O que tenho pra hoje é SAUDADE!

Para descrever o ano de 2020, poderia focar nos três títulos que ganhamos no ano ou nos vacilos inacreditáveis que tivemos após o recesso da pandemia. 

Aliás, ninguém  me tira da cabeça que a pandemia causada pelo Covid 19 afetou demais a condição física dos nossos jogadores (embora não possa provar, tenho fé que sairão estudos comprovando que o virus afetou o desempenho fisiologico dos atletas). 

Porém, não há nenhuma palavra que descreva mais o Flamengo de 2020 do que "saudade". 

Tem torcedor que tem saudade do time de 19. Da disposição de 19. Do desempenho de algum jogador especifico. 

Eu tenho saudade de ver o Flamengo de perto. Do calor do Maracanã. Do meu apoio. Da minha voz,  unida a milhares, que empurra o time pra frente. Da minha certeza. Do meu amor. Da minha vida.

O que tenho pra hoje é SAUDADE. Saudade do que vivi e quero viver de novo. Saudade de cantar ao mundo inteiro, a alegria de ser rubro negra! Mesmo com essa saudade, conte comigo, Mengão. Estarei sempre contigo!  

Feliz 2021, meus amigos queridos Que  seja o melhor ano de nossas vidas!

O que eu espero do Rogério Ceni no Flamengo?




Rogério Ceni foi anunciado como novo técnico do Flamengo, no lugar do Domenec. Sabe o que eu espero do Ceni? Nesse primeiro momento, que acerte a defesa e que não coloque o Bruno Henrique para marcar lateral na defesa.

Nem adianta negar o meu ranço com o cara. Afinal, o nome desse blog é referente a um assunto que ele jogou confete para a torcida do São Paulo em vários momentos. Não vou entrar no mérito do que  acho dele porque nem cabe nesse texto.

Mas ele realmente tem uma oportunidade de ouro de dar um upgrade na carreira. Ao pegar um elenco como o Flamengo, que é superior ao que vinha dirigindo, pode provar se se transformou num técnico capaz de gerenciar campo e vestiário, assim como lidar com as questões internas que sempre incendeiam o Flamengo.

Toda sorte do mundo ao Rogério Ceni. Que ele consiga ser vitorioso como treinador do Flamengo como foi jogador do São Paulo.

Aliás, você já agradeceu hoje o Zico não inventar de ser treinador no Brasil?

Saudações!


Domenec foi embora e não deixará saudades!




Entusiasta que sou dos treinadores que chegam ao Flamengo para fazer o time melhorar, acreditei no trabalho do Domenec. Acreditei que os 5x0 na Libertadores teve influencia da COVID no elenco (e a gente sabe que teve!). Acreditei que os 4x1 do São Paulo foi um acidente de percurso, que poderia não ter acontecido se jogadores não tivessem perdido pênaltis no jogo e acreditei que as falhas individuais dos zagueiros tinham influência direta nos resultados que fizeram a gente não assumir a ponta da tabela do Brasileiro.

Aí, veio o jogo contra o Atlético Mineiro. TODO mundo sabia como o Flamengo não poderia entrar em campo. Todo mundo viu como jogaram os times que o Atlético não conseguiu jogar. O Domenec fez o contrário. A goleada não foi por acaso e a demissão do Domenec não foi aleatória. Nao tem como deixar um técnico que toma de 4 em dois domingos seguidos, contra adversários que lutam pelo título. Não é amadorismo, muito menos precipitação. Há coisas que não devemos normalizar e levar goleadas é uma delas.

Boa sorte do Domenec mas, por aqui, ele não deixará saudades. Na ansiedade de implantar o seu estilo, implantar um rodízio na zaga dando moral pra quem não está bem e não aproveitar boas características de jogadores do time, ele arrebentou a continuidade de um trabalho campeão. O futebol cobra. E não costuma demorar.

Saudações!

Diego é mesmo INSPIRADOR!


Diego lançou um documentário sobre a recuperação da lesão mais complicada da sua carreira. O documentário mostra os bastidores, o apoio da família, o trabalho incansável e, claro, os momentos de alegria, da conquista da Libertadores. É emocionante, com um testemunho verdadeiro de fé e dedicação. Como bem disse a esposa dele,  o Diego é inspirador. 

Eu vibrei com a contratação do Diego, me entristeço quando ele não corresponde e torço demais para que a dedicação que ele tem eleve o nível do Flamengo como um todo. 

Durante muito tempo, mas muito tempo mesmo, eu esperei por um jogador que fizesse jus a uns 20 mantos número 10 que tenho nos cabides do armário (sim, manto a gente coloca em cabide, como roupa de gala). Depois de um tempo, desisti. Teve o Pet, o Imperador em 09/10 que quase me despertou a 10 de novo mas foi por pouco tempo. Até que chegou o Diego. 

Esperei um tempo considerável para ter um jogador rodado que tivesse tesão em jogar pelo Flamengo e respeitasse o clube como ele merece. Esperei um bom tempo para elogiar declaração e posicionamento de jogador fora das 4 linhas. Saca orgulho de capitão do time é ainda com a 10? O Diego me fez sentir isso de novo, pela primeira vez depois de muito tempo. Ele é diferenciado. 

Diego não é o craque do time, não é titular no meu time ideal mas ele é o 10 que morro de orgulho, que euquis no Flamengo. 

Na reestruturação do Flamengo, que sempre desejei, apoiei, contribui e sonhei, ele foi o primeiro a vir da Europa e abrir uma porta pra outros que, inclusive, foram campeões junto com ele da Libertadores. 

A partir do Diego, veio a importação de bons jogadores (do exterior), cada um sendo a peça de um mosaico inesquecível, vencedor: o verdadeiro time de craques, o Flamengo de19. 

Eu poderia, como fisioterapeuta, falar da incessante busca pela recuperação, retratada no documentário.

Eu poderia, como professora de educação física, ressaltar o quanto é importante ter um atleta como a 10 do Flamengo, não um simples jogador de futebol. 

Mas eu terminarei esse texto como a Dani, torcedora do Flamengo, que bate palma pro Diego e qualquer outro jogador que respeita o Flamengo como eu respeito.

O documentário está bem legal e está no canal da Fla TV, no YouTube

Saudações! 

Goleada histórica é para se comemorar!


Geralmente, uma goleada histórica não vem a toa, salvo, claro, algum acontecimento dentro do jogo. Como no jogo de Corinthians x Flamengo no primeiro turno do Brasileiro de 2020 não teve nenhum acontecimento dentro de campo que justificasse os 5x1, a gente pode afirmar que além de não ser a toa, há vários aspectos a serem analisados.

Eu poderia falar do estado do gramado, facilitou demais o toque de bola do Flamengo. Poderia dizer que os jogadores do Flamengo são melhores do que os do Corinthians. Poderia dizer que a diferença é resultado da organização dos times mais fora de campo. Há sim, vários aspectos para serem analisados nessa goleada histórica que o Flamengo deu no Corinthians. Histórica.

Uma goleada histórica, entre rivais que se dizem no mesmo nível, nunca é pouca coisa. Nem para quem leva e nem para quem aplica. Não dá para normalizar 5 gols tomados ou feitos como se não tivessem acontecido. O  fato é que padrão imposto pelo Flamengo nos últimos jogos, mesmo com vitórias aos trancos e barrancos, é para animar o torcedor que consegue entender que mesmo com muitas dificuldades, dos últimos 18 pontos disputados 16 foram nossos. É preciso muita má vontade para não destacar que esses 16 pontos podem até ser obrigação, mas foram conquistados com problemas, dificuldades que poderiam servir como desculpa. Não serviu. A semana de maratona insana foi finalizada com sucesso, com uma goleada que é para comemorar sim.

Com os jogadores mais descansados, com um gramado melhor, com entendimento cada vez melhor do que o técnico pede e com o Vitinho inspiradíssimo, o Flamengo deitou, rolou e goleou no campo do Corinthians como se estivesse no NInho do Urubu, num treino de terça-feira à tarde. É bom ver o time do Flamengo fazendo gols com jogadas trabalhadas, ora na direita, ora na esquerda. É bom ver o time do Flamengo trocando passes saindo do goleiro para terminar em gol, como foi no primeiro gol. Aos poucos, a gente vai tendo de volta um futebol que os nossos jogadores podem nos oferecer. Muita gente pode achar fácil mas não é. Mas o esforço está sendo feito para que a gente chegue em outro patamar.

Embora o trabalho do Domenec ainda tenha que melhorar, principalmente no bote da saída de bola, ver uma atuação do Flamengo numa goleada histórica sempre vai encher meu coração de alegria, sempre vai fazer minha segunda-feira mais feliz.

Goleada histórica até é para se analisar mas é pra se comemorar também. Dá uma sacaneada de leve, comemore e faça seu dia mais feliz!

Nosso próximo desafio é o último jogo da fase de grupos da LIbertadores. Parece que vamos de time misto. Eu iria de time reserva e botava a rapaziada para ter uma semana de treino e descanso decente.

Saudações!

Clássico não se joga, se vence!


O Flamengo continua sua caminhada rumo ao bi campeonato brasileiro. Mesmo com o time cheio de desfalques, com só um tempo decente, a gente conseguiu mais 3 pontos com uma máxima do futebol: classico não se joga, se vence. Aliás, vou ver se chamo boleto de vasco pra facilitar minha vida e não vencer. São 16 jogos sem nos vencer. Do atual elenco, só Arão perdeu pra eles. 

Com gols de Leo Pereira e Bruno Henrique, o placar poderia ser maior, se tivessem caprichado nas conclusões no final do jogo. Final do jogo foi sofrido, com gol deles corretamente anulado pelo VAR. Se não tivesse VAR, seria mais pontos que o Flamengo perderia por erro de juiz. Quantas vezes você viu isso em anos anteriores? 

O Flamengo do Dome vem se especializando em fazer o primeiro tempo ruim e compensar no segundo tempo. Não sei se estão se poupando mas a performance do primeiro tempo dos jogos não está boa. As vitórias estão vindo graças a performance do segundo tempo. Menos mal que as vitórias estão vindo, o pontos somados e, no final, é isso que importará. Vai por mim. 

As vitórias estão vindo na base da qualidade técnica dos nossos jogadores. Com a defesa ainda sem dar segurança ao torcedor, contra o Vasco  a gente dependeu de jogadas isoladas para sair com a vitória: cobrança de falta do Diego com cabeçada do Leo Pereira e passe do Thiago Maia com correria do Bruno Henrique. 

Sei bem que falar em performance  uniforme pode ser um pouco de covardia. O campeonato ainda está longe do fim, o Flamengo vem sofrendo com desfalques por diversos motivos e é difícil mesmo ter conjunto quando não se repete time. Porém, uma hora, isso vai acabar e acho que as vitórias virão com mais tranquilidade. A união arco-íris que está se formando contra o Flamengo não terá sucesso. 

Em uma semana, teremos 3 jogos: Goiás, Bragantino e Corinthians. O jogo que mais me preocupa é contra o Bragantino porque acontecerá 48h depois do jogo contra o Goias: não tem repouso adequado. A comissão técnica terá que ser muito feliz em quem vai poupar de um jogo pro outro, pra não lesionar ninguém e pra performance não cair. Que eles tenham sabedoria. 

Jogo a jogo, somando três pontos, vencendo clássicos. O caminho do octa está sendo trilhado.  

Vamos, Flamengo! 

Saudações! 

A coisa está melhorando!


Antes de falar de Flamengo e Atletico PR pelo Brasileirão, eu vou te fazer uma pergunta: você tem ideia de quantos passes/bolas o time do Flamengo perdeu por causa da qualidade do gramado do Maracanã?  Foram muitas. 

O time do Flamengo foi um no primeiro tempo e outro no segundo tempo. Ainda bem que o Flamengo do segundo tempo venceu o jogo. 

O Flamengo do primeiro tempo foi bem sonolento. Com Vitinho mal, Arão fora de ritmo e Filipe Luís e Isla tímidos no apoio, Bruno Henrique, Arrascaeta e Pedro tentaram mas não conseguiram furar a defesa do Atlhetico. Inclusive, Neneca fez umas defesas salvando o Flamengo. 

Com a entrada do Everton Ribeiro no segundo tempo, o time do Flamengo melhorou sua atuação. Jogando com vontade, Bruno Henrique e Arrascaeta melhoraram suas atuações e Pedro mostrou ser o mesmo oportunista de sempre, no gol que abriu o placar. O gol do Bruno Henrique, de pênalti e Everton Ribeiro, num chute de fora da área  selaram a vitória do Flamengo. 

A dupla de zagueiros da base jogou bem de novo, Hugo Neneca teve uma boa atuação embaixo das traves (precisa melhorar a saída de bola com os pes) e Gerson aparece que voltou as grandes atuações que nos acostumamos, no meio de campo. 

Nesse jogo, Filipe Luís deu uma sofrida na parte física, o Isla e o Arão parece que sentiram a parte física. Eu continuo na dúvida se o Michael é jogador de futebol. Errou tudo que tentou.

Foram 3 pontos importantes na tabela e estamos nos aproximando da parte de cima cada vez mais. 

O time vem mantendo um padrão de jogo que ainda falta melhorar, principalmente na transição da defesa para o ataque. Mas o desempenho, assim como a preparação física, está melhorando.  Falta só o gramado do Maracanã melhorar. 

Saudações! 

O que menos importa!




Espero que depois do último fim de semana, no qual o jogo do Flamengo contra o Palmeiras ficou cancelado até 17 minutos antes do horário de seu início, tenha acabado, de vez, a dúvida sobre o que realmente importa e o que não importa em época de pandemia e futebol.

Espero que tenha ficado claro que não há santo nessa questão. Especificamente nesse caso, com cada um puxando a corda para o seu lado, tantas máscaras caíram que ficou até feio.

Independente da sua opinião sobre o caso, ficou comprovado que o que menos importa é a saúde. Saúde de jogadores e trabalhadores que lidam com o futebol ou, especificamente, com o jogo em questão.

O Palmeiras não se preocupou com a saúde dos seus jogadores e dos jogadores do Flamengo quando se posicionou contrário ao cancelamento da partida. Mesmo com o técnico dele dizendo, um mês antes, que se um time tivesse 10,12 jogadores, seria justo o cancelamento do jogo. Preciso dizer quantos doentes o Flamengo tinha?  O Palmeiras tentou ganhar a vantagem de enfrentar um Flamengo enfraquecido, cheio de sub-20, inclusive seu goleiro. O goleiro foi o melhor em campo, o sub-20 mostrou porque é campeão brasileiro e só não saímos com a vitória por detalhes.

A dupla CBF/Globo, que precisa dar andamento ao campeonato também não está preocupada com a saúde nem de jogadores nem de funcionários. Sem opção de outro jogo para exibir no horário nobre do futebol, domingo às 16h, os seus funcionários foram ao ataque ao Flamengo e seus dirigentes em redes sociais, com opiniões dignas de print eterno, pra se jogar na cara em várias situações futuras, tenho certeza.

O Flamengo enfraquecido fora de campo saiu fortalecido de campo, com uma atuação digna de aplausos. A postura e a atitude que tivemos foi para orgulhar o torcedor, que não pode deixar o Flamengo, clube e instituição, sozinho na trincheira. Mesmo que haja deslizes fora de campo é preciso entender que o Flamengo é mais forte quando a torcida está ao seu lado. Esquece dirigente, é o Flamengo.

Ainda passaremos alguns dias sem os jogadores, que continuam infectados com o COVID 19. Vamos ver como o time reagirá e como será o nosso desempenho nos campeonatos que disputamos.

Porém, desde já, qualquer que seja o problema, tenha em mente que tem UMA COISA QUE NÃO IMPORTA TANTO pra essa gente que lida com o futebol brasileiro: a saúde.

Saudações!

Uma única lamentação!




Escaparam de uma goleada que poderia ser história. Essa é a única lamentação do Fla x Flu vencido pelo Flamengo no Campeonato Brasileiro de 2020. Com um primeiro tempo primoroso, com muitos toques de bola, ultrapassagem de laterais, defesa muito bem postada, Gerson e Thiago Maia ditando o ritmo do jogo, eu tenho certeza que o Flamengo animou até o mais pessimista torcedor.

Os gols de Filipe Luis e Gabigol vieram de rebatidas do goleiro mas temos que ressaltar como estavam no momento certo, no lugar certo. Há quem acredite em coincidência. Como não acredito, os dois estão de parabéns pelo oportunismo.

O time fez o melhor tempo sob o domínio do Domenec. Com a entrada do Diego no meio de campo no lugar de um atacante, ele dominou o Fluminense de uma tal forma que muitos falaram que o Fluminense não jogou. Vai por mim, não foi nada disso. Embora seja cada vez maior o "estranho fenômeno" de que os times que jogam mal quando enfrentam o Flamengo, o Flamengo conseguiu desenvolver o seu jogo anulando o que o Fluminense tinha de bom. Isso não é o Fluminense jogar mal. É o Flamengo que jogou bem demais.  Ou você acredita que foi coincidência o Nenê não ter espaço pra dar o passe final (ou chegar mais perto da área) ou o Michel Araujo conduzindo a bola igual a um desesperado atrás de alguém pra tocar a bola? Por favor, né! 

No segundo tempo, apesar de controlarmos bem o jogo, perdemos muitas chances de gol e é por isso que a minha lamentação na primeira frase deste post. De lembrança, tem 2 do Arrascaeta, 1 do Gabigol, fora as bolas que pecamos na assistência.



O Flamengo tem o mesmo número de pontos do líder do campeonato, que ainda joga na rodada. Aos poucos, além de encontrar uma forma bacana de jogar, com os jogadores entendendo a proposta e melhorando no preparo físico, vamos somando pontos que serão importantes lá pra fevereiro de 2021.

Nosso próximo adversário é o Ceará, pelo Brasileiro. É manter a pegada e continuar a evolução.

Saudações!

Mudança de Costume!


Eu vou tentar. Prometo, desde já, a insistir, até me acostumar com um time a cada jogo. Embora continue achando que vai chegar um momento que o Domenec vai entender que Pedro tá voando, Michael não pode começar um jogo como titular ainda mais com Pedro Rocha tendo uma performance melhor e Thaigo Maia tem que jogar, vou tentar me acostumar com esse rodízio. 

Sejamos francos, ele pode trabalhar desse jeito. O Flamengo tem elenco pra isso. Quando a coisa apertar na frequência dos jogos, não é só o gramado do Maracanã que vai sofrer: os outros times também sofrerão. Estou me apegando nisso pra mudar o costume do conceito de "time titular".

Falando em costume, o jogo contra o Fortaleza trouxe um velho costume que temos que repetir sempre no Brasileiro: vitória em casa. Mesmo com aquele pasto que se transformou o gramado do Maracanã e parece prejudicar mesmo o andamento do jogo do Flamengo, a primorosa jogada de Matheuzinho e Gabigol no final do jogo adicionou mais 3 pontos na tabela. O outro gol nosso foi marcado pelo craque só time, Everton Ribeiro. Eles descontaram com um gol de pênalti, bem marcado pelo juiz.  

Sobre a atuação, o time começou o jogo bem mas não teve o ímpeto de manter a rotação alta. Não sei se culpa do gramado ou do preparo físico, tive a impressão que o time diminuiu o ritmo jogando de forma protocolar. Confesso que sinto falta daquele "macete" que o time do Jesus tinha de acelerar o jogo nos últimos minutos de cada tempo pra pegar adversário mais cansado. Muitos gols de 2019 saíram nesse período do jogo.

Individualmente, Gustavo Henrique teve uma boa atuação, Matheusinho entrou bem e Arão dominou o meio de campo. Não gostei no Michael. 

O Flamengo vem somando pontos e confesso que isso me traz uma tranquilidade em relação ao trabalho do Domenec, principalmente para quebrar esse paradigma de time titular fixo. Como é um ano que acontece (aconteceu/acontecerá) o que a gente não tinha (tem) costume, vou insistir para olhar esse processo com uma visão diferente. 

Insista também. 

Saudações! 

Novas referências!




A gente sabe (ou deveria saber) que sempre que há uma mudança, muda-se também a referência. Obviamente, com o Flamengo não seria diferente. Com técnico novo, novas referências vão sendo implantadas. O problema é que o Flamengo não tem tempo pra isso porque tem time na nossa frente no processo. A parte ruim é criar essas referências com o campeonato em andamento e isso é penoso demais. A parte boa é que as referências que estão sendo criadas vão para algum lugar.

Esse lugar, esperamos todos, que tem um Flamengo jogando um futebol que leva a vitórias, nao é fácil de se chegar mas eu não tenho dúvida que é possível de habitar principalmente com o elenco que a gente tem. Elenco esse que fez uma boa diferença na vitória contra o Santos, na Vila Belmiro. Gol do Gabigol. no dia do seu aniversário, num contra-ataque fulminante.

Com Gustavo Henrique, Thiago Maia e Michael nas vagas de Léo Pereira, Arão e Everton Ribeiro, respectivamente, o treinador arriscou ainda mais e pôs à prova sua semana livre de treinos, deixando claro que já aplica seus próprios conceitos. Falta mais consistência física, falta Bruno Henrique deixar a ansiedade de lado e Gabigol acertar (ainda mais) o pé na forma. Falta a zaga se acertar nas bolas dentro da área. Fata coisa mas as referências já estão mudando.

Fico imaginando o que pensa o treinador do time adversário quando tem o Flamengo vencendo de 1x0 por causa de um vacilo de um jogador seu, tem que correr atrás do prejuízo e aos 20 do segundo tempo vê o seu adversário começar a substituir e colocar jogadores em campo como Everton Ribeiro, Diego, Isla, Arão. Todos descansados, com sede de bola em cima de jogadores já cansados de buscar um resultado. Não deve ser fácil. E é para tornar a vida do adversário mais difícil que o Domenec está trabalhando firme, mudando a referência do torcedor  (do Flamengo e de outros), que estava acostumado com o mesmo time sempre, jogando até (depois de) cansar.

Contra o Santos, tivemos uma zaga que demorou para se ajustar. Com Gustavo Henrique lento e Filipe Luis dando uma sofrida com Marinho,  a gente poderia ter saído da Vila com uma derrota que iria tumultuar demais o ambiente de trabalho do Espanhol. A entrada do Michael pra fazer a direita do ataque e do Rene para fazer a direita da defesa, em cima do Soteldo, acabou sendo um acerto do técnico que foi pouco falado. O Michael deu a assistência para o gol do Gabigol, perdeu gols e ainda fez umas jogadas com o Isla, que entrou voando na lateral direita, na metade do segundo tempo.
 
A entrada do Michael colocou o Everton Ribeiro no banco. Embora tenha parecido uma estratégia pontual do Domenec, continuo achando que o grande diferencial do Flamengo é ter 2 meias de qualidade jogando juntos. Para mim, Arrascaeta e Everton Ribeiro devem jogar juntos no time do Flamengo.

Embora o técnico esteja sempre falando que irá rodar o elenco nos próximos jogos, acredito que quando ele achar o jeito do time desempenhar um bom papel, irá mudar pouco. Mesmo que a gente tenha jogadores para substituir os que estão em campo, essa história de rodízio pode ser muito mais para motivar jogadores que estão no banco de reserva do que convicção de trabalho.

O trabalho está sendo feito, com novos pensamentos, o que faz mudar a referência do que o Flamengo era. Se é verdade que o antecessor deixou terra arrasada, não há outro caminho para o espanhol a não ser criar seu próprio caminho, suas referências para chegar no lugar das vitórias. A nós, cabe ter paciência, confiar e, claro, cornetar quando ele vacilar porque ele vai vacilar.

A gente vai se acostumar com as novas referências que estão sendo implantadas jogo após jogo.

Nosso próximo desafio é contra o Bahia, na casa deles, pelo campeonato brasileiro. É mais uma oportunidade para gente ver um novo conceito em campo. Devagar e sempre. Sempre atrás da vitória.

Saudações!

Cara de pau está em alta!


Não é de hoje que a diretoria do Flamengo toma medidas surreais contra (é isso mesmo, contra) o torcedor do Flamengo. Como se não bastasse a politica de usar os termos de adesão ao pacote de ingressos que foi realizado antes de não poder ter torcida em estádio para cobrar multa de cancelamento, agora temos um aumento de 165% na mensalidade do sócio contribuinte off Rio em plena pandemia. Vivem num mundo paralelo, com certeza. 

Nesse mundo paralelo, o Flamengo não é de todos, é de alguns. Não há outra explicação plausível para esse aumento, a não ser afastar os torcedores off Rio das eleições do clube. Há a possibilidade de enfraquecer o VP que ganha apoio desses torcedores porque faz um trabalho muito bom.  Porém, não há argumento que me faça pensar diferente e olha que já cruzei com alguns. A razão é a eleição a presidente do clube.

Os pedidos de desfiliação do projeto Embaixada da Nação, que ajudam o off Rio a se aproximar do clube, está escancarando como esse aumento, além de ser abusivo, foi visto para quem bota a mão no bolso e ajuda o Flamengo. O Flamengo não é gigante porque é um clube de Zona Sul foi Rio de Janeiro, sempre é bom lembrar. 

A politica com o torcedor dessa direção, seja na comunicação, seja em campanhas de marketing é muito ruim. Poderia falar das gafes em redes sociais, poderia falar da falta de cuidado com a imagem e texto, poderia falar do relacionamento com o sócios-torcedor. 

A cara de pau do texto para o pessoal sugerindo para que o off Rio que não puder pagar a nova mensalidade migrasse para o sócio torcedor é a mesma que tem a pachorra de cobrar multa de quem quer cancelar o pacote de ingresso de jogos que não tem ingressos porque a torcida está proibida de entrar no estádio. 

A sorte do Flamengo é que toda cara de pau tem prazo de validade. Espero que dessa gente seja curto. Eles passarão. O Flamengo ficará. Esse é o consolo. 

Saudações! 

Barreiras a serem superadas!


O desempenho do Flamengo está longe do nível ideal para os jogadores que temos. Não é exagero destacar que os jogadores não estão jogando nem 50% do que podem. Não é sonho de torcedor otimista demais em afirmar que continuamos tendo o melhor elenco do país e que podemos ganhar o Brasileiro de novo. Mas antes disso tudo, é preciso superar barreiras. E a cada jogo que passa, aparecem mais aspectos que fazem essas barreiras parecem cada vez maiores.

O que muitos chamam de desculpas ou mimimi porque não vem jogando bem, eu encaro como barreira. E se essa barreira está fazendo o Flamengo perder rendimento ou se atrasar para chegar no objetivo final, que é o bom rendimento, tem que ser levado em consideração. Pode ser que você ache muito importante ou pouco importante, mas se a barreira está impedindo a coisa de ser mais bem feita possível, é preciso prestar atenção.

O Flamengo de Domenec tem barreiras para superar e, algumas delas, não serão superadas sem tempo para trabalho. É doloroso para uma torcedora que quer a vitória sempre escrever isso mas é isso aí, não tem como ser diferente.

Se o que falam sobre o Jorge Jesus ter levado todos os dados do departamento de futebol, inclusive avaliação de jogadores e que não há resquício do trabalho dele porque eles controlavam o acesso aos treinos/dados com rigor, esse é a primeira barreira que tem que ser ultrapassada e que vai ser uma das mais demoradas. Sabe por que? Porque o pessoal do Domenec tem que criar os dados para avaliar os jogadores e saber como eles reagem a estímulos e treinamentos. O preparador físico não terá os resultados de uma semana para a outra.

Seguindo essa linha, o Domenec tem alguns conceitos de jogo diferentes do seu antecessor. Ele foi contratado com o Flamengo sabendo disso, não enganou absolutamente ninguém. A fase de transição, entre o que se tinha e o que vai ser, é penosa mesmo. Seria com qualquer técnico, mesmo que esse tivesse uma visão mais parecida com o que tínhamos. Além de tempo (que o novo técnico não tem) é preciso uma preparação física e técnica que o time já demonstrou que não tem (ainda!).  Não dá para colocar só na conta do técnico o erro técnico de um jogador profissional de futebol que ganha na casa de 7 dígitos, né?

Se formos levar para o ambiente do jogo, a falta da torcida e o gramado do Maracanã estão influindo na forma do Flamengo jogar.

A gente sabe que a torcida do Flamengo no Maracanã  traz a motivação que muitas vezes falta em campo para os jogadores. Não precisa ser nenhum especialista para perceber que o time para em campo em alguns momentos. Claro que tem a questão da preparação física não estar ideal mas a pergunta que fica é: se a torcida estivesse lá, estariam correndo mais?

É visível que o gramado do Maracanã não está em condições ideias. Isso prejudica o toque de bola de um time como o Flamengo que tem jogadores mais técnicos do que os outros. Óbvio que a culpa da performance ruim não é só do gramado mas a qualidade dele é outra barreira que o Flamengo tem que superar para melhorar a qualidade do jogo. Pessoal que joga bola sabe que isso influi demais no ritmo de jogo.

O futebol é um jogo coletivo que depende de uma boa execução de fundamentos. Se não há uma boa execução desses fundamentos, não há time que consiga trazer um bom resultado em campo. Os principais jogadores do Flamengo não estão numa boa fase técnica. Estão errando esses fundamentos fazendo o simples e isso é prejudicial demais para o jogo coletivo. A notícia boa é que como são bons demais no que fazem, isso se ajeita de um jogo para o outro. Ou, às vezes, nem precisam ser tão eficientes para fazer a diferença. É a vantagem de pagar caro para ter jogadores bons.

Eu poderia falar que a rédea do futebol do Flamengo está solta, que falta ajustar a saída de informação do futebol do Flamengo, que achar a fórmula certa para impedir certas coisas que não aconteciam antes não é fácil. O Flamengo precisaria de paz para trabalhar mas isso não teremos jamais.

Como torcedora, estarei observando com o Flamengo (time, comissão, direção, torcida) vai reagir a cada barreira a ser superada. Quem disse que seria fácil, não sabe como é o Flamengo.

Saudações!

O que eu espero do Mauricio Isla no Flamengo?




Sinceramente? Eu espero que ele consiga fazer a dobradinha pela direita que o Rafinha fazia tão bem com o Everton Ribeiro e outros jogadores. Espero que ele tenha vitalidade, competência e sorte para ter muito sucesso com o Manto.

A saída do Rafinha, logo o jogador que tinha trabalhado com o Domenec, pegou a maioria das pessoas de surpresa. Embora seja uma posição de difícil reposição, até pelo nivel de laterais direitos do futebol brasileiro, a dupla Marcos Braz e Bruno Spindel agiu rápido nessa contratação. Posição que há carência, inclusive, no elenco do Flamengo. No último jogo, o lateral reserva, João Lucas, se machucou e o Rene, lateral esquerdo, entrou no lugar dele.

Isla nunca atuou profissionalmente no Chile. Foi formado nas categorias de base da Universidad Católica, mas seu primeiro clube foi a Udinese, que o contratou em 2007 após ser um dos destaques da campanha do terceiro lugar da Seleção Chilena no Mundial Sub-20 daquele ano. Seu ultimo clube foi o 
Fenerbahçe. Foram 91 jogos, 13 assistências e nenhum gol marcado. Com o término do contrato em junho de 2020, ficou livre no mercado. Ao final do contrato, foi especulado em clubes como Boca Juniors, Valencia e Betis.

Ele chega com contrato até dezembro de 2022 e logo no dia que chegou, já foi ao Ninho do Urubu fazer alguns exames.

Boa sorte, lateral. Tenha muitas alegrias e vitórias com esse Manto Sagrado.

Fé no Bruno Henrique!



Se eu ainda tivesse dois filhos na vida, colocaria o nome deles de Bruno e Henrique. A homenagem ao melhor jogador da Libertadores 2019 não seria exagerada porque o Bruno Henrique me deu muitas alegrias.

Embora 2019 tenha passado e eu tenha consciência que vivi um momento único como torcedora, é sempre bom voltar ao Bruno Henrique do ano passado para servir de ponto de partida para o que ele pode jogar. Como tenho fé no Bruno Henrique, acredito que ele possa render ainda mais que no ano passado.

Por acreditar nesse rendimento superior, o Bruno Henrique terá sempre o meu apoio, a minha paciência e a minha torcida.  Ele é um jogador especial e já provou isso com gols decisivos e atuações excelentes colocando-o em OTO PATAMAR.

Já vi muitas causas para a queda de rendimento do BH: negociação pro exterior que não foi pra frente, queda de rendimento físico, acomodação, saída do JJ...

Sinceramente, não tem como apontar uma única causa. Eu só posso torcer  para que seja uma fase passageira, apoiar para que ele consiga desenvolver logo o seu bom futebol. Com ele e Gabigol bem, o time do Flamengo tem mais de meio caminho andado para a volta de um bom rendimento em campo.

Fé no Bruno Henrique que ele vai voltar a arrebentar.

Saudações!

Vai melhorar!


Se torcedora do Grêmio fosse, ficaria p da vida com a oportunidade perdida de ganhar do Flamengo no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Pois sim, o Grêmio perdeu 2 pontos e o Flamengo ganhou 1 no empate de 1 x 1.

O pessimismo na hora da cobrança do penalti que nos deu o gol mostra bem como está a relação da torcida com esse time.  Na minha timeline do Twitter, teve gente demais falando que o Gabigol perderia o pênalti. Menos mal que não perdeu.

Embora a atuação em geral do time não tenha sido boa, gostei do time em boa parte do primeiro tempo.  Com Everton Ribeiro atuando muito melhor do que nos outros jogos e com Gabigol se movimentando mais, dava a impressão que teríamos uma atuação que nos daria a vitória. Ledo engano. 

O time perdeu mesmo a intensidade que tinha em 2019 e isso não é culpa só do Domenec. Nos jogos do JJ antes de ir embora, a gente reclamava da mesma coisa. 

O fato é que o Leo Pereira ainda não encaixou, o Bruno Henrique erra 80% do que tenta, o time perdeu a intensidade de marcação e a concentração em muitos momentos do jogo. Além disso, estão treinando nos jogos como Gabigol disse no pós-jogo. Talvez esse seja o motivo do próprio treinador evitar fazer as 5 substituições que tem direito. 

O time vai se ajeitar. O desempenho vai melhorar. Espero que seja o quanto antes, até mesmo pro técnico e jogadores terem uma tranquilidade na continuidade do trabalho. O caminho não será fácil mas nem por isso deixarei de acreditar nos jogadores que lá estão. 

Vamos pra cima deles, Flamengo. 

Saudações! 

É hora de cobrança?

Eu tinha 14 anos quando o meu técnico de vôlei foi trocado. Depois de 5 anos, o cara que me ensinou a jogar, resolveu largar a Educação Física. Eu fiquei arrasada. Pensei em largar o esporte que tanto amava, que tinha me dado bons amigos e que me divertia. Por amor ao voleibol, não larguei. Veio o novo professor e como não mudou minha relação com o voleibol, continuei. Para resumir a história, o novo professor não só se transformou no meu técnico, como virou um grande amigo na Educação Física. E me deu a primeira oportunidade de emprego na profissão. 

Hoje, o Alfredo me veio a cabeça. Rubro-negro estressado, observador nato, certamente, se nesse plano estivesse, estaria reclamando, após a derrota por 3x0 do Atlético GO, da mudança de estrutura em time vencedor.  Certamente, lembraria de uma mudança de 4x2 pra 5x1 numa equipe toda encaixada que não conseguimos ter sucesso. 

Eu entendo que o Domenec tenha a sua forma de trabalhar mas, sem tempo pra treinar, não tem como exigir a mesma eficiência dos jogadores como se tinha num esquema do ex-técnico.  

Não tem sentido não aproveitar um esquema vitorioso e ajustar esse esquema fazendo as mudanças do longo do tempo.

Particularmente, no jogo de hoje, alem do time perdido no posicinamento, houve a improvisação do Rodrigo Caio na lateral direita que foi desastrosa, além do artilheiro do time perdendo gols na cara do goleiro...  Tem jogador ali que não está bem tecnicamente. A cobrança tem que existir, para jogadores e para o técnico também. 

Confesso que a corda da paciência com o Domenec é menor, justamente porque não pegou terra arrasada. Não ter a humildade pra acatar o que deu certo vai trazer um desgaste que o próprio técnico não esperava. A cobrança é inevitável. 

O próximo jogo será em Curitiba, contra o Coritiba, pelo Brasileiro. Vamos em busca da primeira vitória. 

O Flamengo não joga sozinho!




Quando o Flamengo fez força para que o campeonato carioca fosse jogado depois de paralisado por causa da pandemia, o argumento de muita gente que era contra foi que o Flamengo não jogava sozinho. Segundo estes, não adiantaria de nada o Flamengo ter um protocolo de prevenção do COVID-19 se os adversários tivessem jogadores contaminados. Como é uma doença que tem um grande risco de contágio, o argumento era válido. A não ser que o adversário  tivesse o mesmo cuidado que o Flamengo estava tendo. Assim surgiu o protocolo da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, que foi muito bom. O campeonato foi reiniciado sem força mas foi finalizado sem contágio entre os jogadores.

Quando a CBF decidiu reiniciar as atividades do futebol e datou para o início de agosto a primeira rodada do Brasileirão série A, campeonato que o Flamengo disputa, a minha confiança no protocolo que foi estabelecido da Federação do Rio com a ajuda do Flamengo e elogiado pela FIFA, entidade máxima do futebol mundial, era muito boa. Se cada etapa do protocolo que deu certo no Campeonato Carioca estivesse sendo seguida agora, a gente teria casos de times com jogadores afastados por COVID na véspera dos jogos?

Na primeira rodada, o São Paulo x Goiás foi adiado porque o Goiás teve vários jogadores testados positivos para COVID-19. Na segunda rodada, o adversário do Flamengo, o Atlético GO, teve 4 jogadores testados positivos. A CBF permitiu que esses jogadores estivessem à disposição do timo no jogo contra o Flamengo. O Atlético GO afirma que eles estão em reta final de contaminação, já cumpriram o protocolo de quarentena e "não têm mais o potencial de transmissão da doença". O Presidente da Comissão Médica da CBF afirma que não há risco.

Não vou bater de frente com gente tão especializada no assunto. Inclusive a CBF alterou seu protocolo médico e passou a testar todos os jogadores inscritos no campeonato (até o limite de 40 por time) e não apenas 23, como anteriormente. Também liberou os clubes para utilizarem outros laboratórios e hospitais para a realização de exames. Antes, tudo era concentrado no Einstein, em São Paulo. A esperança é que haja uma otimização nos resultados.

O Flamengo tem a sua própria estrutura de testagem do COVD-19. O clube levará uma máquina de testes rápidos para Covid, que custou R$ 100 mil, para todos os lugares. Todas as pessoas que precisem ter algum contato com os atletas serão testadas.

Já saiu na imprensa que o clube vai aumentar essa estrutura para dar maior segurança aos seus atletas e funcionários. Há empresa cuidado da verificação da instalação dos protocolos em hotéis, o uso em CTs fora do Rio será em horários poucos comuns, com tudo verificado antes. Os voos são fretados e o embarque e desembarque feitos em locais que não precisem circular muito para evitar o risco do contágio. Inclusive o técnico Domènec Torrent ficou bastante impressionado com a estrutura montada pelo Flamengo para o Brasileiro, e foi comparada por ele a dos grandes da Europa. Ele ficou bem satisfeito com a notícia de que todos os voos serão fretados, algo que é visto atualmente também como um um atrativo na hora de contratar reforços de peso.

No Flamengo, há toda uma preocupação com o entorno do jogador, desde as pessoas que lidam com eles, seja família, funcionários, prestadores de serviço. Tudo está sendo controlado para que não haja qualquer contaminação pelo vírus.

Porém, o campo de jogo é um ambiente que o Flamengo não pode controlar porque tem o adversário. Como Flamengo não joga sozinho, acaba dependendo  da competência dos outros para que os seus jogadores não sem contaminados.

Aguardemos as próximas rodadas mas se a CBF não conseguir estabelecer um protocolo que minimize os riscos, eu não sei se esse campeonato acabará em fevereiro, com 38 rodadas.

Saudações!

Habemus técnico! Seja bem-vindo, Domènec Torrent!




O Flamengo escolheu bem. Após alguns dias na Europa, o Flamengo anunciou o seu novo técnico, que vem para substituir Jorge Jesus.

O treinador catalão Domènec Torrent, de 58 anos, vem com contrato válido até dezembro de 2021, foi ex-auxiliar de Pepe Guardiola.  Este será o segundo trabalho de Torrent como treinador desde que deixou de ser assistente de Guardiola. Antes, comandou o New York City FC, da MLS, entre 2018 e 2019. O catalão e sua comissão vão receber, ao todo, 2,25 milhões de euros (cerca de R$ 13,7 milhões na cotação atual). Além do salário, há um acordo de premiações por metas, em processo similar ao que aconteceu com Jorge Jesus.
 
O que espero dele no Flamengo? Que consiga fazer o time jogar um futebol que traga títulos. Embora seja covardia a comparação com o que fez Jorge Jesus, que caminha para ser uma coisa única e rara, as credenciais do nosso novo técnico não são ruins.

Ele é adepto do chamado "Jogo de Posição", que tem como princípio a posição em campo, jogadores espaçados em campo e muito controle da bola. Se mantiver o que pregava com o Guardiola, a movimentação dos jogadores procurando a bola não será tão constante porque os jogadores têm posições bem definidas em campo. Espero que ele consiga achar logo uma forma do nosso elenco jogar com competência.

Sobre o idioma, acredito que ele não terá problemas, visto que temos vários jogadores que jogaram na espanha ou falam espanhol. Diego Alves, Rafinha Filipe Luís, Diego, Arrascaeta e Piris são exemplos disso.

Já quero mandar um Olê, Olê, Olê, Olê, Domê, Domê, no Maracanã.

Saudações!

O elenco do Flamengo Sesc RJ para temporada 2020/2021



O Flamengo anunciou a parceria com o Sesc com uma entrevista com o Bernardinho e o presidente Landim. Agora, já temos o elenco que representará essa parceria. Na Fla TV, terá um video especial com a apresentação deste elenco.

O Sesc RJ Flamengo já iniciou os treinamentos visando os desafios da temporada 2020/21. A equipe realiza as atividades na Urca, na Escola de Educação Física do Exército.

O elenco:
A levantadora Fabíola e Juma;
As ponteiras Amanda, Ana Cristina, Drussyla e Ariele;
As centrais Juciely, Milka, Valquíria e Lívia;
As líberos Natinha e Gabi
As opostas Lorenne e Sabrina

É importante lembrar que o propósito do Sesc RJ Flamengo vai além das competições. O técnico Bernardinho acredita que a equipe poderá fazer um grande trabalho de base e que deixará um legado importante para o vôlei brasileiro.


Vai amanhã?


Uma das coisas que mais gosto em redes sociais é a resposta quase imediata a notícias que antes ficariam dias como verdade, quando não passam de especulação.

Estar no controle da narrativa é essencial não só de forma institucional como no gerenciamento de carreiras. Nos últimos dias, vimos dois funcionários do Flamengo dando aula em relação a isso, enquanto o próprio clube anda a passo de tartaruga nesse aspecto.

A primeiro aula foi dada pelo médico do Flamengo quando a imprensa, de Portugal e do Brasil, anunciou que Jorge Jesus gostaria de levá-lo para Portugal. A indefinição que surgiu não demorou nem 2 horas. O próprio médico desmentiu no seu perfil em rede social, garantindo que ficaria no Flamengo, evitando exposição errada do seu nome e sossego pra sua vida.

A ssegunda aula foi com o Marcos Braz. Um jornalista informou que ele estaria a caminho de Portugal para tratar da contratação de um novo técnico para o  Twitter. Algumas horas depois, o próprio Maços Braz informou que estava no Rio, acabando com a narrativa dos jornalistas de plantão sobre a viagem e logística de contratação desse técnico. 

O "Vai amanhã?" que o jornalista mandou como resposta ao Braz virou meme, sticker de Whatsapp, piada generalizada e pode ser uma boa lição sobre a importância de quem conduz a narrativa, que estará sempre na frente da informação. Os outros que lutem. E perguntem, inclusive em rede social. 

Saudações! 

Meu malvadão favorito!

Meu malvadão favorito!

Meu Malvado Favorito da Record: Emissora repete filme pela ...

Para muita gente, o Flamengo ganhou a fama de malvadão nesta pandemia. Como foi o clube de futebol que mais lutou pela volta do futebol depois da paralisação por causa do isolamento social, foi acusado de não estar preocupado com a segurança dos seus colaboradores, seja jogadores ou funcionários do departamento de futebol. Inclusive com torcedores do próprio Flamengo indo contra o clube, além de dirigentes e torcedores de outros clubes.

O malvadão estabeleceu protocolo de treinamento que está sendo usado para outros clubes, passou com louvor em verificação sanitária para adequações higiênicas devido à pandemia e ajudou a Federação a demonstrar que é possível voltar a jogar futebol com segurança, mesmo que o mundo não esteja mais o mesmo que outrora.

Além de seguir como referência em segurança, o malvadão distribuiu alcool gel, mascaras e cestas básicas para comunidades, ajuda para ambulantes que trabalhavam no Maracanã e, por último, vale-alimentação para jogadores de clubes das séries B1 e B2 do Rio de Janeiro.

Sabe os clubes que criticaram o Flamengo? Estão sem pagar funcionários mais humildes, jogadores e colaboradores. São poucas iniciativas de ajuda desses clubes à sociedade. Mas o malvadão é o Flamengo.

O Flamengo luta, desde o início, para amenizar os impactos da pandemia do coronavírus. O Flamengo se porta como gigante que é, seja servindo na liderança para volta das atividades, seja encabeçando distribuição de insumos importantes nesse período.

Já imaginou se todos os malvadões fossem assim? Ah, meu malvadão favorito, que orgulho eu tenho de você!

O fim da Era Jesus no Flamengo


Mesmo com toda a especulação dos últimos dias, fiquei surpresa com a saída do Jorge Jesus do Flamengo. Não que eu achasse que essa relação seria pra sempre. Mas acreditei que a renovação de contrato feita há pouco tempo, a situação do Benfica além do pacto feito com jogadores para a conquista do Mundial iriam pesar na decisão de ficar.

Foi uma linda história do amor. A minha gratidão pelo trabalho do Jorge Jesus é imensa. O Flamengo campeoníssimo só aconteceu em 2019 porque era o Jesus que estava no comando. Porque o Jesus é mesmo sensacional. Tão sensacional que a torcida incorporou o coro do Olê, olê, olê, Mister, Mister como se fosse o Flamengo sendo cantado. E, de certa forma, era o Flamengo, o Flamengo de Jesus que foi perpetuado, ali naquelas tardes/noites invictas de 2019. Como não ser grata por aqueles momentos? 

A torcida abraçou o Mister. Compramos a briga por ele ser técnico estrangeiro, defendemos contra a imprensa e antis, gritamos o nome dele em alto e bom som em estádios e lugares pelo mundo, comemoramos a sua renovação de contrato e torcemos até o fim para que a saída não se concretizasse. A gente sabe que o Jesus, dificilmente, será tão amado quanto foi aqui. Amado e idolatrado. 

O Flamengo fez a sua parte. Deu tudo o que o Jesus pediu. Deu estrutura, trouxe jogadorées de alta qualidade, pagou prêmios e salários altíssimos, adaptou métodos, institucionalizou protocolos com condições de trabalho únicas no país. O Flamengo sai maior da Era Jesus e com a certeza de que podemos ser do tamanho que a gente sempre sonhou.

Foi um grande relacionamento, que em 13 meses deu 6 títulos ao clube. Ele tem mais título que derrotas. 

Dizem que toda a história de amor tem um fim. Tem gente que sabe sair dela, tem gente que não. Quem não sabe, deixa um asterisco infeliz, um "porém" que nem todo mundo entende, aceita. 

Saibamos respeitar os sentimentos de quem releva um asterisco final e de quem não releva. 
O Flamengo é maior do que qualquer CPF. Vida que segue! 

Bem-vindos, Bernardinho e Sesc Rio!


Hoje é um dia histórico para o vôlei do Flamengo.  Numa coletiva transmitida pela FLA TV, o presidente Rodolfo Landim anunciou a parceira do Flamengo com o Sesc Rio, o time do Bernardinho.

O tamanho da importância dessa fusão para o Flamengo e para o esporte olímpico do clube é imenso. Além do know how do multi-campeão Sesc, teremos o melhor técnico do esporte coletivo da história. Eu não conheço um melhor do que o Bernardinho, seja o esporte que for.

Vitorioso e competente, ter o Bernardinho como técnico do time de volei feminino deveria ser motivo de comemoração até pra quem não gosta de voleibol. O Flamengo forte em todos os esportes deveria ser motivo de alegria para todo rubro negro. 

Vale lembrar que o Flamengo abriu mão da sua vaga na Superliga e disputará o torneio pelo Sesc, maior campeão da história da Superliga, com 12 títulos. Com o projeto do time masculino cancelado, a junção com Flamengo, clube de maior torcida no Brasil, vem a calhar para o Sesc após a crise causada pelo Covid-19. Já para o Flamengo, é uma chance de brigar por títulos no vôlei.

Acredito que nos próximos dias já teremos notícias das jogadoras que farão parte da temporada e jogarão com o Manto. 

Seja bem vindos, Bernardinho e Sesc. Muitas vitórias portando o Manto. 

Saudações!

O super time do Fla Basquete



A temporada que se passou terminou sem que houvesse o término do campeonato devida à Pandemia. Porém, já pensando na próxima temporada, o Flamengo vem trabalhando firme na renovação e contratação de jogadores para elevar o padrão do time, que já era bom.

A divulgação as renovações e contratações começou com o técnico Gustavo de Conti.  Assim sendo, ele continuará no comando da equipe por mais um ano. É ano de final da Champions League e a edição seguinte da competição, para a qual o time já carimbou o passaporte, além do NBB.

Já para as renovações dos jogadores, o Flamengo começou pelo nosso Deus da Raça. Fundamental em quadra em vários momentos da última temporada, pode adicionar mais um ano para o craque Olivinha na linda história que ele tem com o Manto.

Outro que tem uma linda história com o Manto e também renovou contrato é o ídolo Marquinhos. Ele seguirá como um dos principais destaques do time comandado por Gustavo De Conti.

Outra renovação que agradou bastante foi do armador Franco Balbi. Armador, ele seguirá conduzindo o elenco rubro-negro em busca dos principais objetivos no próximo ano.

Outros que renovaram contrato foram o Jhonatan Luz , o  pivô Rafael Mineiro (em sua terceira temporada consecutiva no Flamengo) e Leo Demétrio (o melhor sexto homem da temporada - foi muito importante nas conquistas da temporada passada.

As contratações vão elevar (e muito!) o nível do elenco do Fla BAsquete.

O primeiro a ser anunciado foi Luciano "Chuzito" González. O ala-armador de 30 anos chega ao Rubro-Negro após boa passagem pelo San Lorenzo.

Outro anunciado foi o armador Yago Mateus, de 21 anos, é o novo jogador do Flamengo. Atleta da Seleção Brasileira, o jovem é um dos principais destaques do basquete brasileiro, e chega ao Mais Querido após passagem pelo Paulistano.

A contratação que mais gerou comemoração foi a do Rafael Hettsheimeir. Atleta de seleção brasileira, com experiència no basquetebol europeu, o atleta da Seleção Brasileira chega ao Mais Querido como um dos principais nomes para a temporada.

Para terminar, foi criado um grupo de Whatsapp para debater o basquete do Flamengo: Clique aqui e entre!

Evite sua expulsão do grupo: - Não encha o grupo com stickers, nem mensagens de bom dia - Não xingue o colega - Não tem pra que falar sobre política, religião ou outro assunto

Adiciona mais um título: bicampeão Carioca 2020




Ainda bem que eu não perco a minha capacidade de ficar com o frio na barriga numa decisão de título, seja ele qual for. Para aumentar minha ansiedade, ainda tem toda o imbróglio do Jorge Jesus e sua permanência no Flamengo. No fim do dia, eu já estava com o coração mais calmo em relação à saída de Jesus e feliz com o bicampeonato carioca do Flamengo. Foi o 36º título carioca do Flamengo.

Fora de campo, houve um esforço para tentar aproximar a torcida dos jogadores. Houve rua de fogo na chegada do Maracanã, bandeiras de torcida organizadas, mosaico usando leste superior e inferior, além de som ambiente com gritos da torcida do Flamengo.

O gol do Vitinho, o da vitória, no fim do jogo premiou o time que procurou o jogo todo. Embora ainda esteja longe do Flamengo de 19, o time teve uma melhor do que os jogos passados. Com o Gerson mais atuante e o Filipe Luís como melhor em campo até o momento da sua substituição, o Flamengo pressionou Fluminense em muitos momentos durante todo o jogo no seu campo de ataque. Se a gente não tivesse um Arrascaeta apagado, ER7 em ritmo lento e BH ainda longe da sua melhor forma, o resultado poderia ser mais elástico.

O gol do título veio num chute do Vitinho que desviou no zagueiro e enganou o goleiro, quase no último minuto do jogo. Vale ressaltar que se o Fluminense foi bravo nos outros jogos, jogando pela vitória, ontem se acovardou. Ao jogar por uma bola no contra ataque, deu o campo para o Flamengo jogar e pressioná-lo durante uma boa parte do primeiro tempo. No segundo tempo, ao colocar o Ganso em campo, praticamente carimbou a faixa do Flamengo. A gente sabe que o Flamengo era franco favorito mas não custa a agradecer o técnico do Fluminense pelas substituições que colocaram uma pá de cal na única  estratégia que ele tinha em campo.


O bicampeonato veio e foi mais um título dessa incrível Era que vivemos. Além disso, o Flamengo fecha o ano com título em todo o campeonato que disputou em 2020. Mais um feito para o Flamengo de Jesus, um time que não se cansa de juntar comemorações. 

O Flamengo vai dar um descanso para os jogadores, que voltam a treinar para o início do Brasileiro, no início de agosto.

Foi para o gasto!



O Flamengo venceu a primeira partida da final contra o Fluminense. Em outros tempos, estaríamos radiantes e sacaneando os rivais em mais uma segunda-feira pós-vitória. Porém, com o time em outro patamar, fica sempre a impressão de que jogamos pouco, mesmo depois de uma vitória de 2x1. A impressão é que jogamos para o gasto.

O pior é que jogamos para o gasto e isso foi pouco mesmo. Aliás, depois da volta da pandemia, estamos jogando bem aquém do que podemos. Não há mais a marcação alta, a movimentação está pouca e, com isso, dificulta a troca de passe que é tão comum na entrada da área adversária e jogadores como Everton Ribeiro, Gerson e  Gabigol não vem jogando como antes.

Além disso, há a falta da torcida e a motivação baixa por causa do campeonato carioca. Eu não acredito em elenco cabisbaixo por causa de uma possível saída do Jorge Jesus para o Benfica. Aliás, eu não acredito na possível saída dele.

Nessa primeira partida da final, o Fluminense foi melhor na maior parte do jogo. O preguiçoso time do Flamengo jogou para o gasto, pela vitória simples e em dois lances que lembrou o Flamengo outro patamar, liquidou o jogo e saiu com a vantagem na final do Carioca. Enquanto o Fluminense jogou 100%, o Flamengo não jogou 50% do que pode e venceu. Se por um lado, mostra a diferença entre os times, pelo outro, mostra o quanto estamos aquém do que podemos produzir. Em termos de performance, isso não é bom.

Com gols de Pedro e Michael, o 2x1 em cima do Fluminense mostrou algumas coisas que temos que ficar atentos para o resto do ano. O Gustavo Henrique deu segurança nas bolas aérea na zaga do Flamengo mas no chão não foi bem. A falha de marcação que originou o gol deles é coisa de juvenil. Além disso, as reposições de bola do Diego Alves e a cobertura do Rafinha precisam melhorar.

O Pedro entrou bem demais, gostei do primeiro tempo do Diego, Gabigol aceitou demais a marcação e foi expulso injustamente, Rodrigo Caio com bom desempenho de sempre e o equilíbrio do Filipe Luís e do Rafinha, mesmo afrouxando na marcação em alguns momentos, fizeram com que o Flamengo, mesmo pressionado, não perdesse o domínio das ações dele no jogo. Embora o time não tenha jogado bem, pelo que o Fluminense dominou o jogo, ofereceu pouco perigo ao Diego Alves. Quem destoou mesmo foi o Arrascaeta e o Vitinho. O Arrasca não está jogando bem e o Vitinho, embora tenha ajudado a cobertura da lateral em muitos momentos, tem aquela preguiça de dar continuidade às jogadas. Isso irrita demais.

A vantagem pelo empate para o segundo jogo, que será na quarta-feira, com transmissão pelo SBT, é nossa. Flamengo que se cuide porque o ódio que os jogadores do Fluminense estão, capitaneados pelo seu treinador, é de temer pela saúde física dos nossos. Imagina como deve ser difícil saber que perdem mesmo jogando 100% e outro time a 50%. Deve dar ódio mesmo. Deve dar tanto ódio que tinha torcedor rival comemorando boa atuação com derrota nas costas, numa final de campeonato.

Quarta-feira esse campeonato acaba, ainda bem. Vamos para mais um título, Flamengo. Bora, quem sabe, finalmente, atropelar o Fluminense.

Vai pra cima deles, Mengoooooo!

Finalmente, um domingo de Flamengo!


Estava com saudades de um domingo com Flamengo na minha vida. Almoçar e esperar meu grande amor preencheu meu dia de uma forma que só compartilhando mesmo com vocês. 

A decisão mais sábia que tomei no fim de semana que teria o Flamengo no domingo foi não me estressar antes da hora com a tal plataforma que se anunciou que transmitiria o jogo. No domingo de manhã, testei com a senha que recebi do sócio torcedor e não tive problemas de acesso, embora a imagem fosse ruim. Porém, na hora do jogo, só conseguir acessar espelhando o celular e simplesmente travou com pouco mais de 3 minutos de jogo. Se não fosse uma amiga avisar que o jogo estava liberado na FLA TV, teria sofrido o primeiro tempo todo já que, com o celular espelhado, não teria acesso às redes sociais para a informação. Santa amiga!

Ficou provado que o Flamengo precisa se juntar a parceiros que sejam iguais ou maiores que ele, em qualquer área. Passou da hora do Flamengo deixar de servir de trampolim para empresa menor que nem presta um serviço tão bom. Se queriam fazer testes sobre uma nova forma de arrecadação de um novo modelo que está surgindo, erraram o parceiro e no timing da cobrança para essa arrecadação. Em 2020, ainda tem gente no clube que parece não ter noção das "dores" da torcida do Flamengo, como se comporta. Tudo foi uma bola tão fora que poderia chamar de pênalti do Baggio na final da copa de 94. 

Dito isso, vamos ao jogo, que foi assistido na FLATV, com uma ótima experiência. Eu gosto do Emerson, gosto do Raul Plassmann comentando, da repórter de campo, mesmo não podendo fazer entrevista é boa. Além disso, não tem comentários e narração contra o Flamengo. Acho um espetáculo não ouvir que o Vitinho, jogador que custou 10 milhões de Euros vai entrar no jogo. 

Quanto ao time do JJ, está jogando mais do que antes da parada da pandemia. A troca de jogadores com movimentação no ataque, os botes certeiros no meio de campo que definitivamente não deixa os adversários jogarem faz com que o time tenha amplo domínio das ações. No jogo contra o Volta Redonda, especificamente, o aumento da performance de jogadores como Filipe Luís e Gabigol como garçom vem para solidificar uma nova forma de se jogar.  

O Flamengo atacou com gosto. Se não fosse os toques pro lado na hora da conclusão e o goleiro do Volta Redonda, o melhor em campo, na minha opinião, poderíamos ter saído com uma goleada.  Não é exagero afirmar isso. 

A vitória por 2x0, com dois gols do Bruno Henrique trouxe a vaga na final da Taça Rio. Se vencermos o Fluminense na quarta-feira, ganharemos a Taça Rio e o campeonato carioca. Claro que a expectativa por novos títulos é grande. Há quem queira classificar títulos. Eu quero empilhá-los. 

Vai pra cima deles, Mengo! 

Saudações. 

Foi uma noite histórica!



Para quem acompanha o dia a dia do Flamengo e se interessa por fazer o Flamengo maior, já sabia que, no dia que o clube saísse das amarras da Rede Globo para transmitir os seus jogos, iria ter um retorno importante que ditaria novos rumos para o clube e pro futebol brasileiro.

Sou daquelas que está longe de dispensar a Rede Globo e seus milhões, levando o Flamengo para todo o país. Sei bem que no ano de 2019 eles usaram como puderam o artifício do Premiere e transmitiu pouco para TV aberta, mas eu acho um veículo importante. Mas a gente precisa ter a opção fora da caixa, no caso, da Globo. E a FLATV é o caminho.



Ao fazer a sua primeira transmissão solo de um jogo ao vivo, a FLA TV, braço do clube no Youtube, mostrou com uma boa qualidade técnica que há um IMENSO caminho com inúmeras oportunidades que podem fortalecer, ainda mais, o Flamengo e aproximá-lo de seus torcedores.

Graças a uma MP que permite os mandantes dos jogos transmitirem seus jogos e como o Flamengo não tinha contrato com a Globo para transmissão dos seus jogos pelo campeonato carioca, a FLA TV pôde fazer a transmissão de Flamengo x Boavista, no Maracanã. Pensa num coração aquecido em ver o nosso Flamengo em campo: era o meu!



O Flamengo venceu o Boavista por 2x0, gols de Pedro e Gerson (que merece placa por aquele golaço!). Sei bem que o placar poderia ser maior se o time chutasse mais a gol e não ficasse de toques para o lado. Porém, o resultado foi importante porque mantivemos a liderança de pontos no campeonato e se ganharmos a Taça Rio, que tem a semifinal no fim de semana e a final no meio da semana que vem, o Flamengo é campeão carioca de 2020.

Se dentro de campo a obrigação foi cumprida, fora de campo, a transmissão da FLA TV não deixou nada a desejar. Com o pré-jogo cheio de informações, com o bom Raul Plassmann e Rondinelli numa resenha bem legal, uma narração caseira do jeito que eu gosto e câmeras com ângulos diferentes, eu me diverti a beça com a noite histórica.

A noite foi histórica porque, além de trazer recordes, teve uma importância que  a porta que foi aberta não beneficiará apenas o Flamengo. Tenho certeza que a noite serviu para o Flamengo mudar o paradigma (DE NOVO!!!!) das transmissões esportivas. Com o pico de 2,2 milhões de pessoas assistindo e doações que chegaram a R$ 800 mil (isso carece de maiores informações porque li em rede social), o desafio agora do Flamengo (e de outros clubes) é fazer esse tipo de negócio funcionar para faturar mais do que os R$ 120 milhões que a Globo paga pelo pay-per-view do Brasileiro, por exemplo.

Sei bem que para chegar nesse nível vai demorar. Além de termos contrato até 2024, teremos que ter projeto muito sólido para trazer mais dinheiro do que a Globo paga. Será que conseguirão montar uma estrutura  e parceiros para viabilizar isso sem dar prejuízo ao clube?

Por ora, a porta foi aberta com recordes, boas impressões, torcedores orgulhosos e, principalmente, uma opção para uma caminhada que antes não tínhamos. Isso é importantíssimo.

Vamos crescer, FLATV! É você que, espero um futuro bem próximo, levará conteúdo rubro-negro para todos os cantos do mundo. Rumo aos 5 milhões de assinantes!

Saudações!

O principal benefício da renovação do Jorge Jesus




A renovação do Jorge Jesus caiu como uma bomba na imprensa esportiva. Sem entender o porquê, visto que a renovação era dada praticamente como certa, foi um tal de discutir custo x benefício em cima do salário e tempo de contrato que parece que não aprenderam com os erros passados. E, com isso, não se discutiu o principal benefício da permanência no Flamengo do português mais amado do Brasil.

Independente do quanto o Flamengo vai pagar por mais um ano de contrato do técnico multicampeão, mais do que analisar o custo x benefício, a gente precisa a começar a comentar o que ele pode deixar de herança para o clube para os próximos anos. Seja sincero (a): você já viu alguém comentando sobre isso por aí?

O Flamengo vai pagar muito dinheiro ao Jorge Jesus.Já viu a bolada que ele ganhará se o Flamengo for campeão de tudo? Porém, aliado a isso, seria excelente se houvesse pessoas dentro do clube alinhado com o futuro, para transformar de vez o modus operandi do futebol do clube para não dependermos mais de técnicos ultrapassados com salários astronômicos.  A gente precisa aproveitar esse português maravilhoso para escancarar para a turma do memorando que técnico caro é técnico ruim que não traz títulos e não melhora processo interno em busca de resultados futuros.

Flamengo foi em busca do que há de melhor no mundo do futebol (e em outros esportes) e não é de hoje. Embora eu acredite que esse benchmarking já esteja sendo colocado em prática, aproveitar o mister e sua comissão para potencializar isso é obrigatório.

Estrutura nós temos. Exemplos nós temos. Profissionais, nós temos. O futuro, com  a excelência de um Jorge Jesus, tem tudo para ser o melhor possível. Nem preciso esperar o memorando para ter a certeza disso.


Flamengo e a volta ao futebol em época de Pandemia



Numa reunião envolvendo o Prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o presidente da Federação Carioca de Futebol, Rubens Lopes, foi determinado que os jogos do Campeonato Carioca sejam retomados a partir do dia 14 de junho, um domingo.
Ainda segundo a decisão de Crivella, os treinos dos jogadores já estão liberados a partir dessa terça-feira, dia 26.
Apesar da volta do futebol carioca marcada para o próximo dia 14, os jogos serão feitos sem a presença do público e com algumas medidas de segurança semelhantes as que foram adotadas na Alemanha.  Lá, os jogadores não podem comemorar um gol se abraçando, para evitar todo e qualquer tipo de contato por conta do novo vírus.
O Flamengo já trabalha desde a semana passada, quando o elenco passou por exames médicos e começou com testes físicos e preparação física para o restante do ano.
Os jogadores estão divididos em 2 grupos de 10 jogadores e 1 grupo de 8. Cada grupo tem a sua comissão técnica própria, responsável por conduzir o treino, sob a coordenação de Jorge Jesus. Nessa coordenação, ele chega a ir a campo, passa orientações, mas não participa efetivamente dos trabalhos. 
Fora de campo, o elenco do Flamengo tem cumprido protocolos de segurança no dia a dia do Centro de Treinamento. Os jogadores não circulam em vestiários, têm veículos higienizados na entrada do Ninho e se trocam em quartos individuais no hotel de concentração.
Segundo o Globo Esporte.com, o protocolo de segurança do Flamengo se inicia na chegada ao Ninho do Urubu: todo carro, para entrar, precisa passar por esterilização - houve também exigência para que os ocupantes dos veículos usassem máscara.
Os atletas passam por uma série de exames diariamente, inclusive com questionários, para saber se estavam com algum sintoma de coronavírus.
Para concluir, nove atletas do Flamengo foram contaminados pela Covid-19 desde o jogo com a Portuguesa, dia 14 de março, em um Maracanã já com portões fechados como protocolo de segurança. Desses, dois permaneceram de quarentena até o último fim de semana.
Com a realização novos exames sorológicos na segunda-feira, o clube diagnosticou que ambos estão curados e se juntam aos outros sete que apresentam o chamado IgG positivo com IgM negativo, indicando que o organismo já produziu anticorpos para a doença.
Através de protocolos espelhados em informações aplicada mundo a fora, o Flamengo se prepara para a volta do futebol.

A transparência faz bem!





Em época de pandemia, o Flamengo foi (mais uma vez) precursor no futebol Brasileiro. Ao testar jogadores, funcionários e familiares de jogadores e apresentar resultados de 293 testes, o clube, além de ter informações para, quem sabe, um regresso as atividades, demonstra uma coisa que está em falta no país sobre a COVID-19: a transparência.

Segundo o site oficial do clube, dos 293 examinados, 38 testaram positivo, mesmo sem sintomas, sendo os chamados "positivos assintomáticos". Foram detectadas 11 pessoas que já tinham tido o contato com o vírus previamente, sem sintomas, e já se encontravam com anticorpos IGG positivos. Dos 38 que mostraram reação ao vírus, tivemos seis funcionários do grupo de apoio do Flamengo, dois funcionários de empresas terceirizadas que prestam serviços regulares para o clube, 25 familiares ou pessoas que trabalham em residências de funcionários e jogadores e três atletas do elenco principal; outros dois jogadores apresentaram anticorpos IGG positivos.

Como a transparência faz bem. não é mesmo? Como vivemos, em plena pandemia, uma época de falta de transparência evidenciada com a subnotificação clara de governos federais, estaduais e municipais,talvez mais estejam acostumados com isso.

Obviamente que o resultado abriu uma discussão sobre a necessidade (ou não) da volta aos treinos. Enquanto a maioria critica o clube se movimentar para a volta das atividades, eu fico com o elogio a transparência com que o clube vem atuando sob esse aspecto. Palmas para a transparência das informações, Flamengo. Informações essas que serão importantes e darão todo o respaldo para tomada de decisões que virão a seguir, como implantação de protocolos específicos para evitar a transmissão entre o jogadores, por exemplo.

Particularmente, acredito que não seja a hora de voltar. Se considerarmos o Flamengo uma amostra do que está ocorrendo no Rio de Janeiro (que é o local onde esse pessoal vive), é hora de ficar em casa porque há muita gente sem sintoma ainda circulando e espalhando esse vírus. Infelizmente, para mim, há uma diferença entre a realidade e o que vem sendo notificado dos estragos desse vírus no país inteiro.

Estou com saudades, Mengão. Mas responsabilidade com a Saúde em primeiro lugar.

Saudações!

Com NBB encerrado, Fla Basquete se classifica para Champions League




Assim como já tinha ocorrido com a Superliga de Volei, a a Liga Nacional de Basquete optou pelo encerramento da temporada 2019/20 do NBB devido à pandemia do COVID-19.

A competição termina sem um campeão e a ordem de classificação será mantida e válida como critério de acesso às competições internacionais. Em primeiro lugar, o FlaBasquete tem a vaga na Champions League garantida na próxima temporada.

Com 21 vitórias em 24 partidas, o Orgulho da Nação liderava a tabela com 45 pontos. No fim de março, a LNB anunciou o encerramento da fase classificatória da competição, que seria retomada nos playoffs.

Eu não tenho ideia de quando o basquete voltará a quadra depois dessa pandemia. De qualquer forma, a  classificação para competições internacionais é importante para dar continuidade ao projeto.

Saudações!

Golaço do Flamengo em época de Pandemia




Em tempos de Pandemia, qualquer ajuda, por menor que possa parecer, vale. O Flamengo, que já vinha tendo atitudes bem legais como distribuição de alcool gel e cestas básicas em comunidades carentes, fez mais um golaço: liberou a utilização da marca para quem quiser usar para produzir máscaras para proteção ao Covid-19.

Sendo assim, pelo prazo de 120 dias, o Flamengo  autoriza a utilização de sua marca para pessoas físicas e pequenos empresários, com receita bruta anual de até R$ 180 mil. O prazo de autorização do licenciamento é até o final de agosto de 2020.

Além disso, o clube irá divulgar em seus perfis nas redes sociais as máscaras consideradas mais criativas e com a melhor utilização da marca do Flamengo.

É mais uma possibilidade do pessoal autônomo fazer uma graninha e colocar a economia para girar.

Golaço, Flamengo. Golaço!


Qual foi a última derrota do Flamengo que você viu no estádio?



Dias desses, me peguei tentando lembrar a última derrota que vi do Flamengo dentro de um estádio, na arquibancada.  Se fosse a época que todo jogo tinha pré-jogo e pós-jogo, não teria muita dificuldade de lembrar. Mas, em setembro de 2017, data da última derrota que vi o Flamengo ter no estádio, láááá na Ilha do Urubu, já não tinha tanta assiduidade assim nas minhas escritas aqui no blog

Obviamente que não escreverei sobre aquele jogo mas um personagem dele voltou as páginas do Flamengo por esses dias. Sou capaz de lembrar do lance perfeitamente que o Muralha, no alto da sua prepotência e desrespeito com a torcida, tentou driblar o atacante do Santos e entregou o gol de bandeja. Pois bem Muralha ainda é jogador do Flamengo, com contrato terminando no fim do ano. o Flamengo foi uma mãe para ele, isso não se pode negar.

Aliás, ao lembrar dessa última derrota, passei o ano de 2018 todo sem ver derrota do Flamengo em estádio e o ano de 2019, perfeito, muito menos. A minha alegria dentro do estádio vem sendo contínua, graças a Jesus.

A pergunta está lançada: qual foi a última derrota do Flamengo que você viu no estádio? A minha foi em 2017, Flamengo x Santos - Brasileiro.

Saudações!

Quarentena, sua danada!


Final de 2019. Numa das últimas ligações do ano, mandei para o amigo: que em 2020, a gente tenha muito Flamengo. Quis o destino que, quase chegando em Abril, parece que a gente vive um mês de férias, mês que eu sofro pela ausência do Fla em campo, eterno. Aquele 3x0 pela Libertadores está tão longe que nem parece que foi outro dia. 

Hoje, eu completo 15 dias de quarentena. Nesses 15 dias, saí 2x pra ir ao mercado.  O trabalho em casa ajuda, obviamente. Estaria de toda boa se não fosse a quarentena de Flamengo. Que saudade absurda de ver o time jogando. Nem assistir jogos antigos, mesmo aqueles mais felizes, tira esse vazio de saudade. As vezes, no meio do dia, suspiro ao lembrar Bruno Henrique aprontando correria, Gabigol debochado comemorando mais um gol, Everton Ribeiro como regente do lindo show que o time afinado do Flamengo estava habituando a dar. Ah, quarentena, sua danada! 

Enquanto a vida não volta ao normal, vou matando essa saudade revendo nosso passado recente. Acha que sua vida está ruim, ficando em casa por causa de um vírus? Imagina o torcedor que, além da quarentena, não tem um ano de 2019 pra chamar de seu. 

Continue em casa, consuma o conteúdo do Mengão em redes sociais porque quanto mais quietos ficarmos, mais rápido tem Mengão! 

Acaba logo, quarentena de Mengão!