Gabriel não pode ser a primeira opção no banco de reservas






Não há titulo mais direto para o que vai ser falado nesse post. E olha que  nem sou daquelas torcedoras que acha Gabriel um inútil. Acho que ele tem a sua importância tática, a disposição dele "encanta" técnicos, ele era titular nas melhores atuações desse time no ano de 2016 mas não dá para ele ser sempre a primeira opção no banco de reservas.

O jogador teve seu contrato renovado até 2019 e vai, provavelmente, passar de 200 jogos com o Manto Sagrado. É uma marca para se respeitar, independente das suas atuações e pelo fato de que não joga para ao torcida. É o tipo de jogador que joga para o time e o técnico, que é quem manda, gosta disso. Tem a sua importância.

Porém, quando o time está perdendo ou precisando fazer o placar, esse tipo de jogador é o que o torcedor não quer ver em campo. Com o time perdendo, eu quero jogador que mude o panorama, que parta pra cima, que faça a diferença. E o Gabriel, definitivamente, não é esse tipo de jogador. Então, como concordar dele ser a primeira opção de um jogo como o de ontem? Enquanto o Berrío não entrou no jogo, o time continuou com a lentidão que já vinha antes, não fazendo nenhuma diferença no jogo.

Num jogo como o de ontem, manter o Gabriel como primeira opção no banco para entrar na partida é prolongar a forma como o Flamengo estava jogando. E pelas atuações que ele anda tendo e pela forma que vem atuando, não pode ser essa primeira opção.

Saudações!


Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.