A falta do chute de longa distância





Chuva, campo escorregadio, grama. A primeira coisa que eu penso quando começa a chover quando estou vendo um jogo de futebol é que é uma ótima oportunidade para se chutar a distância. Ontem, no jogo contra o Atlético Paranaense choveu de dar gosto. Sabe quantos chutes o Flamengo deu ao gol, a média distância para tentar aproveitar isso tudo que eu falei aí acima?

Pensando nisso, estou aqui tentando lembrar qual foi o último gol que a gente fez fora da área, num chute a média/longa distância, com a bola rolando. Lembrei do chute do Paulinho contra o Corinthians no ano passado no Maracanã, do gol do Amaral na final da Copa do Brasil e deve ter tido outro que não estou me recordando, não é possível.

O fato é que o Flamengo não anda tentando esse chute a longa distância que ontem, por estar chovendo e a defesa do Atlético Paranaense ter se fechado no segundo tempo, poderia ter sido uma alternativa para o Flamengo. O chute de longa distância também é uma forma de abrir a defesa adversária, que avança para a marcação e deixa espaços vazios.

Vamos ver se o Flamengo utiliza esse recurso nos jogos que faltam no Brasileirão e na Copa do Brasil. Pode ser uam arma importante para "furar!" defesas retrancadas.

Saudações!


Comente:



Um comentário:

  1. Isso mesmo, alem disso os jogadores tem que CHUTAR NO GOL e nao NO CANTO DO GOL.
    Tentam acertar sempre o cantinho do gol com isso 70% dos chutes vai pra fora.

    ResponderExcluir

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.