Migonianas: os desafios do novo Presidente do Flamengo

Migonianas: os desafios do novo Presidente do Flamengo




(Foto: Extra)

Após uma campanha bastante acalorada – e que me rendeu pessoalmente alguns dissabores, desafetos e antipatias – eis que Eduardo Bandeira de Mello (foto), da Chapa Azul, foi eleito o novo presidente do Flamengo na noite de ontem.

O objetivo deste post é tentar elencar os desafios que a nova diretoria terá nos próximos três anos, bem como registrar algumas impressões de quem acompanhou de perto o processo e teve acesso a algumas informações de bastidores.

Uma primeira coisa a ser dita é que apesar da eleição de Bandeira de Mello, o poder estará concentrado nas mãos de duas pessoas: Luis Eduardo Baptista (o "BAP"), diretor de marketing (e presidente da SKY) e o gestor profissional Wallim Vasconcelos. Bandeira de Mello somente foi o candidato porque os dois citados se tornaram inelegíveis durante o processo eleitoral – BAP já o era antecipadamente.

Apesar das afirmações em contrário, parece claro que a gestão será ainda sob o velho modelo, com alguma profissionalização em alguns setores – o que já seria grande avanço. O vice presidente eleito Walter D'Agostino é da "velha turma" e alguma composição com lideranças políticas teve e terá de ser feita – vale lembrar o apoio de ex-presidentes como Kleber Leite e Márcio Braga à chapa.

Algo que a diretoria eleita terá de lidar é com a expectativa da torcida por resultados rápidos – e revolucionários. Quem acompanhou a campanha (especialmente nas redes sociais) viu um messianismo incontrolável, com patrulhamento ideológico e altíssima expectativa. Paralelamente toda uma curva de aprendizado terá de ser realizada, pois os eleitos não possuem experiência anterior em um clube de futebol.

Em tempo: pessoalmente, não acredito em "salvadores da pátria" e coisas correlatas. Acredito em trabalho duro e, o mais importante: dentro das regras estabelecidas.
Além disso, apesar do discurso de que "o Flamengo tem de trazer a torcida para a sua casa", por tudo que acompanhei durante o processo não acredito que o clube implemente um projeto de sócio torcedor com direito a voto. Algo nesta linha, se houver, será apenas algo como programas anteriores, talvez com facilidades para compra de ingressos – e olhe lá.

Também por tudo que houve durante a campanha – quem expressava ressalvas ou críticas era severamente patrulhado, a ponto de aqui mesmo terem vindo me xingar em mais de uma ocasião – acredito que haverá alguma tentativa de se calar críticos e mesmo restrições ao trabalho da imprensa. Não me surpreenderia com tentativas de expulsão em massa de opositores e processos judiciais a críticos da gestão.

Uma coisa a meu ver é certa: não deverá ser uma gestão muito "democrática", no sentido de se ouvir críticas ou demandas de sócios, stakeholderse torcida. Espero sinceramente estar errado nesta avaliação.

Deve-se observar também qual será a atitude da diretoria eleita em relação às torcidas organizadas. Embora a chapa tenha sido apoiada por praticamente todas as principais torcidas, acredito que haja um distanciamento da diretoria eleita às TOs, inclusive com desvinculação total do clube em relação a estes torcedores. Mas neste caso específico, na teoria a prática é outra: então teremos de aguardar.

Outra questão que a diretoria eleita terá de lidar são com os conflitos de interesse evidentes que fatalmente ocorrerão entre o clube e as empresas dos executivos integrantes da diretoria. Não vi em nenhum lugar referências ao modelo de governança que será adotado, de modo que não se sabe o que ocorrerá quando estes interesses conflitarem.
Um desafio a ser enfrentado é a questão da dívida. Houve crescimento indubitável nos últimos três anos e mesmo a formação de um "comitê de renegociação" talvez não seja suficiente para se alcançar uma solução sustentável e com resolução a curto e médios prazos. Além disso, há pendências de salários, contas de concessionárias e outras dívidas de curto prazo a serem equacionadas rapidamente.

Sobre o time de futebol, este precisa de uma reformulação radical. Talvez para o Estadual valesse a pena mesclar os garotos com dois ou três mais experientes a fim de se ganhar tempo e permitir a montagem de uma equipe forte para o Campeonato Brasileiro, maior objetivo do ano.

O futebol precisa ser rapidamente reformulado e o caminho híbrido que deverá ser tomado pela nova diretoria precisará ter uma calibração eficiente. Digo híbrido porque a plataforma de campanha promete profissionalização total, mas em termos de governança ainda haverá subordinação ao Diretor Amador. Isso foi tentado outras vezes e não deu muito certo.

Mais um desafio que a nova diretoria terá de enfrentar é o estádio a ser utilizado pelo clube. A plataforma indica a construção de uma nova arena para 50 mil torcedores e a não participação no Maracanã nos moldes em que foi colocada pelo governo do Estado a concessão de uso. Vale lembrar que o contrato para o uso do Engenhão, que vence dia 31 próximo, não foi renovado, o que significa que há um problema premente a resolver – onde jogar o Campeonato Estadual e o início do Brasileirão?

Tarefa hercúlea, destarte, é reestruturar o marketing do clube, que passou 2012 inteiro sem um patrocinador master e ainda adquiriu a fama de não respeitar os contratos que assume – haja visto o recente distrato com a Olympikus. Pelo menos o indicado para empreender este trabalho de reconstrução é o respeitado e competente João Henrique Areias, em quem confio.

Não podem ser esquecidos, também, a sede social e os esportes olímpicos. Carros chefes da administração anterior, demonstraram que carreiam um número expressivo de votos e não podem ficar esquecidos pela diretoria que assume.

Patrimonialmente o clube precisa completar o processo de cessão do prédio do Morro da Viúva (no bairro do Flamengo), que será transformado em hotel. Além de encontrar uma destinação para o casarão de São Conrado, utilizado antigamente como concentração do elenco profissional e hoje desativado.

Encerro esperando que a diretoria eleita cumpra os compromissos assumidos em campanha e desejando sorte na tarefa de devolver ao "Mais Querido" seu lugar de protagonismo no futebol brasileiro. O mercado está mudando, o bonde da História está passando e não podemos perder nosso papel de destaque.

Saudações rubro negras.

Migonianas é uma coluna escrita pelo rubro-negro Pedro Migão, blogueiro que, eventualmente, escreve sobre o Flamengo, dentre outros assuntos.

Acesse o Ouro de Tolo, o blog do Pedro Migão.



Recado do Flamengo ao mercado

Recado do Flamengo ao mercado

Não sou expert em marketing, nem finanças, nem em administração pessoal. Não sou uma profissional do business, desses que trabalham a vida toda em multinacional e não tenho nem metade da bagagem empresarial dos Smurfs. Mas aprendi, dentro de casa, que um bom nome na praça vale muito e te abre portas inacreditáveis. Quando você não tem essa boa reputação, o jeito que se tem para conquistar esse bom nome e mudar a imagem de como alguém te vê, é necessário agir como você nunca agiu. E é esse o recado que a diretoria do Flamengo está mandando, dia após dia, para o mercado de uma forma geral.

Não acredito que o Flamengo, algum dia, tenha tido o real interesse em contratar o Robinho. Robinho não é um jogador carismático, não tem história com o Flamengo, não tem tanta moral com a Nação e a hora para lucrar com ele já passou. Contratá-lo para servir como grande ídolo do Flamengo em 2013, numa nova gestão? Com essa gestão? Não combina! Não "fecha"! Não bate!  Mas, dessa vez, uma negociação teve pontos positivos para o Flamengo. Ao recusar o Robinho enfatizando que não seria contratado por causa dos valores, por causa de grana, Flamengo disse "aqui não tem espaço para loucura" e que austeridade financeira é palavra da ordem na Gávea.

Recuperar a credibilidade do Flamengo no mercado não será simples. São anos e mais anos de calotes diversos. Reduzindo contas, cortando o que não traz o retorno para o clube (como a equipe de Natação) e mostrando que aquilo que se fala, condiz exatamente com aquilo que faz, o Flamengo vai somando pontos positivos que melhorarão a sua imagem no mercado.

O recado está dado. O Flamengo de outrora, com contratos mal formulados, feitos na pressa e que não beneficia o clube, está com os dias contadissimos!

Vamos torcer para que os Smurfs não percam o fôlego. O futuro com o céu azul, sem nuvem, é o rubro negro deseja. Ou não?

 

Renovação do Renato: um mal necessário?

Renovação do Renato: um mal necessário?


Saiu a noticia da renovação do Renato Abreu, o Canelada, o Saci, o Renato Pelé ou o Black Sócrates. Longe de ser uma unanimidade na torcida, parece que a nova diretoria e o antigo treinador não tem duvidas quanto a importância do Renato para o Flamengo de 2013. Além do mais, pelo que parece, ele topou sem pestanejar muito uma redução salarial que foi de encontro com a nova política do Flamengo. Uniu o útil ao agradável.

Na teoria, a permanência do Renato parece a continuidade do velho Flamengo, do Flamengo da panela, do Flamengo que nós temos a esperança que não exista mais. Renato Abreu aparece, para muita gente, como paneleiro, manipulador, jogador sem ímpeto e sem compromisso (como esquecer aquele calcanhar que originou o gol do Corinthians no Engenhão no Brasileiro de 2012? Eu não esqueço!). Além disso, tem uma idade avançada, a posição que ele joga não é uma posição carente no elenco atual do Flamengo e não tem histórico de título no Flamengo.

Mas na prática...  Na prática, o resgate que a grande maioria quer para o Flamengo, tanto dentro quanto fora de campo, precisa de pessoas que saibam o que é ser Flamengo. Pessoas que saibam o que é vestir o vermelho e preto. Pessoas que saibam o que o Manto representam. Fora de campo, temos uma legião de pessoas bem intencionadas com amor pelo Mengão aflorando. Pessoas que sabem o que é um Flamengo de vitórias e de glórias. Mas e dentro do campo? Será que os garotos, que vem da base, estão preparados para esse resgate? Será que esse resgate vai vir de um jogador contratado em Janeiro? E acho que é nessa nuance que o Renato Abreu se encaixa! Conhece o Flamengo, sabe o que e o Manto e tem experiência o suficiente para ajudar nesse processo de resgate.

Renovaram o contrato do Renato por necessidade. Aliás, acostume-se: nada nessa gestão é por acaso.

Você tem todo o direito de reclamar, eu lamentei quando fiquei sabendo da renovação. Mas sabe aquele tipo de coisa que você engole seco, deixa passar porque tem uma coisa melhor lá na frente? Estou apostando nisso!

A-CA-BOU! A-CA-BOU! A-CA-BOU!



Estava procurando vídeos para colocar no FLAMENGO VIDEOS como faço toda manhã. Como a atualização é diária (ou quase!), vejo dezenas de videos. Uns me agradam, outros não.

Não sei se é porqe estou sensivel com toda essa mudança que já está acontecendo no Flamengo, mas um video me emocionou que eu vi o quanto sofremos nesses últimos tempos!

Vou dizer e repetir quantas vezes forem necessárias: graças a Deus o Flamengo está livre da Patricia Amorim e das pessoas que a rodeiam.

Veja o video, leia o que está escrito e DUVIDO você não se emocionar. DUVIDO!

ACABOU! A-CA-BOU!

Ooooolha, 2012 indo emboooora... Graças a Deus!



Sabe aquele ano que você termina pensando "poderia ter sido pior"? Esse ano foi assim com o Flamengo. Time ruim, com a falta de sorte nos acompanhando em muitos momentos,  brigas internas imensas, muito disse me disse pela imprensa, energia negativa rolando... Foi um ano dificil, mas poderia ter sido pior. E poderia ter acabado céu escuro, sem perspectiva para nada.

Nunca acreditei que iríamos ser rebaixados e o grande fato do ano, com tanto resultado ruim, foi a saída da Patricia Amorim do comando do Flamengo. Impressionante como há contratos mal feitos, histórias mal contadas e problemas a serem resolvidos. Acho que, depois da derrota e com algumas coisas mais expostas do que já estavam anteriormente, é complicado alguém defender, sumariamente, a permanência da Patrícia.

PessoALL, caminhamos juntos, sempre, pelo bem do Flamengo. Vamos ter a paciência para os caras que lá estão, porque eles farão o que tem que ser feito. 

Com a assinatura do novo contrato da Adidas e a implantação de uma nova filosofia parece que o afastamento do céu escuro qe estávamos para um horizonte com o céu azul é uma realidade no Flamengo. E que essa realidade seja com mais motivos para sorrirmos, mais motivos para cantarmos, mais motivos para vibrarmos, mais motivos para comemorarmos.  É assim que eu quero o nosso 2013 com o Mengão. É assim que eu desejo o 2013 para a sua vida!

O Primeiro Penta, nessa semana de Natal/Ano Novo, entrará em recesso e passará por mudanças. Um novo layout está sendo feito para esse blog, para o Flamengo Videos e para o Flamengo Fotos, com nova logo e uma melhor organização interna. Mas continuarei pelas Redes Sociais, com as principais notícias do Mengão!

Boas festas para você e sua família e obrigada pela sua companhia ao longo do ano!

2013 será o ano rubro negro. Vamos ter fé e quem viver, verá!

A Nação Rubro Negra foi, é e sempre será a maior!

A Nação Rubro Negra foi, é e sempre será a maior!

Esse texto da Torcida Raça Rubro Negra chegou pra mim através de um amigo querido, que vive o Flamengo diariamente, inclusive mais do que eu. É uma carta aberta à Nação, falando da pesquisa Data Folha e porque eles nunca serão como a gente.

Vale a pena dar uma lida:

"Foi, é e sempre será a maior!

As recentes pesquisas divulgadas pelo Datafolha, referentes ao numero de torcedores de cada clube, se torna um tanto quanto duvidosa. O Datafolha simplesmente assassina cinco milhões de rubro negros e faz nascer 10 milhões corintianos em três anos. A forma em que foi divulgado o resultado, sem as casas decimais, tornou a torcida corintiana equivalente à torcida rubro-negra no território nacional.

No dia 18 de dezembro de 2012 foi divulgado o resultado com as casas decimais, colocando a Torcida do Flamengo com soberania novamente no Brasil, com 16,27% de torcedores em todo território nacional e a torcida do Corinthians com 15,56%.

A torcida rubro-negra sempre se mostrou superior, em números e qualidades à torcida corintiana. O Flamengo é o Clube da massa e de preferência em todo planeta. Aonde quer que o Flamengo esteja, estará sempre uma Nação de admiradores por perto. Nos estados que o Flamengo passa acontece um movimento de todos os cantos do Brasil para acompanhar de perto o time do coração. Nossa torcida não se localiza única e exclusivamente e um estado e sim em todo o mundo. O Flamengo não é um clube carioca, nem tão pouco um clube brasileiro, que não depende somente do estado de sua sede para ter a torcida em evidencia. O Flamengo é um clube do mundo.

A origem da torcida do Flamengo, que vem de todos os cantos e todas as classes sociais, torna sua história peculiar. Uma torcida pioneira, que moldou o cenário atual das torcidas e tem como marca sua originalidade de cultura. Em dicção simples, a torcida do Flamengo ensinou o mundo como torcer, é essa a realidade.

O Flamengo é um clube amado, é o mais querido do Brasil. Desde o primeiro campeonato que sagrou o Flamengo campeão, os jogadores abriram mão do conforto e da festa comemorativa tradicional da época e foi as ruas comemorar junto à torcida, que já era enorme em seu tamanho, trouxe milhões de adeptos apaixonados, seguidores incondicionais. A movimentação da torcida rubro-negra, gerada em jogos, é de dar inveja até aos mais orgulhosos.

O Flamengo é movido à paixão, tanto dos dirigentes, aos torcedores, passando por jogadores, familiares e todos os seguimentos envolvidos, paixão essa que está até no peito do maior rival. Sete vezes entre os 10 maiores públicos do Campeonato Brasileiro, consagra a torcida do Flamengo, com a maior média de todos os tempos em 1980 e por 11 vezes tendo a melhor média de clube do Brasileirão, colocam a vantagem do Flamengo cada vez maior em relação as torcidas rivais. Esses dados mostram o quão grandiosa, apaixonada e presente é a torcida do Flamengo. Tendo a maior média entre artistas e celebridades, a nossa favela é composta de alta sociedade e também de pessoas de origem pobre e humilde.

A vasta sala de troféus do Flamengo de diversos esportes nos põe a frente de qualquer clube, os títulos consagrados dentro de campo, mas não homologados pelas instituições incompetentes são levados na memória e no sentimento de quem viveu suas épocas.

A cada momento tentam diminuir o Flamengo, mas sua torcida mantém a essência viva e, com objetividade, permanecemos lado a lado com o clube.

Somos o clube com maior número de Brasileiros, que teve seu início em 71, somando 6 ao total e que jamais disputou outra divisão sem ser a elite do futebol. Em 2010 a CBF, considerou o a Taça Brasil e a Taça de Prata como "Campeonato Brasileiro", consagrando Pelé como maior campeão brasileiro e mais uma vez boicotando o Flamengo, não reconhecendo o título de 87 como legítimo, dando o título a um time disputando um torneio com os moldes da segunda divisão.

É inaceitável a maneira que tentam agredir o Clube de Regatas do Flamengo e beneficiar outros clubes. Uma torcida, somando um total de 40 milhões espalhados por todo globo, merece o respeito das autoridades competentes.

Jogamos juntos ao clube, fazendo do Flamengo maior e mais forte. Até  mesmo o jogo de microfones das televisões, põe claramente o quanto se é manipulado um resultado, tendo que visto próximo nenhuma torcida consegue suprir por todo decorrer da partida como a torcida do Flamengo faz. O diferencial de "jogar junto", de incentivar a todo custo um clube, de ser considerado 12º jogador e parte integrada do time, só a torcida do Flamengo tem.

Fizemos história, estamos fazendo história e não é uma pesquisa que muda nosso objetivo principal e nem mudará nosso sentimento pelo Flamengo.

A torcida do Clube de Regatas do Flamengo é uma torcida diferente, a torcida do Flamengo é única e continuará fazendo seu papel. Seja contra a modernização ou elitização do futebol.

A torcida do Flamengo é incomparável, incansável e insuperável.

                                                                                           Raça Rubro-Negra – O Maior Movimento de Torcidas do Brasil!"

Seja bem-vinda, Adidas!

Seja bem-vinda, Adidas!

Não posso negar que eu estou orfã com a saída da Olympikus do Flamengo. Acho eles um parceiro exemplar e que sempre respeitou o Flamengo. Como ultimamente temos levado algumas "porradas" de parceiros, a relação da Olympikus com o Flamengo era um alento para o meu coração. Pena que a diretoria do Flamengo, ao negociar com a Adidas da forma que foi, não respeitou esse parceiro, a Olympikus. Acho que, por ser uma parceira comercial, o Flamengo tinha todo o direito de ir atrás de um contrato melhor, como é o caso com a Adidas. Mas a forma que foi feita, a forma como a Olympikus foi tratada, não foi legal. Num certo momento, a postura do clube me envergonhou.

Porém, depois da votação no Conselho Deliberativo para a aprovação do contrato com a Adidas, é vida nova. É dinheiro entrando no clube na mão de gente que se tem esperança que fará a coisa certa. Se para todo mundo a esperança tem a cor verde, para a Nação, a cor da esperança é azul.

Alguns detalhes desse contrato passa pela bola de dinheiro que o Flamengo receberá por ano e por premiação. Haverá o pagamento de "taxa de início de parceria", no valor de R$ 38 milhões (R$ 13 milhões até 30 dias após a assinatura do contrato e R$ 25 milhões até 15 de fevereiro). Do primeiro ao quinto ano de contrato, o Flamengo receberá um pagamento fixo de R$ 12,5 milhões. Do sexto ao décimo ano, o montante passa para R$ 17,5 milhões. Serão R$ 380 milhões por 10 anos de contrato.

A premiação por titulos foi dividida em duas etapas: 

Do primeiro ao quinto ano de contrato: Carioca vale R$ 250 mil, Copa do Brasil vale R$ 300 mil, Copa Sul-Americana vale R$ 400 mil; Brasileiro Série A vale R$ 1 milhão
Copa Libertadores vale R$ 1,5 milhão; Mundial da Fifa vale R$ 800 mil.

Do sexto ao décimo ano de contrato, os valores são ainda mais vultosos: Carioca, R$ 300 mil;  Copa do Brasil, R$ 380 mil;  Copa Sul-Americana, R$ 400 mil; 
Brasileiro da Série A, R$ 1 milhão;  Copa Libertadores, R$ 2 milhões;  Mundial da Fifa, 800 mil.



Além disso, Adidas promete colocar o Flamengo no TOP 5 dos seus times patrocinados, o que elevaria e muito a marca Flamengo no mundo inteiro. A animação para essa nova parceira, com o manto com a qualidade que a Adidas empresta aos seus produtos tem feito muito rubro negro sonhar acordado com os modelos que virão.

MUITO OBRIGADA à Olympikus pela excelente parceria.

E seja bem-vinda Adidas. Que seja o ínicio de uma parceira tão boa quanto a Olympikus foi e ainda mais vitoriosa!

O Campeonato Brasileiro de 1983. Mengão Tri Campeão!

O Campeonato Brasileiro de 1983. Mengão Tri Campeão!


Conversando semana passada com um rubro negro de uma vida toda, ele me falou com tanto carinho do Campeonato Brasileiro de 1983 que resolvi ir buscar na história como foi essa conquista.

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1983 foi vencido pelo Flamengo, que se tornou o quarto clube brasileiro a conquistar um bicampeonato (como Santos,Palmeiras e Internacional), e o terceiro a chegar a três títulos, igualando os feitos de Internacional, Palmeiras e Santos.

No aspecto mais geral, foi mantida a fórmula de disputa dos dois anos anteriores. Mas foi criada uma terceira fase de grupos antes das finais eliminatórias, e mais uma vez alteraram-se os critérios de desempate na fase final. Pelo terceiro ano consecutivo, manteve-se o acesso direto de 4 clubes da 1ª fase da Taça de Prata para a 2ª fase da Taça de Ouro. Desta vez, os beneficiados foram Guarani, Botafogo/SP, Americano e Uberaba.

Mudaram também os critérios de inclusão dos clubes no campeonato, que haviam sido bastante rígidos em 1981 e 1982: o Santos, que terminou o ano como vice-campeão brasileiro, participou da Taça de Ouro como convidado, já que fora nono no Campeonato Paulista do ano anterior.

Fórmula de disputa

Primeira Fase: 40 clubes organizados em oito grupos com cinco clubes em cada. Jogando em turno e returno, classificando-se os três primeiros colocados de cada grupo; o quarto colocado de cada grupo vai para a repescagem.

Repescagem Os clubes que ficaram na quarta colocação de cada grupo da primeira fase são dispostos em quatro pares, enfrentando-se em jogo único; os 4 vencedores classificam-se para a segunda fase.

Segunda Fase: Os 24 clubes classificados na primeira fase, mais os 4 classificados na repescagem, mais os 4 primeiros colocados da primeira fase da Taça de Prata, totalizando 32 clubes, são divididos em oito grupos de quatro clubes. Jogando entre si dentro dos grupos, em turno e returno, classificando-se os dois primeiros colocados de cada grupo.

Terceira Fase: Os 16 clubes são divididos em 4 grupos, 4 clubes em cada. Jogam em turno único dentro de cada grupo, classificando-se os campeões para a fase final.

Fase Final (com quartas-de-final, semifinais e final): sistema eliminatório, com jogos em ida-e-volta, tendo o clube de melhor campanha o mando de campo no segundo jogo. No caso de empate na soma dos resultados, classifica-se o clube de melhor campanha em todo o campeonato.

O primeiro jogo da finalfoi realizado no dia 22 de maio, e só deu Santos, o time do litoral paulista foi melhor, e fez 2 a 0 com tranqüilidade. Baltazar, o "Artilheiro de Deus", contratado para substituir Nunes, ainda conseguiu um gol que diminuiu a vantagem do Santos.

Na volta, no dia 29 de maio, com o Maracanã lotado, com um público de 155.253 pagantes que acompanhou uma aula de futebol. Logo aos 40 segundos, Júnior chutou, Marolla rebateu, e Zico marcou o primeiro gol do jogo. O Flamengo era só pressão e foi premiado aos 39 minutos, quando Zico bateu uma falta da direita e Leandro fez de cabeça o segundo gol. O Santos ousou no segundo tempo e deu brechas para o contra-ataque do Flamengo. Num desses lances, Robertinho deu uma arrancada sensacional pela direita e cruzou na cabeça de Adílio que selou, aos prantos, a conquista rubro-negra. O fato lamentável da final foi uma briga entre os jogadores do Santos (provocada pelo experiente goleiro Marolla) e alguns fotógrafos, à beira do campo. Mas nada tiraria o brilho de um time que era campeão da Taça de Ouro pela terceira vez em quatro anos.

Flamengo tricampeão Brasileiro.

E a constelação rubro negra celestial ganha um reforço

E a constelação rubro negra celestial ganha um reforço
Manguito Flamengo ex-jogador (Foto: Janir Júnior / Globoesporte.com)

Alberto Gonçalves, mais conhecido como Manguito, faleceu na noite deste domingo aos 59 anos de idade. O ex-jogador do Flamengo participava de um evento na Lapa, Centro do Rio, quando passou mal e sofreu um infarto fulminante. Manguito havia sofrido uma isquemia meses antes e ainda estava em tratamento de recuperação. O velório do ex-zagueiro será nesta segunda-feira, no Clube Pavunense, na Pavuna, Zona Norte do Rio. Era neste local que Manguito dava aulas na escolinha de futebol. O enterro será as 16h, no Cemitério de Irajá.

Manguito atuou pelo Flamengo por três anos, de 1978 até 81. Jogou 114 partidas e teve participação em conquistas marcantes na história do time. Foi campeão brasileiro em 1980, tricampeão carioca (1978, 1979 e 1979 Especial) e foi bicampeão do Troféu Ramón de Carranza (1979 e 1980).


Paulo Pelaipe é um bom nome pro futebol do Mengão em 2013?

Paulo Pelaipe é um bom nome pro futebol do Mengão em 2013?


Claro que, assim que soube da contratação de Paulo Pelaipe pelo Flamengo pra gerenciar o futebol no Flamengo, fui no Google. Ele não era o nome mais cotado para o cargo. Falava-se em Felipe Ximenes, do Coritiba, e Eduardo Maluf, do Atlético-MG. Ele tem como missão inicial definir a situação de de Dorival Júnior e de Zinho, reforçar o time e resolver os contratos que estão para terminar - casos de Renato Abreu e Léo Moura, entre outros. A missão não será fácil, mas quem disse que as coisas no Flamengo são fáceis?

Quanto a busca que fiz no Google, tirando o episódio lamentável de racismo no Engenhão no jogo Flamengo x Gremio, há opiniões contrárias e favoráveis sobre a atuação dele a frente do Gremio. Como não acompanhei, é impossível determinar a compretência ou não do cara na função.

Mas tenho que confessar: mais do que nunca, estou numa fase de apoiar o que se for fazer no Flamengo. Esse é o meu papel de torcedora, essa é o minha obrigação civica com a pátria vermelha e preta. Confiar nos Smurfs, além de ser uma obrigação, é um ato de fé, é acreditar que os caras vão fazer o melhor que puderem. A escolha de um nome por esses caras tem um peso imensurável, onde amadores passarão longe da Gávea. E isso já é um bom início. Então, porque duvidar que o Pelaipe é competente?

Boa sorte à quem foi escolhido pela mãos de quem eu depositei toda a esperança de ver o Flamengo melhor.



OBS.: Que espetáculo não ter NENHUMA notícia dessa negociação vazando para a imprensa! Que espetáculo ver as coisas no Flamengo se resolvendo sem um burburinho, sem um "furo", sem um setorista dando a noticia atravessada para uma galera que está ansiosa demais. Que seja o inicio de um tempo onde as notícias do Flamengo sejam dadas por um orgão oficial do clube, como o Zico tentou fazer quando esteve lá!

Paredão Rubro Negro: quem sai e quem fica em 2013



Não, esse não é um texto sobre o Felipe e as suas atuações em 2012. Com o fim da temporada, chegou a hora de nos livrarmos de baranga que tivemos que aturar o ano inteiro. Ó, vou te contar: só muito amor pelo Mengão pra aturar as fases de certos jogadores.

Explicarei o porque de cada um que não quero, mas, seja quem fique, o importante é ter a seriedade que o Flamengo merece. Chega de bagunçarem com o Flamengo.


Léo Moura - Apesar de ter sido muito importante na história recente do Flamengo, o ano de 2012 com péssimas atuações, 4 lesões que o deixou muito tempo afastado do time e ser barrado pelo Wellington Silva decretou o ciclo do Léo no Flamengo. Não é mais o jogador competitivo de outrora.

Airton - Nem de longe repetiu as atuações de 2009 e é um perigo eminente el relação a expulsões e deixar o time vulnerável. Pelo preço que o Flamengo paga por ele, deve ter substitutos.

Ramon - Que venha um lateral esquerdo a altura do Flamengo. A disposição que ele tem não fez diferença nas suas atuações. Incontáveis foram os gols e lances de perigos que o Flamengo levou em 2012 por aquele setor.

Ibson - Contratado a peso de ouro, nem de longe repetiu as atuações que já teve com o Manto. Erra passe demais, reclama demais e faz de menos.

Renato - Embora tenha tido uma atuação mediana em 2012, não acredito que possa jogar em alto nível. No paredão rubro negro, talvez seria o único que eu pensaria duas vezes em mantê-lo no clube.

Maldonado - Mais tempo fora do que disponivel para o elenco, está com idade avançada e lesões demais. Tchau, Maldonado.

Bottinelli - O argentino mais sem sangue que eu vi jogar na vida, chegou super valorizado e vai embora desvalorizado. Se não teve sequencia de jogos, quando entrou em campo não correspondeu as expectativas.

Negueba - Já está negociado com o São Paulo. Flamém!

Magal - Depois que o Itamar saiu do Mengão e a música perdeu a rima (quero vê-la sorrir, quero vê-la cantar, quero ver o Magal, cruzar pro Itamar!), não tem mais sentido manter um lateral que não acerta um cruzamento no elenco do próximo ano.

Hernane- Que venha atacantes que não briguem com a bola! \o/

Paulo Victor - Temos dois goleiros de nível parecido. Escolhi o Paulo Victor porque, na minha opinião, falha mais que Felipe. Bora fazerum dinheiro com ele!

Liedson - Se tiver um joelho novo, pode to be. TEM? Lento e pouco competitivo, não deveria nem estar no Mengão!

Rômulo - Só o Joel aguenta o Romulo. Como o Joel não deve ser o técnico do Mengão em 2013...

Arthur Sanchez - Nem você sabia que ele ainda fazia parte do elenco do Mengão, né? Pois é...

Cleber Santana - Gosto do tipo de jogador que ele é. Mas teve uma partida boa e nada mais. Flamengo precisa mais que isso!

Vagner Love - Devolve pra Russia e quita a dívida que o Flamengo tem com os caras. Vai perder gol na Russia! Energia da Paty, quero fora do Mengão!


Apostaria nos garotos da base. Não sei se é a hora, mas há algum tempo o Flamengo não produz uma geração como essa, com tantos bons jogadores. Podem não ser craques, mas tem muito garoto que barra os perebas que vem em negociações que ninguém consegue entender o porque!

Vamos ter em 2013 vitorioso! Tenho fé nisso!

A mudança de fora pra dentro: a força das Redes Sociais na eleição do Flamengo

A mudança de fora pra dentro: a força das Redes Sociais na eleição do Flamengo

Quando as eleições do Flamengo começaram e os candidatos começaram a pipocar, apenas uma chapa procurou o Primeiro Penta. Mais do que o próprio apoio do blog (que pra mim é irrisório), ele buscava as opções de Rede Sociais para dar base a campanha da Chapa, a Chapa Azul. O Tiago Cordeiro e a Chapa Azul não ganharam o apoio do blog, porque, mesmo não acompanhando a eleição como blogs que fizeram um trabalho espetacular como o Magia Rubro Negra e o Blog Ser Flamengo, eu queria ter isenção total para falar o que eu quisesse falar, sem amarras com apoio dado.

E assim procurei direcionar o perfil do blog em Redes Sociais. Para escrever os posts sobre candidatos, foram horas de videos assistidos, aúdio dissecados e textos lidos. A formulação da minha opinião, como pessoa, em cima de chapas tão diferentes sem  demonstrar a preferência por uma delas foi muito complicado. Acredito mesmo que, se você "bate" muito numa Chapa, falar dela num "perfil", fica complicado. E não queria que faltasse credibilidade ao que estava escrevendo.

Não sei se a mobilização das Redes Sociais fez a Chapa Azul ganhar essa eleição. Mas quem achava que o Flamengo não mudaria de fora para dentro, se enganou. A campanha, que cresceu fora do clube, entrou dentro do clube como uma avalanche. Mesmo. Ontem na Gávea faltavam camisas azuis. As rosas estavam sendo distribuídas com caixas e mais caixas e ninguém pegava.

Vale destacar os blogs que citei acima, o pessoal do FMAF que pegou vários integrantes da Chapa Azul em "entrevistas", inclusive com o Rei, o trabalho da TozzaCam, com o André Tozzini, o Pablo, o Patrick trazendo os "cabeças" da Chapa Azul, transmitindo eventos como a caminhada e todos os outros que apoiaram sem nunca perder o respeito pelas pessoas das outras chapas.

E acho mesmo que o Tiago, que trabalhou na campanha da Chapa Azul, é um exemplo  de um trabalho sério e determinado (e não foi só ele que fez esse trabalho!). Sem jamais perder o foco, sem jamais perder o respeito conseguiu na noite do dia 3 de dezembro a maior vitória do Flamengo nos últimos 3 anos.

Um viva ao trabalho bem feito. Um viva ao novo Flamengo.

Tudo azul no mundo vermelho e preto: como foi a eleição do Flamengo


Foi uma tarde/noite para o meu coração vermelho e preto não esquecer jamais. Rodeada de pessoas espetaculares, com o sentimento de esperança e histórias espetaculares, o azul tomou conta da Gávea num clima de respeito e cordialidade que muita gente não esperava. Assim foi a eleição do Flamengo, assim foi a vitória dos Smurfs.

Saí do lugar que estou rumo à Gávea sem almoçar. Pensei: como qualquer "negócio" lá porque quanto mais tarde chegar, pior deve ser para entrar no clube. Fui com o coração cheio de esperança que era o dia da mudança, que finalmente iríamos nos livrar da turma da Patricia Amorim.  Cheguei na Gávea e não consegui entrar. Fiquei fora com a Marcella e com o Mauricio quando decidimos ir tomar algo pra desestressar. Rimos, conversamos, perdi uma sandália no meio do Leblon, Marcellinha tinha uma sapatilha dentro da bola que me salvou. Entenda essa história.

Consegui entrar na Gávea para as eleições dentro do carro de um sócio, resgatada pela companheira de #Lulucast, a Nivinha, e logo quando cheguei, tirei uma foto com o Maestro. E estava aberta a tarde de emoções com o encontro de muito rubro negros de fé. Lindo, lindo, lindo!

As horas foram passando e lá para às 19h, resolvemos, eu, Cissa e Nivinha gravar um #Lulucast especial contando tudo que estávamos vendo. E como não poderia deixar de ser, foi gravado no PARQUINHO, PARQUINHO!


Foram incontáveis pessoas que eu conheci, incontáveis reencontros, emoções indescritíveis. O tempo foi passando mas faltava a apuração. Como se estivesse entrando no Maracanã, naquele empurra-empurra que todo mundo reclama, mas nunca deixou de ir a jogo por causa disso, eu e Cissa entramos no Ginásio para acompanhar a apuração.

Quando entramos, vimos os "cabeças" da Chapa Azul, o Wallim, Bap, Eduardo, que tiraram a camisa Azul, que caracterizava a Chapa, vestidos com a camisa do Flamengo e começou a distibuição desse adesivo:

http://distilleryimage9.instagram.com/7746f28e3df411e29ad022000a1f9a79_7.jpg

Sensacional. A apuração da urna 1 demorou um cadinho e com o resultado, a emoção já começou a aflorar. O candidato da Chapa Azul obteve 629 votos, Patrícia Amorim 382 votos e Jorge Rodrigues 163 votos. Um pouquinho da emoção do Maracanã veio nesse momento. O hino do Flamengo foi cantado, o "Ó meu Mengão" foi gritado e, quando a Patricia saía ou se preparava pra sair (sinceramente eu não sei!), o grito de "Ei ei ei, o Zico é nosso rei" me fez ficar com os olhos cheios d´água pela primeira vez. Foi lindo!

A distância se manteve nas outras duas urnas e a quarta Lulu, a que não tinha ido ainda na Gávea, chegou para comemorar a vitória. A Cris não aguentou ficar em casa, pegou o rumo da Gávea e chegou a tempo de comemorar a vitória final da Chapa Azul, colocando fim a "era" Patrícia no Flamengo. "Graças a Deus nos livramos da Patricia" foi o que eu ouvi a Cris falar. Depois, foi só alegria. Eram 3 "rubro negras" (já que Nivinha já tinha ido embora!), pulando, abraçadas, emocionadíssimas cantando o hino do Flamengo, com o coração cheio de esperança em dias melhores. Estávamos ali vendo um pouquinho da história do Flamengo acontecer.

O  Eduardo Bandeira de Mello foi eleito o novo presidente do Flamengo com 1414 votos. Patrícia Amorim obteve 914 votos e Jorge Rodrigues 347 votos.

A partir daí, os Smurfs tomaram conta das ruas do Leblon, partiram pro Desacato e a comemoração varou a madrugada. Comemoração maior que o título do Fluminense, em dúvidas. Comemoração como se o Flamengo tivesse ganhado um título. Comemoração de quem estava com a alma lavada de ter acredito que um sonho, que é ver o Flamengo forte, pode ser possível.