Destaque RN: Zé Carlos, goleiro!








Zé Carlos foi um dos meus maiores ídolos dentro do Flamengo. Coisa de identificação com o jogador, que gostava por ser um goleiro nada esparafatoso, sério e que defendia as cores do Mengão com orgulho. Tanto que, se fosse para fazer uma seleção dos melhor que vi jogar pelo Flamengo, ele estaria no gol, sem sombras de dúvidas.

José Carlos da Costa Araújo, o Zé Carlos (Rio de Janeiro, 7 de fevereiro de 1962 — Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009), foi um futebolista brasileiro, goleiro do Flamengo nas décadas de 80 e 90.



No início de sua carreira, Zé Carlos atuou pelo Americano-RJ e Rio Branco-ES. Entretanto, sua carreira acabou sofrendo uma guinada em 1984, quando o goleiro foi contratado pelo Flamengo. Entre 1986 e 1991, Zé Carlos foi o goleiro titular do Flamengo e, apesar de nunca ter sido uma unanimidade entre os torcedores, sempre se destacou por realizar defesas impossíveis, de puro reflexo e elasticidade.  Durante as eliminatórias da Copa do Mundo de 1990 atuou em duas partidas e, em seguida, foi convocado para disputar aquela Copa, na reserva de Taffarel e Acácio. 

Em 1991, com a chegada de Gilmar, Zé Carlos perde espaço no time do Flamengo e deixa o clube. Após deixar o Flamengo, teve rápida passagem pelo Cruzeiro e, em seguida, transferiu-se para o futebol português, onde defendeu o Vitória de Guimarães, o Farense, o Felgueiras e o FC Pedras Rubras.

No retorno ao Brasil, em maio de 1996, voltou a atuar pelo Flamengo. No entanto, pouco mais de um ano depois e a falha na final do torneio Rio-São Paulo de 1997, deixou a Gávea pela última vez e foi defender o Vitória. No Vitória participou das vitoriosas campanhas do Campeonato Baiano e da Campeonato do Nordeste. Antes de sair do Flamengo, Zé Carlos foi o segundo goleiro da história do clube a marcar um gol, em cobrança de pênalti.

Antes de encerrar a carreira, Zé Carlos ainda jogou pelo XV de Piracicaba, América-RJ e Tubarão-SC.

No dia 24 de julho de 2009, Zé Carlos morreu devido a um câncer no abdômen. Foi sepultado no Cemitério São João Batista no dia seguinte.

Dentre várias homenagens, dois dias depois da morte de Zé Carlos, o amigo e companheiro de equipe no Flamengo e na Seleção Brasileira Andrade, estando interinamente no comando do Flamengo, dedicou ainda em campo e emocionado a primeira vitória do clube sobre o Santos em jogos oficiais dentro da Vila Belmiro ao falecido companheiro. Também foi homenageado pelo goleiro Bruno, que usou uma camisa com seu nome no dia do título de hexacampeão brasileiro do Flamengo.




Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.