Erros de arbitragem é só culpa do juiz?





Não sou uma adepta ao chororô em cima de arbitragem. Não acredito que haja uma grande máfia do apito e se não tivesse vivenciado 2005, juraria que esse tipo de coisa era impossível de acontecer.  Embora haja evidências que o Fluminense vá ser campeão brasileiro graças a ajuda dos juizes (e da sorte!), não é esse tipo de coisa que me faz perder noites de sono, muito menos ficar remoendo e achar que o time A, B ou C é perseguido.

E a culpa de tantos erros da arbitragem não é só da juizada. Pode incluir nessa conta a FIFA que não atualiza formas de controle de irregularidades dentro de campo, jogadores que reclamam demais, jogadores que simulam faltas, técnicos que esperneiam com juiz, querendo apitar o jogo o tempo todo e, é claro, a comissão de arbitragem.  E só não coloco a torcida nessa conta porque seria muita cara de pau minha, mas, se bobear, também influi.

Jogador reclamar do juiz, de qualquer lance, é cultural. Cada vez mais acintosa,  mais comum, mais repetitiva. Até os pirralhos que sobem no profissional, recebem uma falta besta, na linha de fundo, já se levantam pedindo cartão. Assim, deve garantir o comentário "esse moleque é malandro, já entrando na manha dos profissionais pedindo cartão. Tá integrado."  Gerações e mais gerações instituem esse ranço maldito que reclamar faz parte do futebol. Ou você vai dizer que o juiz não é influenciado pelas reclamações excessivas do time do Barcelona?

Desde que Nilton Santos deu aquele passe pra frente da área e enganou o juiz que não marcou um penalti e sim falta, a malandragem parece fazer parte do uniforme do futebol. Como o aprendizado é por imitação, instiituiu-se (???) que lubridiar o juiz pra benefício próprio era válido para se obter vantagem e esse caso é um exemplo disso.  Jogadores forjam faltas, simulam penaltis, não respeitam distância de barreira na falta, não batem falta no lugar que aconteceu, nem lateral. Fingem o que não aconteceu, mascaram o que aconteceu e, nessa dinâmica, o único que erra é o juiz, que dá falta quando não acontece, mas é simulada. Ou você vê juiz marcar alguma coisa quando não acontece falta nem ocorre simulação?

Os técnicos de futebol merece um post a parte, um blog a parte, um livro só deles. Reclamam do juiz, do bandeirinha, dos seus jogadores, da torcida, do mundo! Alguns deles, tenho a impressão que, de tanto que gritam, só trabalham no jogo. Porque se gritassem em treino o quanto gritam no jogo, não teriam mais voz. Alguém conhece algum técnico que não reclama do juiz? Tem uns que, de tão reclamões que são, saem do seu lugar, que lhe é de direito, atravessam um campo e vão esbravejar contra a atuação do árbitro. Já pensou se o inverso acontecer e o juiz não deixar um jogador entrar porque sabe que a substituição que o técnico está fazendo não vai dar certo?

Como se não bastasse todos esses fatores, muitos desses árbitros não são profissionais. A arbitragem é um trabalho paralelo na sua vida. Logo, a importância também deve ser paralela (não estou dizendo que é!). Complicado você colocar para apitar um jogo que tem elencos que custam 6, 7 milhões por mês, um cara que não ganha 1% disso.  Mas alguém já descobriu porque existe aqueles juízes atrás da linha de fundo?

Não tenho intenção alguma de proteger arbitragem, nem ser uma defensora deles. Mas acho que é tudo mais complexo do que colocar a culpa em uma só pessoa. Jogador que simula penalti, simula falta, reclama demais de arbitragem quando sabe que a arbitragem está certa em não marcar nada (porque simulou, porque mentiu!), tem moral para reclamar do juiz quando ele erra?

Mas, se o juiz errar contra o Mengão, eu xingo e fim de papo, fechou? :P


Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.