Os mulambos se superaram!




Fla vence Goiás e está na final da Copa do Brasil (Foto: Cleber Mendes/ LANCE!Press)

"Sabendo que não era impossível, foi lá e fez."

É clichê, pode ser piegas mas isso é Flamengo. Diz aí, mulambo, se você imaginava o Flamengo numa final de Campeonato Nacional em 2013, apontados, como muitos o ano da reconstrução. Diz aí se você imaginava que um time montado com peças desprezadas em outros times, com diretor de futebol escolhendo reserva de Corinthians, buscando jogador caro na Rússia e garimpando no interior paulista iria te fazer sorrir e comemorar tanto.  Se fosse em qualquer outro time, isso era caso do rebaixamento. Mas no Flamengo.... AAAAAAAH FLAMENGO!

Desculpa, mas não há quem segure a comunhão entre Nação e time. Não há quem não jogue quando a camisa 12 do Flamengo entra em campo. Não há quem não se sinta motivado para correr quando aqueles braços se levantam juntos com "somos uma nação, não importa onde estejas, sempre estarei contigo."

O jogo de ontem foi só mais um exemplo disso. Zagueiros que eram da reserva num time que hoje está atrás da gente no Brasileiro, artilheiro que chegou no Flamengo como mais um perna de pau, cabeça de área "esquecido" que consegue parar o craque adversário, laterais que torcedores reclamam que não tem fôlego para jogar, mas são responsáveis pelas melhores jogadas e um magrinho que não sabe chutar (que eu critiquei e muito) que leva a zaga adversária a loucura...  Querem mais o que para, finalmente, acreditar que o Flamengo é especial?

O jogo contra o Goiás, mesmo com eles saindo na frente, nunca saiu do controle do Flamengo. Goiás estava 1x0, torcida empurrando o time para frente e time tocando a bola para encontrar a melhor oportunidade. Recuava a bola para o goleiro se fosse necessário. Nada de desespero. E eu, que há um mês atrás reclamava que esse time era capenga na parte emocional, tenho que bater palmas para quem "recuperou" a confiança desse grupo. Tocando a bola, fazendo um gol de cada vez, viramos o jogo e assim permaneceu até o apito final.

A verdade é que, quando o time vai bem, fica difícil criticar um ou outro jogador. E não é oba-oba, gente. É porque esses caras estão se superando. Eles estão colocando o que uma galera bem pedindo a um bom tempo: o coração na ponta da chuteira. O pique que o Luiz Antonio deu, no fim do jogo, na ponta direita do ataque atrás de uma bola sem pensar, simplesmente, porque está ligado no jogo me faz sorrir e constatar mesmo que o espírito é esse. Assim, é difícil o Flamengo não conseguir o que quer.

Palmas para esse grupo que conseguiu dar a volta por cima, independente qual seja o resultado da final. Para muitos, o "pior time" que o Flamengo já colocou em campo está na final de um campeonato que "muitos melhores" não conseguiram. Para mim, é o time que está me fazendo curtir o Flamengo adoidado e me deixando insuportável. ADORO ISSO!

A última partida da final será disputada no Maracanã, contra o Atlético Paranaense. Quem duvida que os mulambos se superarão mais uma vez?

Saudações!




Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.