Image Map

17 de abril de 2014

A preparação física e tática do Flamengo precisam se acertar

http://imguol.com/c/esporte/2013/07/02/sob-chuva-gabriel-participa-de-treinamento-do-flamengo-no-ninho-do-urubu-1372781456369_615x300.jpg

Passada a eliminação da Libertadores e o título do Campeonato Carioca, é hora de olhar para os próximos desafios: Brasileirão e Copa do Brasil.

É claro que reforços são necessários. Se o Flamengo não quiser ser figurante nas competições acima, não dá para Digão e João Paulo serem reservas de jogadores que estão muito no departamento médico e nem que a solução dos problemas quando precisar de atacante seja Nixon e Negueba. Além de jogadores pontuais (não considere Elano jogador pontual por favor!), o Flamengo precisa acertar os ponteiros entre o técnico Jayme ou a preparação física. Não, não houve nenhuma briga, nada de crise. Mas parece que eles não se acertam.

A preparação física do Flamengo está horrível. Acho que nunca se viu tanto jogador machucado logo o início do ano. E pára com essa história que disputar duas competições juntas quebrou time do Flamengo. No Estadual, Flamengo jogou até com time C. A impressão que tenho, vendo os jogos, é que o time do Flamengo cansa na metade do segundo tempo. Então, passei alguns jogos observando se o Flamengo cansa porque está correndo errado devido a orientação tática. Até porque também tenho a impressão que depois de um certo tempo, o time do Flamengo joga sem orientação tática nenhuma, meio que na base do "vamo lá, poha."

Embora muitos achem que falta tática ao time do Flamengo, acho que falta perna aos jogadores do Flamengo para cumprir  o que o treinador manda. E como falta perna, fazem o que dá, aonde dá e isso dá a sensação de desorganização tática, principalmente nos finais dos tempos (primeiro e segundo). Quando entra alguém descansado, com fôlego para correr, o time melhora o desempenho.

O Brasileirão é uma competição longa que terá uma pausa por causa da Copa do Mundo. É uma ótima chance para que os jogadores tenham um preparo melhor e me tire essa coisa que o time anda mal preparado fisicamente.

Se não houver uma mudança, vem um segundo semestre com departamento médico cheio, muitos reservas em campo e torcedores usando, mais do que nunca, a expressão da moda para qualificar a diretoria do Flamengo: falta de planejamento.

Saudações!

15 de abril de 2014

Felipe parece ser o nome da decisão do Carioca


Felipe no corredor do SporTV após participar do "Arena SporTV" (Foto: Wilson Hebert / SporTV.com)

Nenhum jogador foi mais falado nessa final do que o goleiro Felipe. Se não foi pelo desempenho dele dentro de campo, foi pelas palavras fora dele. Suas declarações que o Vasco parecia que disputava campeonato paulista porque há muito tempo não é campeão e a declaração que "roubado é mais gostoso" fazendo uma alusão ao gol que deu o título ao Flamengo no Carioca 2014 fizeram os moralistas do futebol lançarem teorias sobre ética como se um campeonato nunca tivesse sido decidido num erro, nem um jogador tivesse provocado o adversário por causa de um resultado.

Ele sabe que pegou pesado com a declaração do "roubado é mais gostoso". Tanto que não demorou um dia para pedir desculpas e reconhecer o erro. Embora não seja uma frase nova e já tenha sido usada, inclusive em capa de revista sobre futebol fazendo alusão a seleção brasileira, nada roubado é mais gostoso nem mais legal. Pode até ser engraçado mas estimular isso não está com nada.

Felipe vai conquistando o seu lugar no Flamengo,  até por causa dessas gozações que a gente tanto reclama que falta ao futebol. Não acho ele o mehor goleiro do mundo e não tem a minha preferência absoluta mas confesso que, com essas "travessuras", me faz rir. E futebol é para isso, para me fazer rir. Nem sempre eu consigo por causa do desempenho do Flamengo, mas procuro ter  diversão acima de tudo.

Diversão essa que o Felipe procurou provocar do torcedor quando debochou do Vaco e até mesmo o outro Felipe, o Bastos, do Vasco, quando comemorou (HAHAHAHAHAHAHA) no gramado antes dos 40 minutos do segundo tempo.

Com a notícia que o Vasco pretende processá-lo (???????), ele pega de vez o posto de nome da decisão do Carioca. Nenhum torcedor seja do lado de lá, seja do lado de cá, falou tanto de um jogador como ele.

Saudações!

14 de abril de 2014

Engole o choro!



A festa da arquibancada devia estar linda. O grito na garganta, para jovens vascaínos, estava preso. Estava para acontecer uma coisa inédita. Estava perto do fim o maior temor da vida deles. O Vasco estava perto de ser campeão em cima do Flamengo.

Na verdade, Vasco não teve competência para fazer o placar. Não jogou para isso. Não aproveitou a fragilidade do time do Flamengo, sua desorganização e nem a sua tristeza. Se no jogo passado já não tinha vencido um time que estava com a cabeça no futuro, nesse jogo não venceu um time que estava com a cabeça no passado. Duro para um torcedor aceitar. Mas, para você que só chora desde o final do jogo, que tal falarmos da não expulsão depois da falta em cima do Everton antes dos 15 minutos de jogo, da amarelada que o juiz deu quando viu que, ao dar cartão amarelo para o Chicão e o André Rocha, iria expulsar o cara do Vasco, que já tinha amarelo, então resolveu dar cartão vermelho e até mesmo as inúmeras faltas invertidas que houveram?

Não jogue a incompetência do seu time, aquele que tem jogador que faz cera e que prejudicou o time num lance capital do jogo e que tem jogadores que  comemoram em campo um título antes de 40 min do segundo tempo, nas costas de um torcedor de um time que brincou nesse estadual. Flamengo nesse estadual até com time C jogou e ganhou, enquanto o Vaskin com time titular penou para ganhar.

Sabe o castigo dos Deuses do futebol? De repente, está explicado com o gol do Márcio Araújo. Se não fosse ele, seria o Nixon a fazer o gol. Enquanto tinha dois jogadores do Flamengo sedentos pela bola, pelo gol, não havia nenhum do Vasco nos últimos minutos do jogo. Time como o seu não merece ter a glória de ser campeão. Sabe por quê? Um time campeão não pode desrespeitar adversário, não pode chorar em cada lance e, acima de tudo, não acha desculpa para a derrota nos outros. Um time campeão reconhece que a atuação não foi boa e procura fazer melhor. Foi isso que o Vasco fez do primeiro para o segundo jogo?

Há um longo caminho a percorrer para o Vasco. Ainda bem. Enquanto isso, com ou sem ajuda de bandeira, continuaremos a ganhá-los e fazer a festa na segunda-feira.

HOJE É DIA DE FESTA NA FAVELA!

Só time de segunda desperdiça uma oportunidade dessa!



A comemoração do titulo já estava rolando e o jogo não tinha acabado. Jogadores do Vasco pulando no banco de reserva, torcida gritando olé, time do Flamengo parecendo entregue em campo e a torcida calada. O fim da freguesia iria ter fim naquela tarde chuvosa no Rio de Janeiro? Finalmente, tinha chegado a hora do vascaíno que tem menos de 25 anos comemorar um título em cima do maior rival?

O jogo foi muito ruim. Péssimo tecnicamente. Pobre taticamente. O Vasco não soube aproveitar a desorganização do Flamengo. Aliás, sinceramente, NÃO ACREDITO que o Jayme não organize esse time taticamente. Não acredito que, depois de um jogo contra o Léon, não tenha dito aos jogadores o que queria. Prefiro acreditar, sim, em desobidiência dos jogadores inclusive exemplificando o individualismo exagerado de chutar a bola de fora da area em vez de passar para  companheiro melhor colocado. Ontem, parecia que o gol marcado de fora da área valia dois gols.

Não sei se o Vasco terá, enquanto eu viver, uma oportunidade de ser campeão em cima do Flamengo como essa. Flamengo vinha de uma derrota dolorida, com seus torcedores entristecidos, numa desorganização em campo inacreditável e com um falta de vontade de ganhar o jogo tão grande que o goleiro dos caras só apareceu em bola fácil, não houve defesa difícil.

Com o regulamento embaixo do braço e um gol no último suspiro, aproveitando-se da saída do zagueiro vascaíno que cansou de fazer cera para retardar o jogo e de um erro do bandeirinha, o Flamengo sagrou-se pela 33ª vez Campeão Carioca e varreu, um pouco, a tristeza pela eliminação da Libertadores para debaixo do tapete. Flamengo fez um campeonato carioca inquestionável, sobrou em campo em muitos momentos, Enquanto o Vasco usava titulares e sofria para ganhar jogos, o Flamengo usava time C e ganhava jogos. Usava o time B e goleava.

Não foi dessa vez, vascaínos. Aquela coisa de encerrar o domingo com vitória sobre o maior rival só ano que vem. Aquela coisa de comemorar título em cima dele, acho que só na próxima encarnação. Difícil o Vasco ter outra chance como essa. Por saber disso, sou incapaz de criticar o torcedor que gritou olé. Ele, assim como eu, sabia que estava muito perto e que era uma oportunidade única. E, sabe como é, oportunidade única a gente não desperdiça. 

Saudações!

Ôhhhh Pula aê, vai ser vice ATÉ MORRER




Ôhhhh Pula aê, vai ser vice ATÉ MORRER ♪

Cara, agora falando sério, quando se trata de Flamengo e Vasco é algo especial. Poderia ser somente mais uma final de "Carioqueta" em que o Fla usaria de Maquiagem pra tampar o estrago de quarta, porém conseguiram mudar um pouco da minha opinião. Nada como um domingo após uma quarta feira.

Hoje eu tive a certeza que "Ser Flamengo" é mais que torcer, é algo muito mais especial que isso. Cara, no momento do gol de empate foi algo sensacional. Ver minha família comemorar, todos se abraçarem e ver meu tio chorar de emoção foi algo ,realmente, Espetacular. Eu não escolhi "Ser Flamengo" Eu fui escolhido pra participar dessa nação de mais de 40 milhões. É amor, é loucura, é emoção, é FLAMENGO.

Bem sobre o jogo: Houve um equilíbrio enorme na partida. Claramente após a tal postagem da esposa vascaína do Juiz ter dito que o Vice do Vasco já seria certo, ele ficou a favor dos Fregueses da colina .. Duvida ?! até 40 minutos do segundo tempo o Vasco teve 21 faltas e o Flamengo 14.

Vascaíno que disser que foi roubado tem que ir a merda, sério. Porque ele não disse isso semana passada no Gol do Rodrigo, quando o Éverton Costa segurava o Felipe, Hein ?! É, vocês estão a 26 anos procurando desculpas dessas derrotas em finais contra o FLA por torcer pra um time "comédia". Edmundo se aposentou, Pedrinho se aposentou e nunca ganharam uma final sobre o Fla, que coisa, não ?

FELIPE: " É como diz o velho ditado: O Freguês tem sempre Razão" (...) " Roubado é mais gostoso" ..


Aceita que dói menos. NÓS QUEREMOS RESPEITO E COMPROMETIMENTO, ISSO AQUI NÃO É VA2CO, ISSO AQUI É FLAMENGO♪  33 VEZES CAMPEÃO ESTADUAL, PARABÉNS AO REI DO RIO.

Texto do Gabriel Vinicius -

Siga no Twitter @biielvinicius


13 de abril de 2014

O que é torcer para o Flamengo?





A primeira imagem que me vem a cabeça quando penso em futebol é do jogo Brasil x Suécia, no dia 03 de junho de 1978, durante a copa da Argentina. E por que me lembro deste jogo? Porque o Brasil foi ROUBADO descaradamente pelo árbitro galês Clive Thomas que, após Nelinho bater o escanteio aos 46 do 2º tempo e Zico fazer o gol, o soprador de apito termina o jogo com a bola no ar! Esta imagem ficou na minha cabeça de criança. Por quê? Porque eu começava a conhecer ali, não só um jogador de futebol, não só o ídolo do Flamengo, mas o homem com caráter a toda prova que, como desportista, é admirado pelos adversários e pelos gramados no mundo inteiro. Então que não venham torcedores de qualquer time adversário dar lição de moral falando de valores!

Comecei a torcer para o Flamengo num time que tinha: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Carpegiane, Adílio e Zico; Tita, Nune e Júlio César (Uri Geller). Sabe por que o Julinho era chamado de Uri Geller? Pela sua capacidade de entortar os adversários... Então, com o tempo e o conhecimento que fui adquirindo sobre futebol, e sobre o meu time, cada vez mais ficava orgulhoso de ser rubro-negro.

Ser Rubro-Negro é torcer para um time em que Domingos da Guia, Leônidas da Silva, Zizinho, Dida, Carlinhos, Geraldo, Zico, Bebeto, Júnior, Andrade, e tantos outros craques, que o flamengo faz em casa, tiveram o prazer de vestir a camisa e ganhar títulos de cansar essa torcida de tanto comemorar. É torcer para um time que nunca ficou mais de três anos sem levantar uma taça!

Ser Rubro-Negro é estar acompanhado de mais 40 milhões de pessoas, garis, motoboys, vendedores, recepcionistas, professores, engenheiros, médicos, advogados, dentistas, executivos, atores, enfim, ter superioridade numérica em qualquer classe social e profissão.

Ser Rubro-Negro não é fazer parte de uma torcida, mas de uma nação! De jogadores que fizeram história e que, pode até aceitar brincadeiras com estereótipos, mas jamais se calará quando a honra de sua nação ou de seus heróis for ferida por quem não tem moral clubística, nem argumento, por torcer por um grêmio esportivo, para questioná-la.

Enfim, torcer para o Flamengo é torcer para "O Mais Querido do Brasil" que, por isso mesmo, aparece mais na mídia. Até porque no confronto direto com todas as equipes cariocas possui mais vitórias, mais títulos, mais craques e mais história.

Por isso o nosso hino diz: "Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!".

Texto de:
Marcelo Menezes – Carioca, Professor de História e Rubro-Negro consciente.

10 de abril de 2014

O dia que insiste em não acabar!


Flamenguistas lamentam derrota e eliminação da Libertadores em pleno Maracanã

Não era um dia como outro qualquer. Aquela quarta-feira, decisiva para o Flamengo, começou cedo para a torcedora que queria que 19:45 chegasse logo. Ela resolveu fazer o que tinha que fazer, completar a "to do list" diária para que pudesse ficar livre para esperar o jogo que, já sabia de antemão, iria lhe tirar o fôlego. Normal, ainda bem que o time dela a fazia ter esse tipo de sentimento, de tempos em tempos. Ruim mesmo deve ser o time que comemora vitória contra time de segunda, terceira divisão.

Ela estava confiante, como sempre. Se tem uma que o Flamengo faz é dar confiança ao seu torcedor. O favorito pode estar do outro lado mas, para a torcida, que sabe que faz a diferença, isso é coisa de quem não sabe nada de Flamengo. Conforme ia chegando o horário do jogo, o coração ia acelerando. Quando apareceu a primeira imagem na televisão da torcida, ela mordeu  os lábios e, pela enésima vez, lamentou não estar ali, participando da festa. Logo ela que tinha ido aos dois outros jogos da Libertadores.

Ah, a festa. A festa que a torcida do Flamengo faz é única, cacete. Que orgulho dessa galera. Parem de reclamar que ela é coxinha porque vaia jogador.  Ninguém vaia jogador quando ele está bem no jogo. A vaia ao jogador que saiu contundido aos 10 minutos de jogo faz parte do universo do torcedor que quer o melhor para o Flamengo. Já parou para pensar que a forma de manifestação do cara tem que ser respeitada assim como você quer que a sua seja?  Quem foi que disse que a SUA forma de torcer é a certa?  Sou do tipo de torcedora que, na arquibancada, dificilmente você me verá vaiando, porque acho que não leva a nada. O cara não vai me escutar. Se escutar, vai ficar sob pressão. Você reagem bem sob pressão? Por que o cara que escuta 10 mil vaias reagirá bem? Se antes eram muitos como eu, tenho a consciência de que agora poucos são. O perfil do torcedor mudou, assim como mudou o perfil do jogador. Tenho a certeza que o perfil mais individualista dos jogadores que querem mais a glória pessoal do que a do time, ajuda no perfil dessa geração que nasce com a impaciência no DNA. Podem apelidá-los do que quiserem, nada me tira a satisfação de curtir o Flamengo. Eles curtem, da forma deles. E eu curto da minha.

O jogo foi teste para cardíaco. Quatro gols em 13 minutos, a bola que não entrou e a eficiência do time deles fizeram com que milhares de torcedores saíssem do Maracanã com o mesmo sentimento, independente da forma como ele torce.  A "to do list" de hoje não será cumprida com a mesma eficiência . A tristeza que insiste em permanecer mostra que o dia não acabou. A pergunta que fica é: será que é mais fácil para o torcedor que vaia virar o disco ou estamos juntos no mesmo barco?

Saudações!

A importância do carioca para o Flamengo


http://www.elaeeu.com.br/wp-content/uploads/2012/10/presente-dinheiro.jpg

É claro que conquista um título é espetacular. Em cima de um time que já foi o maior rival disparado do Flamengo, melhor ainda. Mas a importância da final tem um aspecto que, nos dias atuais de Flamengo, com a austeridade financeira e com o fracasso de público e, claro arrecadação, muitos não falam: o prêmio em dinheiro.

O prêmio para o campeão Carioca de 2014 é de R$ 3,5 milhões. São quase três vezes mais do que a Conmebol daria ao Flamengo se passasse para a outra fase da Libertadores. São quase 30 x mais do que a renda do a renda do primeiro jogo da final do Carioca, contra o Vasco. O Flamengo não pode se dar ao luxo de desperdiçar uma grana dessa.

A diretoria do Flamengo sabe disso. E, ao determinar objetivos do semestre/ano, a conquista do Estadual estava, assim como a classificação para fase posteriores na Libertadores, estavam na lista. Não foi a toa que o Jayme não abandonou o Estadual como muitos sempre pregaram. Além de, para mim, ter a questão técnica, de ter que colocar para jogar um time que teve o seu meio de campo todo alterado em relação ao time de 2013, o Flamengo sempre esteve de olho nessa premiação.

O título do Carioca não é impossível. Temos a vantagem do empate e um time que já demonstrou que pode se superar. Superação que é necessária por causa da eliminação traumática da Libertadoree e não por causa do time do Vasco.

Vida que segue, Flamengo. É andando para frente que se cumpre objetivos!

5 coisas boas para o Flamengo tirar da Libertadores 2014



Ser eliminado na primeira fase numa competição que o torcedor deposita tanta esperança de um novo título deixa uma sensação com uma mistura de tristeza, lamentação e chateação. Juntar os cacos e olhar para frente, sem medo de ser feliz é difícil mas é o que se tem que fazer. Apesar de ter feito uma campanha lamentável onde os vacilos individuais em jogos contra o Leon, Emelec e Bolivar fizeram a diferença, nem tudo foi perdido.

A vida segue e precisamos reconhecer o que deu certo para não só servir como exemplo para momentos melhores. Vamos a eles:

Samir

A mais grata revelação do Flamengo nos últimos tempos, se teve uma coisa que a Libertadores serviu foi para demonstrar que belo zagueiro temos. Independente do erro contra o Emelec que resultou o gol dos caras, as atuações do Samir deu um alento àqueles que acham que a nossa base nãoé de nada, só é de marmelada.

Aproveitamento do Everton

A velocidade, a disposição e a seriedade do Everton em todos os jogos da Libertadores é para servir de exemplo para Muralha, Neguebas e Andrés... A impressão que eu tenho é que ninguém suou nem correu  mais do que o Everton nesse início de ano.

Fora Muralha

Se alguém, seja por que motivo for, achava que, de alguma forma, o Muralha poderia vestir o Manto, essa Libertadores serviu para mostrar o quanto é absurda essa possibilidade. Não dá para o Flamengo ter no time um jogador que pensa que joga mais do que realmente joga. Arrebenta o meio de campo, o sistema defensivo e provoca a ira do torcedor. Pra que um jogador desse no Flamengo?

Não basta ter time, tem que ter elenco

É, talvez, uma das coisas mais duras a se constatar depois de um fracasso e tentar tirar algo de bom. Se a eliminação, da forma que foi, com um adversário "engolindo" o Flamengo dentro da sua própria casa, mesmo com ele jogando com disposição e vontade, pode trazer é o simancol para o povo que faz o futebol  do Flamengo. Simancol para enxergar que o Flamengo precisa de jogadores que não amarelem e que não achem que jogam mais do que jogam. O time do Flamengo não é ruim, mas nao dá para contar com Negueba e Nixon como no banco como possível solução para nada.

Virada do Alecsandro

Ele chegou desacreditado, contestado mas provou, jogo após jogo, o quanto, quando um jogador se dedica, pode "ganhar" a torcida. O que o Alecsandro fez nesses dois últimos jogos da Libertadores é para se aplaudir, de pé. Ao deixar o campo com três pontos na cabeça mais correndo e metendo a cabeça na bola mesmo assim, demonstrou o que é necessário fazer para estar em campo numa Libertadores. Não há como não considerar isso um ganho para o Flamengo.

A tristeza continua, de uma forma acachapante. De uma que estou procurando ver as coisas boas para não ficar ainda mais triste. Cada um reage da sua forma diferente. Eu prefiro reagir vendo o lado bom do que vendo só o lado ruim. Mas entendo, embora não concorde, com quem vê só o lado, Mas não dá, felizmente ou infelizmente, para mandar todo mundo embora e contratar tudo novo.

É respirar fundo, esperar o tempo passar e continuar com a certeza que eu teria um desgosto profundo, se faltasse um Flamengo no mundo.

9 de abril de 2014

De sem vergonha esse time não tem nada!


http://static.tumblr.com/hoggmbc/Q6qm1mehf/pqaaahw8rgsuy8l7hwsmtma3juqn9g6ncgfrt70qshpnkhgspt85smlctwjovb_lgudr2ah3ft0ib8ehm1epkiaxlowam1t1ulkovesbcvehppergqccfpcved64.jpg

Os caras lutaram mas o resultado não veio. Não veio em forma de gols, não veio como reforços a altura da Libertadores e não veio porque ela não é campeonato para se depender de Negueba e Nixon para fazer resultado de jogo. Gostei do que vi hoje. Flamengo foi um time aguerrido, com vontade, nervoso mas que não conseguiu o resultado. Coisas do futebol, tem dias que a gente ganha, tem outros dias que a gente perde. Desta vez, perdemos.

Não gosto quando o Flamengo perde. Tem vezes que fico emputecida, tem vezes que eu fico triste, tem vezes que eu fico os dois mesmo porque não sou de ferro. Hoje, eu só tenho tristeza, não tem emputecimento. Não me critique por isso. Poderia fazer tipo de blogueira brava com a diretoria, com os jogadores, com o ingresso caro e fazer todo um bla bla ba que caminha juntinho com a maioria da torcida. Mas a tristeza que eu estou, a lamentação não vem com emputecimento. O time lutou, fez o que estava ao alcance dele. Infelizmente não foi o que precisávamos e o outro time foi mais eficiente que a gente.

Há muito tempo não tínhamos um time que não amarela. Claro que não é o time mais raçudo que já vi, que faltam peças nele para melhorar a qualidade técnica, mas se tem uma coisa que esse time não é, é um time sem vergonha. O resultado pode ter sido uma vergonha, a eliminação pode ter sido uma vergonha mas, esse time que saiu de campo com jogador com ponto na cabeça, com jogador saindo porque não aguenta mais correr e saindo de campo pedindo desculpas a torcida com uma nítida tristeza no rosto, não combina com um time sem vergonha.

O Flamengo teve mais uma oportunidade de aprender como se joga Libertadores. Para quem achou que 2012 foi um acidente, 2014 veio para comprovar que o clube não sabe lidar com Libertadores.

E agora? É hora de juntar os cacos, levantar a cabeça e mostrar que um grupo campeão se faz de vitórias mas que aprende nas derrotas. Vida que segue e vamos buscar essa classificação de novo para que, em 2015, a gente tenha uma sorte melhor!

Copyright @ 2013 Primeiro Penta é o Flamengo!.