As lições das Olimpiadas para o Flamengo





As olimpiadas estão rolando, atletas do Flamengo estão compentindo e os resultados não estão sendo favoráveis. Embora a "grande culpada", pelos menos por grande parte da torcida, seja a mandatária do Flamengo, que está em Londres (e já falei sobre isso por aqui), há algumas coisas que devemos ter em mente antes de criticar a performance de muitos desses atletas.

Sou do tipo de pessoa que acha que o atleta é um ser humano, que pode haver erros, mas, uma vez ele sendo profissional, tem que ser cobrado pelo melhor resultado possível. Essa história de "o importante é competir" foi criado pelo Barão de Coubertin, numa época em que os esportistas eram amadores. Logo, altamente compreensivel que, não sendo ocupação principal da pessoa, não poderia se exigir o melhor dela.

Hoje não é assim. As maiores esperanças de medalhas do Brasil e que são atletas do Flamengo ganham salários acima da média dos trabalhadores brasileiros. Assim, podem se dedicar ao esporte especifico, como natação ou ginástica. Treinaram aonde acharam que era melhor, com as pessoas que acharam melhor e o clube, o Flamengo, pagou o salário para que atletas de alto nível trouxessem resultados satisfatórios. Os resultados não vieram. A ginástica, tirando o Sassaki, não foi bem, o Cielo não ganhou o ouro, a Fabiana Beltrami não confirmou a expectativa que o campeonato mundial nos deu e muitos nadadores sequer passaram a semi final olímpica. Agora, passada as Olimpiadas, o que o clube faz com esses resultados?

Não faz nada. E não fará. Esse é o lado ruim de se investir em atletas de pontas. Se traz o resultado satisfatório, o retorno pode ser um espetáculo, se souberem trabalhar com imagem e divulgação (coisa que sabemos que o Flamengo não faz). Quando não traz, a sensação de se ter investido em algo sem retorno é eminente. Aí eu pergunto: é o ideal, para um clube que sempre formador de atletas em todas as modalidades, trazer atletas de fora, pagar salários de profissionais para se ter uma equipe e ter um desempenho ruim na principal competição, que são as Olimpiadas? Ou o ideal é investir na formação de novos atletas para que equipes sejam formadas e renovadas sem ter um grande custo para o clube?

Para o gasto que o Flamengo tem, seja na Natação ou na Ginástica, para se manter atletas de alto nível em sua equipe, não acredito que o topo seja o campeonato brasileiro das respectivas modalidades. E ainda se fosse, o título dessas competições valeria a pena para a manutenção de uma equipe cara?

As Olimpiadas de Londres podem ensinar para o Flamengo que nem sempre formar uma equipe com medalhões (que não estão no topo de suas respectivas categorias) seja a melhor saída para um bom desempenho olímpico. Como me dói falar que o Sogipa tem mais medalhas na Olimpiada que o Flamengo. Será que o investimento que o Sogipa fez é maior do que o do Flamengo?

Bom desempenho olimpico não se faz com medalhões e, sim, com medalhas e resultados satisfatórios!


Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.