Tri, tri, Mengão é tri! #FlaBasquete é o orgulho da Nação

Tri, tri, Mengão é tri! #FlaBasquete é o orgulho da Nação



O fim de semana começou com o rubro-negro tendo aquela certeza de que "teria um desgosto profundo, se faltasse um Flamengo no mundo." Com uma bela festa da torcida, com um time que é puro talento e disposição, a sensação do NBB 6, apesar de ter feito um jogo difícil, não conseguiu evitar mais um título do basquete do Flamengo.

Tri, tri, mengão é tri!

Como fez a melhor campanha da fase classificatória, o Flamengo teve a vantagem de fazer o jogo único da final em casa. Desta vez, o Maracanãzinho não foi usado por estar entregue a FIFA por causa da Copa do Mundo. A casa do Flamengo foi, de novo, a Arena da Barra. E que Arena pé quente para a gente, hein?

O basquete do Flamengo encanta o torcedor que gosta de ver o suor valendo a pena,  disposição sendo exemplificada e que, por isso, tem o orgulho aumentado. E como o time de basquete do Flamengo aumenta o orgulho do rubro-negro! Orgulho de ver um pessoal que tem satisfação e prazer de portar o Manto dentro de quadra. Errar ou acertar faz parte do jogo, mas como não se encantar com a disposição do menino Felício e a vibração do Olivinha?  Como não comparar a eficiência do Marcelinho, mesmo não tão decisivo como em outros anos, mas decisivo, com outros craques que já passaram pelo Flamengo? Como não fazer a pergunta: quem vai parar esse time?

Tem o mundial, eu sei. Mas para um time que foi nove vezes campeão carioca seguidos, tri-campeão do NBB, sendo bi-campeão seguido, campeão da Liga das Américas, quem é que duvida que o Mundial é logo ali?

Raça, disposição, seriedade, talento e Flamengo. Palavras numa frase que descrevem, perfeitamente, o que é o basquete do Flamengo.

Parabéns a todos os envolvidos no projeto. Dos diretores aos jogadores, passando por comissão técnica e funcionários. Vitórias ue levam ao topo podem sair da mãos dos jogadores mas a gente sabe que se não houver um base muito bem feita, o topo não é alcançado.

Mais um título para comemorar. #FLABASQUETE É O ORGULHO DA NAÇÃO!

Com mais do mesmo, Flamengo segue sufocado!

Com mais do mesmo, Flamengo segue sufocado!
http://s2.glbimg.com/o-CUHwKrtRrvfpNX8EprXy5JRfE=/194x0:1894x1069/620x390/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2014/05/29/alecsandro_flamengo_figueirense_piervi-ae.jpg

Depois da quarta partida sob o comando do novo técnico, espero que as pessoas que comandam o Flamengo ou até mesmo os torcedores mais afoitos entendam que não há tática de jogo que supere a técnica num jogo de futebol. Não há craque que funcione num time que os jogadores não tem orientação tática. O Flamengo não tem craques, mas enquanto continuar um bando em campo, o time não vai melhorar. E vai ser sufoco em cima de sufoco.

Não acredito que o Jayme e agora o Ney Franco não saibam armar um time taticamente. Aliás, eu via orientação tática no time do Jayme, mas não vejo no time do Ney Franco. Já imaginou se fosse o Jayme que colocasse um jogador no intervalo e o tirasse 29 minutos depois?

A grande verdade é que, como na vida, os ciclos se repetem no Flamengo. Com a luz de alerta acesa depois a eliminação ridícula da Libertadores e com o planejamento em cheque, o Flamengo tratou de mudar o comando de futebol no meio de um campeonato, de uma forma esdrúxula. Usou como parâmetro o "antes tarde do que nunca", deixou o futebol sem comando por não sei quantos dias e trocou o técnico de um time que, nos últimos seis meses, foi campeão três vezes (sim, eu considero Taça Guanabara como título!).

Porém, dentro de campo, o problema do Flamengo continua sendo o mesmo de outrora. Não há gente dentro do clube com coragem de tirar de campo quem anda se arrastando. Não há gente com coragem para peitar medalhão que acha que joga mais do que realmente vem jogando. Já falei sobre isso neste mesmo blog, num outro momento, com outro técnico, em outra situação (a vida é um ciclo, se lembra?).  Enquanto o jogador se escalar pela panela, pela influência no grupo, pela política, pelo que fez e não pelo que faz, o Flamengo continuará sufocado. Não há jogador em péssima fase, fora de forma, que tire time de futebol do sufoco.

Não é possível que não haja senso crítico ao departamento de futebol em sua totalidade e incluo aí o tal conselho diretor do Flamengo que não avalie que um time que entra em campo com Léo Moura, André Santos, Elano, Luiz Antonio, Márcio Araujo, Amaral não pode render o que se espera do Flamengo. Parece simples e é! Agora, cadê a coragem para endireitar o caminho do futebol?  Cadê a coragem para colocar o capitão para falar sobre o time, cobrar do profissional responsável o porque do péssimo preparo físico do André Santos e do Elano, saber porque o Amaral não consegue obedecer orientação tática ou aonde o Luiz Antonio está com a cabeça quando entra em campo? Cadê o torcedor de arquibancada que muitos diretores dizem que são/eram para perceber que o sufoco no Flamengo não pode continuar. E vai ter sufoco até o fim se esperarem esses jogadores começarem a jogar futebol. NÃO VÃO JOGAR.

O que vi contra o Figueirense foi um show de horrores assim como foi contra o Santos. Não se iludam com a pressão no fim do jogo. Aquilo ali foi em cima do lanterna do campeonato. E, ainda assim, o Flamengo não conseguiu a vitória. Contra o Santos, foi contra o time sub 17. Contra o Bahia, foi sem 9 titulares. O Flamengo não conseguiu os TRES PONTOS em nenhuma situação. Entenderam o grau do sufoco ou tenho que desenhar?

Bondes se arrastando em campo, técnico perdido que não barra que não rende, diretoria que não dá peça para treinador trabalhar e torcida que perdeu a paciência. Poderia estar falando do Flamengo de Márcio Braga, de Helinho, de Patricia Amorim. Mas estou falando do Flamengo atual, que insiste nos mesmos erros no futebol do passado.

O sufoco só vai passar com o trabalho. E talvez, desta vez, o ínicio do trabalho comece de fora do campo, com a limpeza no elenco e chegada de novos jogadores, do que dentro de campo.

#ReageMengão


e contratação/manuteção de bondes que se arrastam em campo



Se eu contar para uma pessoa que viveu o Flamengo como grande parte das pessoas que lêem esse blog o que anda acontecendo, ela poderá se confundir com os períodos e achar que estamos em 2004, 2005.

Opinião de uma torcedora que nao entende nada de tática, mas entende de orgulho e paixão rubro-negra!

Opinião de uma torcedora que nao entende nada de tática, mas entende de orgulho e paixão rubro-negra!

http://blogdobg.com.br/wp-content/uploads/2013/01/torcida-fla.jpg


Ainda bem que nesse finde vai ter final da NBB com o Flanasquete! Pelo menos, a gente vai se lembrar do que é ter orgulho de ser rubro-negro e vai se lembrar do que é ter um time rubro-negro cheio de raça, de amor e de paixão!

Mas quanto ao futebol... Se esse time que está aí demonstrasse 1/3 da raça e do sangue quente do FlaBasquete, eu ia ficar feliz.

Porque ganhar ou perder faz parte de quem gosta de futebol. Mas ver jogos - e vários jogos seguidos! - tendo que aturar time apático, sem vontade, sem sangue rubro-negro... Chega a ser masoquismo!

E Flamenguista não é masoquista. Flamenguista é orgulhoso! Flamenguista bate no peito e lembra das vitórias, dos jogos difíceis, das viradas...

Uma pena que "vencer, vencer, vencer" virou algo abstrato, coisa de um hino que sempre cantamos com orgulho. O mesmo orgulho que está muito difícil ter desse time que anda perdido em campo...

Vamos reagir, Mengão!


Texto foi escrito pela Cristiane Marassi, uma torcedora que nao entende nada de tática, mas entende de orgulho e paixão rubro-negra!

A disciplina usada como desculpa para uma barração evidente

A disciplina usada como desculpa para uma barração evidente
http://imguol.com/c/esporte/2014/02/26/260214---felipe-atento-a-jogada-do-emelec-no-jogo-do-flamengo-pela-libertadores-1393467360181_956x500.jpg

Para quem acompanha os jogos do Flamengo e tem o mínimo de senso crítico, tinha a impressão que a permanência do Felipe no gol do time titular do Flamengo era uma questão de tempo. Tempo que parecia sem fim, mas que chegou por uma falta num treino durante a semana. Felipe faltou e isso bastou para o técnico Ney Franco o tirar da viagem para São Paulo, onde o Flamego enfrenta o Santos pelo Campeonato Brasileiro.

Quando eu olho para o Felipe no gol do Flamengo vejo um goleiro desesperado, despreparado e visivelmente fora de forma. Não estou aqui negando a importância do goleiro, que teve boas atuações com o Manto. Se você tem a memória  curta, basta lembrar do primeiro jogo da final da Copa do Brasil e da estreia do Flamengo na Libertadores desse ano, contra o Leon.

Não sou aquela torcedora que acha o Felipe um frangueiro que nunca mereceria usar o Manto do Flamengo nem aquela que acha que Paulo Victor é titular no lugar do Felipe. Aliás, entre Felipe e Paulo Victor, em condições normais, acho Felipe melhor goleiro. Mas as últimas atuações, a preguiça em muitos lances faz com que a barração, mesmo que não tenha sido uma escolha técnica e sim disciplinar, justa e correta. As atuações do Felipe andam longe do que qualquer torcedor preza como bacana para um goleiro que esteja no time do Flamengo.

Felipe não é o pior goleiro que já passou pelo Flamengo e nem é o melhor. Está longe de ser unanimidade, mas teve bons momentos no clube. Espero que essa barração, essa ausência na viagem não o transforme no "boi de piranha" para um grupo sem sangue, sem disposição e sem competência. Há muito mais coia errada no Flamengo do que o Felipe.

Grandes problemas e pequenas sugestões para o Flamengo

Grandes problemas e pequenas sugestões para o Flamengo


Recebi esse email do Ewerson, um leitor e estou publicando:

"Acredito que um simples torcedor igual eu, mas apaixonado pelo flamengo igual qualquer outro não consiga fazer barulho, mas vocês que já tem uma visibilidade maior podem ser os intermediadores de torcedores igual eu.

Não é de hoje que os treinadores do Flamengo insistem com Léo Moura e agora com o André Santos. Ninguém pode questionar a técnica que eles tem, já foram jogadores de seleção, mas hoje em dia eles tem que ter a humildade e aceitar que não são mais aqueles jogadores que um dia chegaram a seleção.

O Léo Moura já tem idade avançada e não aguenta mais correr atrás de garotos com o vigor físico bem superior ao dele. Basta ver as seguidas jogadas que saem em suas costas que muitas das vezes resultam em gol.

O André Santos vive pra jogar futebol, como todos os jogadores, ganha dinheiro com isso (e não é pouco dinheiro), pra deixar a desejar na parte física. Não pode. Ele não ganha pouco para chegar no Maracanã e com umas duas ou três subidas ao ataque ficar cansado, errar passes bobos, tentar dribles onde não se deve ou na hora errada, ele tem que respeitar a torcida e a camisa que veste.

Outro que esta na mesma situação é o Elano, aparentemente o condicionamento físico dele é melhor que o do André, mas os passes errados são muitos, perde bolas que acabam proporcionando contra-ataque aos adversários que acabam sendo letais.

O time é fraco mas tem alguns bons jogadores, que acabam sendo crucificados por conta da fragilidade defensiva pelas laterais. A zaga não é o problema e sim as laterais pois sofrem com a jogadas pelas costas dos laterais. Com isso, Samir e Wallace acabam levando a culpa. Acredito que essa dupla de zaga seja uma das melhores hoje no Brasil, posso, claro, estar errado, mas não são os piores, pois são técnicos e rápidos.

A diretoria está acertando em por em ordem as finanças do clube, mas nosso time precisa ser qualificado, pois do jeito que está vai ser muito difícil continuar na série A, e aqui fica uma pergunta: cadê o dinheiro que seria gasto com Elias e da final da Copa do Brasil?

Precisamos de um lateral esquerdo igual ao Michel Bastos que está na Roma, Na lateral direita temos o Léo que veio do Atlético – PR que é bom mas precisamos de um outro investimento ali pela direita. Acredito que uma boa para o Flamengo seria o Vitor do Goiás. Para volante, acredito que Fernando do Porto e Cristian Baroni seria a dupla ideal para o Flamengo. O meia ideal seria Sherman Cardenas do Atlético Nacional de Medellín e/ou Cícero do Santos.

Nosso ataque não funciona devido ao fraco desempenho do meio de campo, pois quando os meias se acertaram Hernane fez quatro em um só jogo, Alecssandro já fez 14 na temporada. Com os meias funcionando o nosso ataque é bom, precisaria de um reserva igual o Paulinho. Com isso,  o Flamengo pode ser um dos candidatos a títulos e frequentar Libertadores constantemente.

Escalação: Paulo Vitor; Vitor(Goiás), Wallace, Samir e Michel Bastos; Cristian, Fernando, Cícero/Everton e Cardenas; Paulinho e Alecssandro."

Ewerson Carvalho Pimentel - @EwersonPimentel

Levanta a cabeça e dá a volta por cima, Flamengo!

Levanta a cabeça e dá a volta por cima, Flamengo!
torcida protesto contra diretoria do Flamengo (Foto: Cahê Mota)

Não há tempo para lamúrias. A derrota contra o São Paulo, da forma como o time se comportou, foi para acusar o golpe. Foi um choque de realidade cruel e, de certa forma, bem-vindo. Melhor agora, antes da tão falada pausa para a Copa e com técnico recém chegado do que na 30ª rodada. Melhor estar em 16º agora do que na 37º rodada de um campeonato que estar a 17º posição é requisito para a série B.

Temos mais um compromisso pelo Brasileiro, contra o Bahia em Macaé, com o espaço de tempo que ainda não tivemos no Brasileiro: estreará as rodadas de meio de semana. Entendeu por que não há tempo para lamúrias?

Não se lamuriar significa levantar a cabeça e dar a volta por cima. Para os jogadores, é hora de se esforçar o dobro do que eles acham que estão se esforçando. É o capricho no toque final, é não querer uma bola só para ele durante o jogo, é acreditar que as coisas darão certo e, finalmente, não acharem que eles jogam mais do que jogam. Estão dispensados, portanto, o passe com firula, o drible desnecessário e o gol driblando geral. Se a fase não é boa, como não é, faz o simples que a gente chega a vitória. Nosso time está longe de ser o time de perebas que se prega embora esteja abaixo do que a grande maioria quer para time do Flamengo.

O torcedor também tem o seu papel nesse processo. Vamos exigir, vamos cobrar, vamos atanazanar a vida dos caras. Mas VAMOS APOIAR!  Afinal de contas, perebas ou não, eles representam o time que, se anda despertando coisa ruim em você, já despertou MUITA coisa boa. Ou você já esqueceu daquela imensa alegria e orgulho que esse time te eu no final de novembro?  Você não acha bacana quando alguém te apóia num momento difícil? Por que um grupo de jogadores que vestem vermelho e preto e entram em campo não acharia?

Apesar desse discurso de apoio, que sempre terei porque acho que o que o Flamengo tem de mais forte vem das arquibancadas, não estou nem um pouco satisfeita com o que ando vendo em campo. Falta qualidade, falta percepção do que é Flamengo, falta vontade e falta obstinação. A obstinação de fazer a coisa certa, de buscar a excelência. Sabe um cara que sempre representou essa obstinação que eu falo? Um lateral direito que o Flamengo teve na década de 90 chamado Maurinho. Ele não tinha a técnica do Léo Moura, mas tenho certeza que Maurinho, que era meio de campo e certo dia foi improvisado na lateral direita, mesmo com erros que cometeu, perseguia, dia após dia a perfeição. O erro acontecerá, mas eu quero ter a sensação de que o que foi tentado, foi o melhor que se podia naquele momento.

Teremos o Bahia pela frente. Que o nosso técnico perceba que se quiser manter Léo Moura e André Santos no time, ele precisa de dois cabeças de áreas que se encarreguem de cobri-los. A avenida na esquerda que o André Santos deixava ontem é coisa de pelada dos tios de 50 anos. É o principal defeito de um time ue corre na defesa para suprir os espaços deixados pelos dois laterais. É um Deus nos acuda e não há posicionamento de zagueiro na área que seja eficiente com isso. 

A vitória do Mengão, Mengaço, Flamengão, jogando com seriedade e com disposição, é questão de tempo. Tempo esse que não é feito para se lamentar e sim, para trabalhar.

VAMOS FLAMENGO!

Até quando?

Até quando?
Leo Moura e Pato - Flamengo x São Paulo (Foto: Paulo Sergio/ LANCE!Press)

Foi mais um jogo de lascar. Daqueles para justificar o torcedor não ajudar o time, não ser sócio-torcedor e ficar cada vez mais, desconfiado do rumo que o futebol está tomando. Simplesmente porque não há amor que tire o gosto amargo de estar se sentindo uma otária com o que o Flamengo anda demonstrando em campo.

Sei das limitações financeiras do clube. Limitações causadas por um monte de jogador que se encostava no Flamengo ganhando rios de dinheiro. Eles tiveram o seus contratos finalizados porque não tinham desempenho digno do Flamengo. Acho uma cara de pau imensa de quem reclama do elenco pobre de hoje do Flamengo mas apóia gente que pagava Ibson, Liedson, Alex Silva um salário que nenhum outro time do Brasil pagaria. Flamengo tem um elenco pobre hoje porque paga esses bondes todos e mais alguns, que não tiveram seus salários negociados com quem os paga. Deixar a conta para os outros pagarem é mole né?

Embora a folha salarial extra do Flamengo esteja abarrotado de jogador zzzzzzzz,  não cairia mal se o Léo Moura, Elano e André Santos, por exemplo,  estivessem nessa listagem. Ninguém tem dúvidas de que, bem fisicamente e com a raça de outrora, eles são titulares do Flamengo. Sem questionamento. Mas há quanto tempo você não vê isso? Tirando os lapsos de cruzamentos ou passes, a quantidade de gols ou jogadas dos adversários que saem nas costas deles seria coisa de colocar qualquer laterais na reserva.

A cada dia me pergunto até quando o torcedor do Flamengo terá que aguentar jogadores sem disposição, que não cumprem sua função no campo corretamente e que derrubam treinadores (treinadores que são mandados embora por mau desempenho do time em campo)?

São jogadores como esses que fazem o torcedor perder a calma, vaiar, protestar, se sentir otário. São jogadores que em campo colocam em dúvida tudo que esta sendo feito fora de campo. E essa confiança NÃO É RECUPERADA DE UMA HORA PARA OUTRA!

Até quando, Flamengo? Até quando?

Ação e reação no Flamengo

Ação e reação no Flamengo
http://www.flamengo.com.br/site/upload/noticias/20140513133600_58.jpg


A sexta-feira começou com um post no blog da jornalista do jornal Extra, do Rio de Janeiro, Marluci Martins, falando da conta de água do Flamengo. Dias antes, ela já tinha falado do valor da conta de telefone.  Alás, ela gosta de falar do Flamengo: dos últimos 6 posts, 4 falam dele.

O Flamengo, no fim do dia, respondeu aos dois posts e a jornalista, indignada, respondeu a nota oficial do Flamengo.

Independente do que ache de jornalista esportivo (?) que publica nota de faturamento de conta fixa de clube de três, quatro meses atrás, pelo tom da resposta da Marluci, é nítido que ela sentiu o golpe. E acusou.

Jornalistas estiveram, durante muito tempo, acostumados a publicarem e não terem resposta. A opinião era em via única. Com o passar do tempo, como a via deixou de ser única e passaram a ser confrontados (seja através de nota oficial de clube, seja com opinião de torcedor em rede social), demonstram que, além de não estarem preparados para a resposta ao que publicam, não andam se preocupando com as consequências do que publicam.

Vivemos a Era da ação e reação. Não dá mais para publicar qualquer coisa que seja (e não estou falando só desse caso específico), que saia do senso comum e que não se pense no porque disso estar sendo publicado.

O fim da nota do Flamengo, quando fala "A quem interessa este tipo de ação danosa ao Clube de Regatas do Flamengo? Esta é a pergunta que gostaríamos que fosse respondida.",  é justíssima, numa semana que o Flamengo foi massacrado pela imprensa e por seus próprios torcedores. Não tem, nem se fosse uma foca azul, defender a direção do Flamengo na demissão do Jayme. Demoraram a agir, foram deselegantes, arrebentaram com a credibilidade que lutam tanto para conquistar e deram combustível para a oposição ficar de bla bla bla por aí.

É nesse bla bla bla, que é alimentado por notícias dessa como a Marluci publicou que me faz pensar: a quem interessa a notícia que o Flamengo gasta sei lá quantos mil numa conta de telefone de quatro meses atrás? A quem interessa, numa semana que o Flamengo ferve interna e externamente, o aparecimento dessas contas. E desculpa quem critica a jornalista por isso: se não fosse ela, seria outro qualquer. Ou você tem a ilusão que ela seria a única a publicar uma coisa que gerou um buzzzzz danado?

Poucos jornalistas sabem lidar com a resposta do que escrevem. Quantos jornalistas esportivos já tiveram conta no Twitter e deletaram? Quantos já não perderam a linha por causa de comentários debochados (e não estou defendendo fakes que ofendem, só estou fazendo uma reflexão)?

Acho sensacional que a diretoria do Flamengo, seja ela qual for, em qualquer tempo que for, comece a responder com coerência todos os jornalistas/blogueiros que levantem qualquer fato sobre a instituição, ainda mais se for mentiroso. É uma forma de preservar a imagem do clube, que é sempre tão massacrada como foi no "caso Jayme".

Que essa lei da "ação e reação" tenha vida longa no Flamengo!

Novo manto do Flamengo é lançado com ação mundial pela adidas

Novo manto do Flamengo é lançado com ação mundial pela adidas


Depois do sucesso do lançamento do uniforme para a última temporada, que exaltava a Nação Rubro-Negra e o Brasil pintado de vermelho e preto, desta vez as cores do Flamengo ultrapassaram as fronteiras do Rio de Janeiro e do Brasil. A ação "Do Rio para o Mundo" mostrou a grandeza do Flamengo e levou a nova camisa para Europa e para os maiores clubes do Velho Continente.


O torcedor Bruno Nin foi o responsável por levar o novo manto para os jogadores Montolivo, do Milan, e Schweinsteiger, do Bayern de Munique. A entrega foi postada por eles em suas redes sociais e ganhou o mundo, sendo amplamente noticiada e retransmitida.

 

O projeto de internacionalização da marca do Rubro-negro carioca teve seu início com a camisa da seleção da Alemanha, que foi desenvolvida tendo como inspiração o Flamengo e será usada durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014TM.

 

O novo uniforme, que estreia no dia 18 de maio, traz gola polo com botões e a parte dos ombros preta com detalhes em vermelho. O escudo permanece bordado, e os shorts também passam a ter detalhes em vermelho e preto. "Ficamos muito entusiasmados quando notamos a enorme aceitação da camisa II da Alemanha. Neste momento, tivemos a certeza de que esse novo manto será também um grande sucesso", afirma Luiz Gaspar, gerente da categoria de futebol para clubes da adidas do Brasil.


O modelo conta com a tecnologia ClimaCool® da adidas, que considera como e onde o corpo produz mais calor e suor e coloca tecidos específicos nessas áreas para melhorar a ventilação. Assim, permite que o atleta permaneça com a temperatura ideal do seu corpo.

 

O novo uniforme estará à venda a partir do dia 16 nas lojas adidas, adidas e-com (www.adidas.com.br/flamengo), lojas oficiais do Flamengo e lojas de varejo esportivo em os estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo e Brasília. As camisas com tecnologia Climacool® custarão R$ 219,90 (adulto) e R$ 179,90 na versão infantil, feminina e mini kit.


Veja os detalhes do novo Manto:







Quem confia no caminho do futebol do Flamengo?

http://3.bp.blogspot.com/_bxmhdTwC5r0/S85o0tDsl5I/AAAAAAAAAIw/WYH9XBo_WPg/s1600/troia.jpg

A semana começou agitada no Flamengo e não foi só pela derrota para o Fluminense. A trapalhada que se transformou a demissão do Jayme e o linchamento público em cima da instituição Flamengo, com jornalistas, ídolos e torcedores querendo opinar sobre um assunto que  não é  novidade no Flamengo dos Smurfs, agitou, ainda mais, um time que clama por uma crise para gerar cliques, vender jornais e etc.

O Flamengo dos Smurfs já trocou 5 técnicos em 17 meses de gestão. A média e de 1 técnico a cada três meses e meio. Para quem prega profissionalismo e arrota o amadorismo de outras gestões, é muita coisa. Se não arrotasse, também seria muita coisa. Porém, é inacreditável a demora que se teve para mandar o Jayme embora. A velha prepotência, de achar que todos estão a disposição a hora que se quiser, vem a tona. A falta de respeito com um profissional que foi vitorioso na sua passagem pelo Flamengo foi mesmo para todo esse bla bla bla que se teve.

A demissão do Jayme e a vinda do Ney Franco para o Flamengo, vai dar (ou tentar dar) ao clube o que muitos torcedores reclamam da falta desde o ínicio do ano: planejamento E, junto com ele, o Flamengo espera que o desempenho aumente. Desempenho esse que foi o responsável pela demissão do Jayme.

Parece que, para o Flamengo de hoje, o que importa é o desempenho. O bônus da vitória, da conquista, foi jogada para escanteio. Essa é a única explicação que vejo para essa troca de treinador, do jeito que o Flamengo foi montado e as condições de trabalho que deram para o Jayme. Mas no Flamengo tem sido assim: o chefe não dá material humano para o treinador, mas exige que o treinador tenha desempenho para agradar a gregos e troianos.  Títulos já não bastam nesse processo. E, assim, vamos trocando de técnico a cada três meses e meio porque é impossível agradar a gregos e troianos por muito tempo. É uma lei da vida.

Não estou negando os erros cometidos em escalações, a demora (e erros) para substituições, a falta de energia em muitas coletivas pós derrotas (embora eu ache que ali não é lugar de desabafos sobre desempenho do time). Errou e errou bem esse Jayme. Não conseguiu fazer o time jogar mesmo com todos os desfalques. Porém, o desgaste que o Jayme sofreu e que fez muito torcedor pedir a cabeça dele, foi o que outros técnicos sofreram. É um ciclo vicioso, que faz o torcedor reclamar do preparo físico do time, da disposição tática do time e da falta de vontade e disposição dos jogadores. Ê Flamengo...! Será que o novo técnico chegou e já estreia no próximo jogo, mudará isso? Bora observar o aumento de desempenho de vários jogadores? 

Está mais do que claro que não houve mudança de mentalidade no futebol do Flamengo. Essas mudanças que anunciaram não me enche os olhos porque o comandante de tudo isso não me enche os olhos. Sabe aquela confiança de fazer a coisa certa por que sabe o que está fazendo? Essa daí, eu não tenho em quem comanda o futebol do Flamengo.

A entrega, a falta de vontade e a disposição comprometida

A entrega, a falta de vontade e a disposição comprometida
Fluminense x Flamengo (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Quando eu li a escalação do Flamengo, tive uma certeza esperança na vitória. Esperança porque o Jayme colocava  que a gente tinha de melhor para entrar em campo ontem. Acho que você, assim como eu poderia ter uma ou duas mudanças por preferência de jogadores, mas o que tínhamos de melhor estava ali. Quer dizer, estaria, se os jogadores do Flamengo jogassem futebol e se esforçassem como deve ser. Não se esforçaram e a sensação de que o time não corre é quase que unânime.

Certa vez, vi, no Maracanã,  Flamengo levar uma goleada que foi para derrubar um técnico. Foi um jogo inacreditável e inesquecível. Nunca mais esqueci as caras daqueles jogadores e a forma como eles corriam para e com a bola. Nunca mais esqueci a forma como os defensores corriam atrás dos atacantes que fizeram os gols. Nunca mais esqueci essa sensação de ter a certeza de que, quando os jogadores não querem, não há trabalho de treinador que tenha anos de futebol que dê certo. Que somos, torcedores, reféns do que um jogador (ou grupo deles) quer (em) para um time.

Não sei dizer se isso ocorre o Flamengo. Ainda. Quero acreditar que um grupo montado depois de um título de Copa do Brasil e que já foi Campeão Carioca, por uma diretoria que prega o profissionalismo acima de tudo, não seria capaz de  tamanha canalhice. Não com os torcedores que estão apoiando o projeto para que não se atrase os seus salários como outrora, adquirindo ingresso caro, pagando mensalidade de sócio-torcedor e apoiando o time, num clássico no Dia das Mães, as quatro horas da tarde (aliás, a pessoa da CBF que fez essa tabela é um jenio, né? Vários clássicos regionais no Dia das Mães....!).

A FALTA de VONTADE e DISPOSIÇÃO  do Flamengo é tanta que, mais uma partida jogada de forma bisonha como a de ontem, ficará escancarado e não restará outra alternativa da verdade do que falei acima. Hoje é uma dúvida, como se fosse um Déjà vu. Pode ser desespero de uma torcedora que acredita que esse time do Flamengo pode jogar mais do que vem jogando. Pode ser emputecimento de uma torcedora que já está se acostumando com essa forma estranha do Flamengo se apresentar.  Pode ser apenas um palpite, que vai se transformar em certeza se o que vi ontem se repetir.

Poderia falar da bagunça da organização tática do Flamengo, embora não veja essa bagunça toda que muitos falam. Poderia falar da atuação de certos jogadores, como já falei do Felipe e do Léo Moura. Mas focarei na (falta de) vontade e na disposição (comprometida). E é nelas que estarei prestando atenção no nosso próximo confronto, no Brasileirão.

Nosso próximo adversário é o São Paulo no Maracanã. Espero que o suor esteja no rosto de cada jogador que entre em campo e que a disposição vista o Manto finalmente. Quero atitude. Quero o que o Flamengo sempre representou em campo.  É pedir muito?

Saudações Rubro-Negríssimas!

Léo Moura ainda merece ser capitão do Flamengo?

Léo Moura ainda merece ser capitão do Flamengo?
http://www.esportesnanet.com.br/media/catalog/product/cache/1/image/265x265/17f82f742ffe127f42dca9de82fb58b1/z/o/zoom-3080-3780-10270_1.jpg

Ao ver a atuação horrorosa do Leo Moura o clássico contra o Fluminense, recordei uma pergunta que eu fazia na época que era técnica de voleibol: para quem eu darei a braçadeira de capitão do meu time?

Há algum tempo. não entendo porque o Léo Moura tem que ter essa braçadeira de capitão. Respeito (e comemoro, muitas vezes!) a história dele pelo Flamengo, entendo que ele é ídolo de uma geração , mas não consigo concordar com essa braçadeira para ele.

A atuação do capitão o futebol é muito mais efetiva que no Voleibol. Ainda assim, ao escolher o meu capitão (ã), procurava o jogador mais maduro e que incentivasse os colegas. Era a minha voz dentro de quadra. Ou deveria ser.

Fala sério: você vê o Léo Moura sendo a voz do técnico em campo? Você vê o Léo Moura incentivando, orientando, empurrando o time para frente? Você o Léo Moura tenta organizar alguma coisa nem que seja o setor dele? Como não vejo nada disso e o tenho visto cada vez mais omisso e cansado, eu te pergunto: ele merece a faixa de capitão?

Não ache que eu sou aquelas pessoas que morre de ódio por ele, que usa adjetivo pejorativo e bla bla bla. Não tenho isso. Quando ele joga bem, é elogiado. Quando joga mal, é citado. Mas o Léo anda jogando MUITO MAL. A atuação dele hoje foi uma das coisas mais vergonhosas que vi nos últimos tempos. Sem disposição, sem vontade, puxando a bola sempre para o meio, sem orientação tática alguma. Será que isso é ordem do treinador? Eu não acredito! É pedir muito para que ele se esforce e jogue dignamente, como jogou algumas partidas no ano passado?

O Léo Moura, com a vontade que vem demonstrando nos últimos jogos, não seria o capitão do meu time e, mesmo correndo o risco de Digão poderia perder a vaga de titular. O Digão, pelo menos, corre.

Saudações!

A preguiça de um goleiro que arrebenta um time

A preguiça de um goleiro que arrebenta um time

http://imguol.com/c/esporte/2014/03/29/29mar2014---goleiro-felipe-do-flamengo-segura-bem-a-bola-apos-tentativa-de-gol-da-cabofriense-no-maracana-1396134862093_956x500.jpg

Há algumas coisas que não são admissíveis para um goleiro de futebol. Dentre algumas coisas que ele não pode fazer como espalmar a bola para o meio da área, está o fato não poder tomar gol de escanteio, de cabeça, em cima da linha do gol. Acho que nunca vi uma coisa dessa e, pasmem, foi assim que o Fluminense fez um gol no clássico que perdemos pelo campeonato brasileiro.

Não é de hoje que a maioria dos torcedores do Flamengo não tem confiança no goleiro Felipe. Para cada atuação boa, como foi num jogo da Libertadores, as falhas e os sustos que não acabam em gol se sucedem de uma forma a assustar o torcedor. Dificilmente você encontrará um torcedor, daqueles que acompanha jogos do Flamengo, falar que o Felipe é um "goleiraço". Sabe o que é o pior? Tenho a mesma sensação com o reserva, que consegue me passar mais insegurança que o próprio Felipe.

Não dá para engolir a falha no gol do Fred. Não dá para engolir a preguiça do salto no segundo gol do Fluminense. Não dá para engolir pelo menos duas bolas que foram defendidas e espalmadas, que quase terminaram nos pés dos jogadores do Fluminense.

Se um bom time começa com um bom goleiro, está a hora do Flamengo pensar na substituição do seu goleiro titular ou colocar para treiná-lo para ser mais eficiente.

Saudações!

Fla-Flu do Brasileirão valerá taça da adidas



A Adidas, fornecedora do material esportivo tanto de Flamengo, quanto de Fluminense anunciou nesta sexta-feira que o vencedor do clássico de domingo, às 16h, no Maracanã levará além dos três pontos, o troféu oferecido pela patrocinadora. Atualmente, o troféu está na posse do Tricolor, por ter vencido o último encontro entre os rivais por 3 a 0, no Campeonato Carioca.

Desde 2013, ano que os clube passaram a ser patrocinados pela Adidas simultanemente, houve três confrontos. O Flamengo está vantagem com duas vitórias, enquanto o Fluminense venceu apenas um, justamente o último. Esta foi foi a primeira ação em conjunto da patrocinadora entre os clubes.

RESULTADOS:

11/08/2013 - FLA 3 x 2 FLU

03/11/2013 - FLA 1 x 0 FLU

08/02/2014 - FLA 0 x 3 FLU

O trevo da divisão de base do Flamengo

O trevo da divisão de base do Flamengo

http://www.marcelodieguez.com.br/images/andersonalves4.jpg

Na semana do Fla-Flu pelo Campeonato Brasileiro, o Flamengo sofreu um revés nada legal para o adversário na categoria juniores: perdeu de 7 a 0 em partida válida pela sétima rodada da Taça Rio. Como uma goleada dessa não é comum o Flamengo levar, fui ver o que o site oficial, a forma oficial que o Flamengo tratou essa goleada e não há notícia nem qualquer menção sobre esse jogo.

Não sou especialista em base, mas há algum tempo o Flamengo não "produz" um jogador que encha os olhos da torcida ou que desperte a cobiça de clubes estrangeiros. O ultimo jogador que o Flamengo "fez" foi o Renato Augusto que já jogou lá fora, voltou para o Brasil e ão pára de se machucar. Depois dele, temos o Adryan que ainda é uma promessa e...

Ganhamos a Copa São Paulo em 2011 e parecia que uma grande geração vinha por aí. Jogadores que se tornaram "conhecidos" AINDA não vingaram como é o caso do Negueba e Thomás. Outros nem sequer tiveram uma sequência no time profissional, como o atacante Lucas.

Muitos defendem que, além de formar jogadores, o clube deve formar cidadões. Porém a pergunta que fica é: clubes gastam milhões nas suas categorias de base para formar cidadões ou para ter matéria prima para os seus times profissionais (ou futuras negociações)?

O Flamengo precisa decidir qual é o seu objetivo com suas categorias de base. Nessa definição de objetivos precisa passar pela certeza que não se tem a eficiência e excelência em categoria de base enquanto não houver ESTRUTURA. Ou pára agora e começa a pensar em ESTRUTURA (lê-se CT decente e profissionais compromissados com a filosofia do clube) ou então continuaremos com mais do mesmo, abastecendo times com menor investimento do Rio e série B do Brasil.

E aí, Mengão... Qual o caminho que você seguirá?

A mentira da premiação do Campeonato Carioca

http://1.bp.blogspot.com/-n-A4GMDQFYU/U2hBJUygq7I/AAAAAAAAzqA/Dl1fdk43UK4/s1600/flamengo_leon_dhavidnormando-ae.jpg

Saiu na coluna do Ancelmo Goes mais um escárnio da Federação Carioca de Futebol. Escárnio porque não enncontrei outro nome. Como se não bastasse inventar de colocar a taxa de televisionamento no borderô do jogo para que os jogos do Carioca não fossem deficitários, agora eles cobraram os 10% da taxa de "administração" que tem em todo jogo em cima do prêmio para o Campeão Carioca. Ou seja, sabe aquela de que o campeão da Taça Guanabara ganharia R$ 1 milhão e o Campeão Estadual ganharia R$ 3,5 milhões? É MENTIRA!

Eu fico imaginando aonde estão os deputados e todos os jornalistas que usaram a torcida do Flamengo para fazer discurso e mais discurso spbre ingresso caro, que o preço que o Flamengo praticou na final da Copa do Brasil fere os diretos do consumidor por que era abusivo e bla bla bla. Cadê essa gana toda de defender o consumidor, que no caso passa a ser o clube, em cima dessa  a taxa da Federação em cima dos jogos de futebol no Estado do Rio de Janeiro? A lei é para alguns?

O Flamengo ganhou R$ 900 mil pela Taça Guanabara e R$ 3,150 milhões pela conquista do Carioca. Sim, o prêmio que era de R$ 4,5 milhões passou a ser de R$ 4,05 milhões porque a Federação cobrou a sua taxa de administração em cima do prêmio que ela mesma pagou. Pode ser praxe de mercado, mas para mim fica como, além da propaganda enganosa, de uma cara de pau imensa.

Quero ver a disposição e o amor de torcedores e oposição à diretoria do Flamengo que brigam dia após dia contra ingresso alto, por exemplo. E, por favor, isso não é uma defesa ao preço do ingresso. Quero só a disposição para reclamação em prol do Flamengo.

Enquanto não houver reclamação e um posicionamento do Flamengo em relação a esse tipo de coisa, parece que recairá sempre no torcedor, já que será mais uma desculpa para o preço do ingresso.  Pobre torcedor!

A sobrevivência do treinador e a pressão nos diretores

A sobrevivência do treinador e a pressão nos diretores


Estou indo na contra-mão da maioria dos torcedores rubro-negros. Enquanto eles falam que o Flamengo não tem esquema tático e criticam o técnico por isso e pela forma como ele fala do time, principalmente em entrevistas pós-jogos, eu acho que o Flamengo tem esquema tático e que técnico não deve expôr time e jogadores para imprensa, ainda mais após derrota. Mas isso não significa que esteja satisfeita com o que o Flamengo anda apresentando em campo. Nem eu, nem a grande maioria da torcida está.  O Flamengo de 2014 é o Flamengo do Brasileiro de 2013 sem motivação, sem pernas, sem tesão. E com um agravante: o elenco montado para 2014 não veio com as lições que 2013 escancarou.

O ano de 2013 mostrou que trazer jogador com idade mais avançada, experiente, que se arrasta em outros times e que é barrado no Grêmio, não ´vai dar certo no Flamengo. André Santos, mesmo com a sua eficiência habitual em cruzamentos, é (foi) o exemplo clássico disso. O que o Flamengo fez? Foi no Gremio e trouxe outro jogador experiente, o Elano.

O ano de 2013 demonstrou que insistir muito na contratação de um jogador pode  diminuir o tempo para contratar outros. Flamengo insistiu no Sheik, Sheik usou o Mengão para renovar com o Corinthians e o que o Flamengo fez em 2014? Insistiu no Elias, até o último momento. Se fechou para as alternativas e viu o tempo passar, assim como as opções para reforçar a equipe.

As lições não aprendidas estão custando caro ao Flamengo, tanto que Jayme pena para montar um time decente. Vou nem comentar o banco. Na terceira rodada de um campeonato, já temos times montados com improvisação, com André Santos no meio de campo porque não há jogador para desempenhar a função que o Jayme quer (parecida com a que Carlos Eduardo desempenhava ano passado). Jogadores no departamento médico, carência em várias posições do elenco e torcedor ainda quer que Jayme tenha variação tática para que o time surpreenda adversário. Variação tática com que jogador? No treino de hoje, ele treinou essa variação. Quem entrou em campo foi o Nixon.

E isso não é só o Jayme, qualquer treinador que chegar hoje ao Flamengo vai ter essa dificuldade. Para mim, Jayme não sai. E, até onde puderem, Wallim e Pelaipe segurarão o treinador. Simplesmente porque, se demitirem Jayme pelo desempenho recente, terão que passar por uma avaliação criteriosa por ter colocado no Flamengo para o Jayme trabalhar um material ruim, que não rende mesmo o Flamengo com uma folha alta de salários (e inclui aí as parcelas de jogadores que já saíram do Flamengo mas que estão sendo pagos, dispensados por eles, não pelo Jayme).

A pressão em cima do Flamengo está enorme. A troca de treinador é, sempre, o caminho mais fácil para aliviar a pressão em cima de um grupo. Mas, desta vez, é o caminho mais fácil para colocar pressão em cima dos diretores de futebol.

Saudações!