Valeu garoto!









vagner-love-flamengo

Vi uma cena como essa muitas vezes no Flamengo. Um jogador, ao se ver na frente de jornalistas que levam a imagem a milhões de torcedores, pega o escudo do clube e o beija. E não sabe o que significa tal gesto. Não tem idéia. Mas o beija e diz que era um sonho de criança jogar em um time como o Flamengo. 

Depois dali, tem uma amnésia. Simplesmente esquece ou não sabe mesmo o que significa um ato de beijar o escudo do clube. Se eu fosse explicar o significado do ato de beijar o escudo da camisa para uma criança de 7 anos, por exemplo, ela não entenderia.  Até o cara com rubro negrismo aflorado teria dificuldade de explicar esse significado sem recorrer a era do Zico e Cia.

Hoje, se eu tivesse uma criança de 7 anos para explicar porque não é qualquer jogador que pode beijar um escudo desses, mostraria essa foto acima do Love e diria que ele pode. Ele é um puta exemplo que cabe exatamente no que é vestir o manto com todo amor que um beijo retrata. 

Eu mostraria para essa criança de 7 anos a dedicação que o Love teve ao Flamengo nesse curto espaço de tempo. Os gols. Os carrinhos. A correria. O exemplo. 

Eu que era contra a chegada do Love e preferia o Kleber no ínicio do ano, não só me dobrei como hoje estou triste porque ele não continuará. E a minha torcida por ele será a torcida que eu tenho pelo Julio César ou pelo Juan.  É a torcida por um rubro negro vagando pelo mundo, mas que um dia, quem sabe, torna a casa.

Ao Vagner Love, meu obrigada. A dedicação, aos gols, ao exemplo. 




Comente:



Nenhum comentário

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!

Tecnologia do Blogger.