O céu está vermelho e preto







Posso ser sincera?  Acho que ouvi falar do Jordan, ex jogador que faleceu, duas vezes na minha vida. E uma delas foi de um amigo mais velho que dizia que um dos caras que mais tinha vestido o Manto era um lateral. Ou seja, nem associei o nome a pessoa.

Eu vi um post no Flamanolos sobre as dificuldades de saúde que o Jordan estava enfrentando, acompanhei a  mobilização de blogueiros que fizeram chegar ao clube essa necessidade que o Jordam tinha e o Flamengo fez o que tinha que ser feito, dando assistência em um momento dificil de um ex-jogador que honrou o Manto. Palmas e que seja sempre assim com jogadores que merecem.


Você acha que o Léo Moura tem identificação com o clube porque irá fazer 7 anos jogando no Fla, mas o Jordan jogou 9 anos. Comparando ainda com o Léo Moura porque é o maior jogador que temos como exemplo de longevidade no Flamengo atual, enquanto Léo Moura completou 375 jogos com o Manto, o Jordan fez 608.

Jordan foi tricampeão carioca pelo Flamengo (53/54/55), participando de todas as partidas no primeiro e no último campeonato. Além disso, vencer também o Torneio Rio-São Paulo de 1961, uma das mais importantes, se não a mais, competições da época. Tiveram outros títulos e além deles, Jordan foi considerado o melhor marcador do Garrincha e o mais leal marcador. Só isso já é um alento ao coração de quem quer menos brucutus no futebol.

Descanse em paz, Jordan. O céu está mais vermelho e preto que nunca!


Comente:



Tecnologia do Blogger.