquistados não só colocam o nome dos jogadores da história do clube como enchem nosso coração de alegria nesses tempos tão complicados. A gente precisa mesmo de alegria no coração.

É o oitavo título de um pessoal que acredita até o fim. Que não se dá por vencido. Que luta até onde dá. É aquele que conquista!  Que, invariavelmente, traz a alegria de ser rubro negro a tona.

Somos torcedores sendo agraciados por um momento especial do clube. Isso é uma sorte e oportunidade que não é todo torcedor que tem.

Vamos mirar no próximo título, Mengão!


Pré-Jogo: Flamengo x Ceará - Brasileiro 2020



O panorama poderia ser completamente diferente. Incrível como entregamos de bandeja a disputa do Brasileiro de 2020.

Neste domingo, às 16h, o Flamengo jogará contra o Ceará, no Maracanã, na corda bamba. Com 49 pontos, depois de dois vacilos inacreditáveis nos últimos dois jogos, na quarta posição da tabela (foi ultrapassado pelo Inter, do Abelão), o time está a sete pontos do líder São Paulo.

O técnico Rogério luta para diminuir as falhas individuais do time e dar mais consistência ao ataque. Essa história de arame liso precisa acabar! O Flamengo roda, roda, roda mas não consegue converter a sua superioridade na posse de bola em gols. Foi eliminado assim da Libertadores, perdeu um jogo contra o Fluminense. É uma mistura de falta de ímpeto, com preciosismo e falta de sorte que não dá nem pra ter um único motivo da inoperância do time.

A gente precisa torcer não só para o nosso time, mas para o time alheio vacilar. Aliás, eles vacilam, mas o Flamengo vacila junto. Com isso, vai trazendo quem estava abaixo da tabela para a confusão de cima.

O Rogério deve manter o time que começou a partida passada. Não vejo nenhum problema com o time titular, mas não dá para aguentar as substituições depois dos 40 minutos tirando os craques do time para colocar garotos que não conseguem dar dois passes certos.

Vale lembrar que o Ceará venceu o duelo do primeiro turno por 2 a 0, no Castelão, e não perde há quatro jogos fora de casa.

Gabigol, Gerson, Gomes, João Lucas, Renê e Rogério Ceni estão pendurados.

É vencer ou vencer.  O jogo é às 16h, no Maracanã. Vai pra cima deles, Mengoooooo!

Time do Flamengo x Esperança




O time arame liso do Flamengo, que tem uma folha salarial acima de R$ 20 milhões perdeu para um time comandado por Marcão e Airton. Se faltam palavras para falar, de novo, sobre a falta de objetividade e desempenho do time comandado pelo Rogério Ceni, apenas isso bastaria.

Espia a comemoração do Airton no final do jogo, com a vitória consolidada. Espia as substituições que o cara fez, quando o Rogério desmontou a zaga do nosso time, que tá lutando, jogo após jogo, pra se consolidar. Espia a vontade e a disposição, concentração e seriedade que time do Fluminense teve o TEMPO TODO. Espiou? Não é preciso fazer muito, né? O time com a folha salarial de mais de R$ 20 milhões, maior arame liso da história, o time de medalhões que acham os "pica da galáxia" não conseguiu nem garantir um ponto, que seria importante na tabela, quiçá a vitória.

O time do Flamengo brinca de perder oportunidades dentro de campo e, por consequência, na tabela. Sabe o que é pior? Não tem UM culpado. A soma da falta de objetividade e resultados tem tantos tentáculos que nem um polvo daria conta.

O jogo contra o Fluminense escancarou (o do Fortaleza já tinha também, mas a esperança é uma porcaria) que os jogadores já estão de férias, que o técnico não tem domínio sobre o elenco, inclusive pelas substituições que faz, que não há time que resista aos dirigentes oba-oba e que o torcedor é quem sofre. Quem se emputece é o torcedor (e o Arrascaeta).

Temos um próximo jogo contra o Ceará e vamos continuar torcendo pelo Flamengo num campeonato que ele insiste em entregar. A esperança é a última que morre, mesmo o time do Flamengo fazendo força para ultrapassá-la.

Até a próxima!