Pós-Jogo: Obrigada, Corinthians!




http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/e4/ok/vl/e4okvlfse5g8vpbhwcv1znbuj.jpg

Flamengo perdeu mais um no Brasileiro. Desta vez, contra o líder do campeonato, na casa deles. De uma forma que eu tenho que agradecer o Corinthians, por várias coisas.

A marcação que o Flamengo impôs no primeiro tempo ao time líder do campeonato não foi ruim. Marcando com seriedade e salvo as falhas individuais do Jorge e do Cesar Martins, parecia que a marcação estava sob controle mesmo eu tendo a impressão que se o Corinthians acelerasse, faria o gol. Com um toque, eles deixaram 3,4 jogadores do Flamengo perdidos na marcação. Por causa disso vai o meu primeiro agradecimento: obrigada Corinthians por mostrar que o futebol jogado de primeira e com movimentação dos jogadores é muito mais bonito de se ver.

O gol deles, o da vitória, no final do primeiro tempo, esfregou na nossa cara toda a preguiça dos jogadores em campo. Se você não conseguiu enxergar isso, observa o trote do Jorge no gol dos caras. Não foi à toa que o Love apareceu, livre, na cara do Paulo Victor, que facilitou a vida do atacante, pulando como se pula num pênalti: adiantado e previsível. A displicência do Jorge e a bobeira do Paulo Victor custaram o gol que deixou os caras virarem o jogo na frente.

Renato Augusto e Jadson estavam até sendo marcados de forma razoável, sem jogar soltos como imaginávamos quando o Jonas fez a bobagem de levar o segundo cartão amarelo e ser expulso. Aliás, não sei se foi bobagem do Oswaldo de não ter tirado no intervalo, já que o jogador havia levado o cartão amarelo por repetição de faltas no primeiro tempo. Oswaldo não tirou, Jonas bobeou e aos 12 minutos do segundo tempo, o Corinthians ficou com um jogador a mais. Aí vai o meu segundo agradecimento: obrigada por ter tirado o pé e não ter se esforçado para fazer mais gols.

A partir daí o jogo que eu vi foi de um time que, quando se esforçou um pouco mais, chegou na cara do Paulo Victor, que fez algumas defesas. Vi um time com um toque de bola onde os jogadores se deslocam, um treinador exigindo o máximo dos seus jogadores e um Flamengo acuado pedindo para que o jogo acabasse.

Do lado do Flamengo, vi um Jorge displicente, um Guerrero isolado, o Paulinho brincando de esconde esconde e o Everton querendo apostar corrida com a bola o pé. Ah, vi também a volta de um capitão que prefere no último momento do jogo bater uma falta rápido ao esperar o time todo ir para a área e tentar um gol numa jogada aérea.

O jogo de ontem demonstrou, para não é cego e burro, que o presidente do Flamengo está errado ao chamar esse time de Guerreiro, que o técnico no Flamengo é um fanfarrão ao dizer que o time do Flamengo foi bem e que o capitão do Flamengo.... ah, esse eu não vou nem comentar. Obrigada Corinthians por mostrar que as definições de guerreiro do presidente precisão ser mudadas e não dá para passar a mão na cabeça de jogador que não se esforça, que o técnico do Flamengo precisa acordar do mundo de Alice e mudar o time que perdeu 6 dos últimos 7 jogos e que o capitão do Flamengo é uma coisa a ser explicada. Não sei qual é o zagueiro o mundo que prefere cobrar uma falta rápida na lateral do que ir pra área tentar uma jogada aérea no último momento do jogo.

Enquanto o time, o técnico, o presidente vive no mundo paralelo, o nosso próximo desafio é contra o Grêmio, na casa deles. O Flamengo continua com 44 pontos, em décimo lugar na tabela do Brasileiro.

Saudações!

Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.