Pós-Jogo: Ensina-me a não me importar com uma derrota Flamengo




A segunda derrota do Flamengo depois de cinco vitórias seguidas no Brasileiro trouxe a dura realidade que, por esses cinco jogos deixei de lado: a capacidade de sentir raiva de uns jogadores no jogo mesmo. Os que muitos chamam de cornetagem, eu chamo de alívio no coração. Tem outra forma de aliviar o coração, depois da ação do Marcelo no gol dos caras, do que um palavrão bem grandão que já já vai estar proibido de falar em estádios em todo o Brasil?

O jogo contra o Goiás começou mostrando a diferença de comportamento entre torcidas do Rio e Off Rio. O apoio e a forma de participação nos jogos são diferentes. E isso parece não ter despertado nos jogadores a atenção que eles deveriam ter com esse jogo. Para mim, perdemos três pontos em casa. Casa que recebeu com um carinho tão grande que merecia os três pontos, mesmo que fosse na marra.

O Flamengo não jogou pelos três pontos. Tirando uma bola do Márcio Araújo no inicio do jogo, uma mini pressão no final do primeiro tempo e os 15, 20 minutos iniciais do segundo tempo, o Flamengo nem sequer ameaçou o goleiro deles, o Renan. Dudu da Silva não deu jeito, Alecsandro parece que passa mais tempo brigando com a vida do que com atenção no jogo, Entendo quando o Luxa fala que os caras mereceram a vitória. Acertaram  uma bola num lance que o Marcelo pareceu um guri de escola saindo atrás de outro que acabou de dar um tapão na cabeça. Espia lá, que coisa mais infantil.

Com os caras fazendo gol aos 25 do segundo tempo, restou para Gabriel, Arthur e Mugni a tarefa de tentar tirar o prejuízo do placar. É nessa hora que a pergunta que está no titulo entra: me ensina a não me importar com uns bagulhos que entram no time do Flamengo e que você não entende o que eles fazem ali?  São Judas Tadeu, ajudai o Mengão nessa!

Para completar a noite ainda teve um bloqueio na área, quase no ultimo lance do jogo que o juiz resolveu que aquilo é bola na mão e não mão na bola. Aliás, uma das maiores idiotices do futebol é essa coisa de bola na mão. Mao e mão e acabou. Futebol, salvo o goleiro dentro da área, é para se jogar com os pés! Mas vida que segue.

Flamengo perdeu os três pontos com resquícios de crueldade, o que deve ter feito a festa do povo que morre de inveja de um time que lota um estádio como lotou ontem a milhares de quilômetros de distância da sua cidade natal. Quantos times conseguem isso?

Continuo mirando a parte de cima da tabela. Mas com a quantidade de time com 25 pontos não posso ignorar a parte debaixo. Como o próximo jogo é contra o Corinthians no Maracanã e tenho certeza que a torcida fará a diferença, meu coração está mais calmo. Até começar o jogo, ele estará mais calmo. Ficaria mais calmo se o Arthur não entrasse como tentativa de reverter placar adverso. Ficaria mais calmo se não tivéssemos apagões em jogadas que resultam em gols dos adversários. Segunda derrota assim, caramba!  Ficaria mais calmo se alguém me ensinasse a não me importar tanto com uma derrota do Flamengo.

Alguém tem um manual ou uma dica?

Saudações!



Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.