Destaque RN: Leonardo








Antes de mais nada, tenho que agradecer ao Leonardo. Muitas das minhas idas ao Maracanã com a irmã mais velha quando eu era criança, deve-se ao fato dele sempre ter sido lindo. Logo, a motivação para torcer para o Mengão era maior. Ele e Renato Gaúcho dominavam a preferência da época. Logo, o agradecimento se faz justo e necessário.

Leonardo foi formado nas divisões de base do Flamengo e, em 1987, quando tinha apenas 17 anos, foi lançado no time principal durante a Copa União. Jogando ao lado de velhos ídolos rubro-negros como Zico, Leandro e Andrade, Leonardo juntou-se à nova safra de craques da Gávea, que incluíam nomes como Jorginho, Bebeto e Zinho.

Leonardo deixou o rubro-negro logo após a conquista da Copa do Brasil de 1990, quando transferiu-se para o São Paulo. Sob o comando de Telê Santana, fez parte do chamado Esquadrão tricolor, time campeão brasileiro de 1991, que contava ainda com as presenças de Raí, Cafu e Müller.

Então, no final de 1991, Leonardo fez sua primeira transferência para o futebol europeu, assinando contrato com o Valência. Ficou somente duas temporadas no clube espanhol e retornou ao Brasil, quando, novamente, tornou a vestir a camisa o São Paulo. Esta sua segunda passagem pelo tricolor do Morumbi foi bastante curta, no entanto, durou o suficiente para que acumulasse títulos importantes como o Mundial Interclubes de 1993.

Após a Copa do Mundo de 1994,quando foi expulso após uma cotovelada no jogador Tab Ramos, dos Estados Unidos, Leonardo foi jogar no Japão, na recém-formada J-League. Defendendo o time do Kashima Antlers, Leonardo teve nova oportunidade de atuar ao lado de seu grande ídolo e amigo: Zico. Em 1996, o jogador trocou o Japão pela Europa, desta vez, assinando com o Paris Saint-Germain, da França. Um ano mais tarde, porém, acabou se transferindo para o todo poderoso Milan, aonde permaneceu pelas quatro temporadas seguintes.

http://1.bp.blogspot.com/_dnB_ATFqMlY/S9mUBdyUC-I/AAAAAAAABck/h_2OWa8j1mE/s400/leionardo.jpg

Leonardo deixou o Milan em 2001, retornando ao Brasil para jogar no São Paulo. Contudo, em decorrência de uma série de contusões, o jogador acabou participando de poucos jogos.

Já em fim de carreira, Leonardo acabou se transferindo para o Flamengo, onde teve poucas, mas boas atuações. Permaneceu durante apenas seis meses no clube carioca, atuando apenas pelo Campeonato Carioca. Então, quando surgiram rumores sobre sua possível aposentadoria, o jogador foi convidado a retornar para o Milan. Aceitou o convite e, após disputar uma partida pela Serie A 2002-03, anunciou oficialmente o fim de sua carreira, ao fim da temporada 2002/03

Leonardo tinha uma categoria ímpar na lateral esquerda, tanto que no finzinho da carreira jogou (e bem) no meio de campo dos times que passou.  Abrilhantou a conquista de 1987 com a sua classe e seriedade na ateral esquerda.


Desde 2002, Leonardo passou a trabalhar em diversas funções no Milan, dedicando-se com programas de assistencialismo social na Fundação Gol de Letra e na Fondazione Milan. Entre 2003 e 2009, também ocupou o cargo de dirigente e consultor de mercado do clube italiano, tendo sido o responsável direto pela contratação de Kaká, Pato e Thiago Silva. Na Copa do Mundo de 2006, trabalhou como comentarista esportivo no programa Match of the Day, da rede de tv britânica BBC. Em junho de 2009, Leonardo deixou o cargo de dirigente do Milan e foi anunciado oficialmente como técnico do clube milanês, ficando apenas essa temporada. No dia 24 de dezembro de 2010, foi confirmado como treinador da Internazionale, arquirrival do rubro-negro milanês. No dia 29 de Maio de 2011, Leonardo conquista seu primeiro título como treinador. Ao vencer o Palermo por 3 a 1, a Internazionale fatura seu sétimo título da Copa da Itália. Em junho desse mesmo ano, deixou o cargo de treinador da equipe italiana, para voltar a ser dirigente no Paris Saint-Germain.

Muitos sonham com o Leonardo na presidência do Flamengo, com a experiência que ele adquiriu fora do Brasil. Essas pessoas apostam no seu perfil vencedor e a seriedade que sempre teve como jogador, técnico e dirigente.

Vamos ver se acontece, um dia, quem sabe!

Comente:



Tecnologia do Blogger.