No Flamengo, mau planejamento não tem a ver com falta de dinheiro




http://calangos.net/esportes/files/2013/10/flamengo-maracana-torcida.jpg

Embora saia, a cada dia, um novo jogador que o Flamengo esteja interessado, não acredito que chegue jogadores para melhorar demais esse elenco que já está no clube. O Flamengo está asfixiado financeiramente, seja por pagamento a dívidas passadas, pela opção de pagar uma folha paralela de jogadores que não entram em campo e pelo não recebimento de dinheiro de patrocínio pela ausência de CND. Tirando a opção de investidor ou uma grande engenharia financeira (o que me dá calafrios), grandes nomes estão longe do nosso Flamengão.

Embora haja essa asfixia financeira, o Flamengo não tem o elenco que é tão criticado pela torcida por causa disso. Muitos falam de falta de planejamento, falta de plano B para o Elias, mas, na minha opinião, não houve falta de planejamento e sim, de falha de planejamento. Ano passado, Flamengo sofreu com o Digão jogando na lateral direita e chegou até a improvisar Luiz Antonio numa posição que era carente. Em 2014, trouxe o Léo, lateral direito destaque no ano de 2013 no Atlético PR. Assim foi com o Erazo (que jogou a Copa do Mundo), com Everton (que foi destaque no Atlético em 2013). O Alecsandro chegou como campeão da Libertadores e o Elano veio como plano B do Elias. Como não houve planejamento? Agora, pelos resultados que o Flamengo teve em campo, é claro que esse planejamento deu errado e que, pelo que estamos sofrendo, demoraram tempo demais para ver isso. Inclusive um recesso de Copa do Mundo inteira.

A torcida do Flamengo clama por reforço porque o seu elenco, campeão da Copa do Brasil, enfraqueceu. Os destaques daquele time não estão mais nele. Além da saída do Elias, Flamengo sofreu as ausências do Hernane, mais machucado do que nunca, e do Paulinho, que não consegue fazer três partidas seguidas. Sofreu com a péssima fase do André Santos, Amaral, Léo Moura e até do Samir, que apesar de grande futuro, andou vacilando em alguns jogos. Elano, que já foi embora, passou mais tempo no departamento médico do que em campo assim como o lateral Léo Moreira e o próprio Everton, que não consegue jogar futebol.

Poderia falar em azar, mas será que é isso? Não é azar nada. Apostaram em jogadores que não renderam, muitos deles por problemas físicos. Problema físico em um jogador pode até ser azar, mas em 5,6,7 jogadores quase ao mesmo tempo? Aaaah, mas não é azar mesmo. Falar em azar é querer taxar torcedor como otário. E de otário o torcedor apaixonado do Flamengo não tem nada.

Trocas de técnicos e troca de comando no futebol mostram o quanto o planejamento foi falho. Não há certeza do que foi traçado e muda-se tudo (ou quase tudo) por pressão interna e externa. E haja pressão! É pressão de torcedor profissional, de ex-presidente, torcedor corneteiro. Não há como culpar só gestões anteriores por isso. Óbvio que limita mas se houvesse tanta falta de dinheiro, o Flamengo teria comprado André Santos e Everton? Ou será que o dinheiro que tinha foi mal aplicado e agora não se tem da onde tirar?

O fato é que o Flamengo sofre pela falta de verba para reforçar um elenco que agoniza numa competição nacional. Embora não tenha nem elenco nem time para estar na lanterna do campeonato, o técnico que lá está precisa de tempo para arrumar esses jogadores da melhor forma possível. Tempo que é escasso e foi desperdiçado por causa da fraqueza de um planejamento que foi jogado no lixo antes do meio do ano.

O Flamengo não está na última posição do Brasileirão por falta de dinheiro. Parece que, pelas atitudes tomadas de afastamento de técnico e jogadores, saíram dessa fantasia. E sair dessa fantasia é o primeiro passo para conseguir enxergar a tabela sem estar iluminada por uma lanterna.




Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.