Destaque RN: Carlinhos veio pra quebrar paradigmas









Pelo menos nos últimos 25 anos de futebol, ficou estigmatizado que técnico de futebol tem que falar, gritar, se espernear na beira do campo. Eles reclamam de juiz, de jogador e até de torcedor. Às vezes, tenho a impressão que não treina a semana toda e quer orientar os seus comandados na hora do show, do jogo. Não sei quem foi o primeiro técnico vitorioso que foi desse jeito, mas como tudo se copia, com certeza teve um e os outros foram imitando. O negócio ficou tão feio que teve que ser incorporada no campo de jogo a área técnica, um curral que o treinador não pode sair. Se sair, pode ser punido. E criou-se um tipo de treinador de futebol brigão. Mal humorado. Bravo. Mal educado. Posso enumerar aí o Leão, Felipão, Muricy, dentre outros... Pra se ter sucesso, tem que falar alto, grosso e gesticular muito.

Quem sou eu pra dizer quem está certo ou errado, mas os últimos três títulos nacionais do Flamengo, nesse periodo dos 25 anos, foram conquistados por treinadores que são ao contrário do que eu escrevi acima. Embora a história recente do Flamengo nos remeta a Andrade, é impossível esquecer o Carlinhos, que foi ontem JUSTAMENTE homenageado com uma estátua de bronze na Gávea.

Já como jogador, Luis Carlos Nunes da Silva, ou simplemente Carlinhos para a rubro negrada que teve o privilégio de ter esse cara sempre rondando a Gávea, se destacava com a sua categoria que rendeu o apelido de "Violino". Foi convocado para a seleção brasileira diversas vezes e sempre foi considerado craque. Quando abandonou a carreira de jogador de futebol, deu as suas chuteiras à um cara que simplesmente é o REI da NAÇÂO, o MESSIAS, o MEU DEUS!

http://s.glbimg.com/es/ge/f/304x0/2011/02/12/carilnhos_flamengo.jpg

A vida dele continuou atrelada do Flamengo e foi campeão brasileiro duas vezes como treinador, em 1987 e 1992. Com a fala mansa, com a educação e o fino trato como de um violino, conseguiu levar o Maior Clube do Brasil à conquistas inesquecíveis sem fazer da mímica, da gritaria desenfreada e da falta de educação o seu instrumento de trabalho.

Embora esses dois titulos tenham ficado no meu coração e na minha memória como rubro negra, o titulo da Mercosul em 1999, merece uma menção especial. Ser campeão intercontinetal com um time com Maurinho, Célio Silva, Iranildo com a 10 e com o Lê fazendo o gol do título é pra fazer qualquer rubro negro, qualquer rubro negro dar um sorrisão daqueles igual quando o Vagner Love declara o seu amor ao Flamengo.

Ver o sorriso maroto do Carlinhos não acreditando no terceiro gol do Flamengo nesse jogo é impagável.

Ele é com certeza é uma pessoa que veio nesse mundo pra quebrar paradigmas. Esse tipo de pessoa se torna especial por quebrar paradigmas? Ou será que quebra paradigmas por ser especial?

Eu só sei que como Rubro Negra Flamenguista, tenho é que agradecer ao Carlinhos e louvar a atitude do Flamengo de homenageá-lo em vida, coisa que é realmente difícil em nosso país!

Comente:



4 comentários:

  1. Justa homenagem do Flamengo ao Carlinhos e lindo seu texto. Carlinhos tem muito em comum com Andrade, realmente! Ambos vencedores dentro e fora do campo no Flamengo, com estilo de jogo e personalidade semelhante. Emocionado também fiquei pelo justo reconhecimento ao que o o Carlinhos nos deu, muita alegria e muito amor à camisa!
    Saudações Rubro-Negras

    Luã Milanês - @luamCRFph

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu sou totalmente cética em relação à Patrícia Amorim. TOTALMENTE!

    Mas, com gestos como esse, essa dobra meu coração de pedra. Achei justíssima a homenagem. Carlinhos personifica o que há de melhor na história rubro-negra. Espero que não pare por aí.

    @Livia43

    ResponderExcluir
  3. Finalmente uma homenagem ao grande Carlinhos que para mim é o técnico mais vitorioso do Flamengo. Se não me engano ele nunca foi expulso de um jogo como jogador. Tb qndo o Fla ganhava um título ele ia para o vestiário e deixava a festa com os jogadores. Vida longa ao eterno Violino.

    SRN

    ResponderExcluir
  4. Grande Violino! Justa homenagem a esse grande ex-jogador e ex-técnico do Mengão.
    O cumprimentei na Gávea, no dia em que fui comprar os ingressos para ver o Mengão ser Hexacampeão! Fiquei emocionado em vê-lo...
    Concordo com o texto, a conquista da Mercosul foi épica!
    Sem Romário, mandado embora do clube, o time do Mengão era só jogadores de medianos pra baixo e os prata-da-casa! Sem contar que na semifinal o time foi covardemente surrado pelos uruguaios do Peñarol, descontentes com a eliminação em casa. Os jogos contra o Palmeiras tb foram muito emocionantes, um 4x3 no Maraca (com direito a 2 viradas e show do Caio!) e o 3x3 no Chiqueirão Paulista.
    Além de Maurinho, Célio Silva e Iranildo, já citados, acrescente ai Marcelo (volante horroroso), Léo Inácio (eterna promessa), Clemer (putz!) entre outras barangas...
    Só o Carlinhos pra reverter uma situação dessas!

    SRN!
    @RaflaelOliveira

    ResponderExcluir

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.