Image Map

23 de julho de 2014

O que eu espero do Luxemburgo no Flamengo

http://veja0.abrilm.com.br/assets/images/2011/5/37838/vanderley-luxemburgo-20-05-2011-size-598.jpg

Não sou fã do Luxemburgo. Nunca fui e acho que nunca serei. Mas das outras duas vezes que ele trabalhou no Flamengo, mais do que sair por desempenho ruim, saiu porque não "abaixou" a cabeça para as grandes estrelas do elenco no momento. Romário e Ronaldinho ficaram, ele saiu. Saiu e eu achava que não veria mais o Luxemburgo no Flamengo. Simplesmente porque os últimos trabalhos dele nao o credenciam mais a ser técnico de um grande clube.

Ao trocar Ney Franco e o seu desempenho horroroso que não passa de 15% pelo Luxemburgo, um técnico que não é contestado pelo seu currículo e sim pelos seus últimos trabalhos, a diretoria do Flamengo sinaliza que não estava satisfeita com o que estava tendo. Porém, muitas vezes, a mudança que se aponta tem consequências que precisam ser colocadas numa balança para não acontecer com o Flamengo de amanhã o que já acontece com o Flamengo de hoje: o acúmulo de dividas.

O último bom trabalho que o Luxa teve foi no Flamengo. Levou o Flamengo para as primeiras posições no Brasileiro numa zaga que tinha Welinton. Conseguiu controlar R10 para fazê-lo render. Colocou alguns garotos para jogar, como Thomas e Adryan. Alias, essa coisa de colocar jogadores do clube para jogar é uma coisa que o Luxemburgo faz bem.

Espero que ele consiga organizar taticamente uma equipe e que veja logo que não dá para armar o Fla como se fosse um time de masters. Vamos nos preocupar, primeiramente, em não tomar gols. Estamos tomando gols demais nos últimos jogos.

Espero que ele possa contar com quase um time que ainda pode ajudar mais o Flamengo que vem ajudando. Jogadores como Eduardo, Canteros, Caceres, Gabriel, Paulinho, Hernane, Léo e Samir serão importantes nessa retomada que o Flamengo terá e que o fará sair dessa lanterna.

Prometo que terei paciência. Não é possível que um técnico tenha um aproveitamento de 15% no Flamengo. A mudança era urgente. E, vamos combinar, acho que não tínhamos muitas opções de nomes para dirigir um time que estão numa profunda crise.

#VamosFlamengo

20 de julho de 2014

Uma vergonha chamada Flamengo

http://4.bp.blogspot.com/-rErCh4rvHy0/Tp-T7-EnycI/AAAAAAAAA1k/AzMQF3IQGTI/s640/Flamengo+x+Universidad+de+Chile+Vergonha+Camisa+3+Sul+Americana+FlaManolos.jpg

Não precisa nem o jogo contra o Internacional acabar. Com 4x0 e mais uma partida deplorável desse time que se insiste em mandar par campo, o que falta para quem dirija o Flamengo perceba que o caminho que está se trilhando é para ser o mais sombrio da história do clube?  E, olha, eu não estou falando de rebaixamento não, viu. Ainda não.

Flamengo com esses pseudo-jogadores que entram campo está acabando com a coisa mais valiosa que o clube tem: o tesão do torcedor em ver o Flamengo. É esse tesão que faz o cara torcer,  vibrar e dar dinheiro para essa máquina que se chama Flamengo. E, sem dinheiro, ela não movimenta né?  O que faz o torcedor dar dinheiro para o Flamengo, seja através de compra de produto, mensalidade de Socio Torcedor ou compra de ingresso não é carta melancólica  de vice-presidente que promete um timaço e entrega Elano e Erazo, muito menos diretor de futebol que promove uma gritaria ridícula e não faz porra nenhuma. O que faz torcedor dar dinheiro em para o Flamengo é time em campo. E isso o Flamengo não tem. São jogadores novos que acham que jogam mais do que realmente joga, um bando de jogador acima de 30 anos que tem mais barriga que os caras da pelada da Gavea no dia de sábado e outros que não tem condição psicológica nem técnica para estar no Flamengo.

Não adianta Flamengo pedir para torcedor apoiar, porque ele não é otário. Eu não sou otária. Quem me lê, não é otário. As pessoas estão vendo a falta de empenho, a frouxidão da diretoria e a inacreditável inércia que todo mundo está nesse período. E a inércia, por muito tempo, numa situação como ess, só causa uma coisa: vergonha.

É como estou em relação a esse time. Apesar de todo respeito que sempre terei  pelo Flamengo e as alegrias que ele já me deu na vida, não dá para curtir uma coisa que não quer ser curtida. É assim que eu vejo. Com falhas individuais, treinador perdido e sendo engolidos por adversários, esse time do Flamengo NÃO MERECE ser curtido nem apoiado. E, na boa, não rola dar energia para ajudar a quem não quer ser ajudado.

Mudem. Mudem urgentemente. A vergonha está imensa e mais do que o rebaixamento, o Flamengo caminha a passos largos para perder o respeito do próprio torcedor. Esse sim deveria ser a principal preocupação desse Flamengo vergonhoso. .

Saudações!

19 de julho de 2014

O piti que não deu em nada

http://mundomulheres.com/fotos/2013/05/Mulher-olhando-crian%C3%A7a2.jpg

Era uma vez uma criança mimada. Daquelas que fazia a mãe passar vergonha em tudo que é lugar. Quando era contrariada, começava a espernear gritar, se jogar no chão. Visualizou?  A mãe, a cada vez que a criança fazia esse tipo de coisa, dizia que ia colocar de castigo, tirar videogame, televisão. Só que quando chegava a hora de tirar esse monte de coisas, a criança fazia ainda mais escândalo, era mais choradeira, mais grito. Cansada, a mãe abria mão do castigo para não ver aquela máquina de fazer barulho perturbando a paciência. Tenho certeza, quase que absoluta, que você já presenciou uma coisa dessa.

Se você ainda não associou o que essa história tem a ver com o Flamengo,  a mãe que não faz porcaria nenhuma, embora grite e diga que vai fazer e acontecer é a diretoria de futebol do Flamengo. Teve coisa mais patética do que aquela gritaria do Felipe Ximenes não ter acabado em nada, nem com um afastamento de jogador?  Parece que estou vendo jogador numa roda de cerveja fazer a cara que criança faz quando consegue vencer a mãe com a gritaria, com deboche e olhar de vitória. Já imaginou quantas gargalhadas foram dadas no estilo "O cara chegou agora e quer sentar na janela? Não vai acontecer naaaada!" Pois é, eu imagino e não dá para não se entristecer em ver o Flamengo exposto daquele jeito e ficar ainda mais exposto com  inoperância na punição de jogadores que nada rendem. Um jogador que é capitão do time voltar sem braçadeira e não dar nenhum tipo de explicação é mesmo coisa de criança que a mãe não tem nenhum controle: faz o que quer, na hora que quer.

Os jogadores são as crianças mimadas. A falta de empenho deles é igual a criança de esperneando em locais públicos, se jogando no chão. Não tem coo não associar. Jogam quando querem, da maneira que querem e torcedor tem que ficar satisfeito.

E os torcedores? Bem, os torcedores são as pessoas que assistem um escândalo infantil e ficam com vergonha alheia da mãe. Os mais revoltados, vão lá falar com a mãe ou tentar agir com a criança, como os torcedores que vão a treino ou tentar falar com diretoria para exigir contratação e etc. Mas a grande maioria assiste e fica com vergonha, enquanto a mãe tenta se explicar ou aplicar medidas que a gente sabe que não vai dar em nada.

A grande lição que fica disso tudo é que enquanto não houver uma mudança de atitude, continuaremos com a mesma vergonha, porque as coisas continuarão se repetindo. E essa mudança só ocorrerá quando a mãe começar a colocar o filho de castigo, o fazendo entender que quem manda é ela e não o cansaço.

Enquanto o Flamengo continuar a mercê de jogador que se escala pelo nome e ter um técnico que se rende a isso, a vergonha não acabará. Infelizmente!

Saudações!


17 de julho de 2014

Flamengo Masters de araque

Foi um show de horrores. Aposto que nem o mais pessimista do torcedor esperava um Flamengo tão igual ao de quarenta e cinco dias atrás.  Aposto também que nem o torcedor mais otimista consegue manter a fé numa reviravolta. A sensação de tempo perdido domina os pensamentos dos torcedores. A sensação de que nada foi feito é enorme.

Eu não esperava o time do Flamengo voando. É impossível não concordar quando o Ney Franco fala que a falta de  ritmo de jogo prejudicou o rendimento do time.  Professor de educação física que é, ele pode ser tudo, menos leigo nesse assunto. Maaaaas será que não poderia ter minimizado isso, pelo menos na escalação de jogadores mais novos?

Duas coisas nesse show de horrores de um flamengo master de araque  me chamaram atenção: a lesão de futebol de fim de semana do Samir e o esforço do Leo Moura.

Há muito tempo eu não via, no futebol profissional, uma lesão como a do Samir. Pesa a favor do departameno de fisiologia do Flamengo ser a primeira partida depois de um recesso, mesmo com jogador treinando há um mês. Pesa contra, o fato de um treinamento nao ter preparado a musculatura e do Samir ser um menino. Impossível achar normal esse tipo de lesão.

Pelo menos um jogador teve uma mudança de comportamento. Ainda não é o capitão que o Flamengo merece, mas o esforço que o Leo fez ontem para tentar jogadas foi um dos pontos altos de um time medíocre. Pena que nem o seu preparo físico nem a fase técnica sejam suficientes para dar uma nota 7 para sua atuação. Como capitão, tem que cobrar mais, tem que se mostrar e assumir a sua função de capitão, tanto dentro quanto fora de campo.  Estou sentindo falta disso.

Nosso próximo jogo é contra o Inter e já estão comparando com a Alemanha pedindo para eles terem pena. Nada disso. O Inter não é uma Alemanha. Eu  sei que se o Ney Franco continuar insistindo nesse time com jogadores perto dos masters vai complicar para o nosso lado. É nítido que um time com  Felipe, Léo Moura, Chicão, André Santos, Elano e Alecsandro não irá para frente e não terá desempenho satisfatório.

São seis jogos com o novo técnico, nenhuma vitória e um futebol de envergonhar o torcedor rubro-negro, daquele jeitinho que ficamos em 2010, 2012.

Saudações!

15 de julho de 2014

Flamengo não se livra de Felipe e ele volta como titular!

http://imgsapp.esportes.opovo.com.br/app/noticia_128033434835/2014/06/25/2788885/Felipe-Treino-Flamengo-Cleber-MendesLANCEPress_LANIMA20140528_0075_29.jpg

Quando estorou toda aquela palhaçada (já posso chamar assim aquele ataque quase que epilético que não deu em nada?) e os rumores quue haveriam mudanças no Flamengo, sinceramente, achei que o primeiro a subir na barca que não houve seria o goleiro Felipe.

Felipe foi afastado, claramente,  dos últimos jogos do Flamengo antes da parada para não completar os seis jogos, o que impossibilitaria qualquer negociação do goleiro para outro clube dentro da primeira divisão. Tivemos que, por alguns jogos, aturar Paulo Victor no gol, inclusive falhando em gol de adversário que o jogo terminou empatado.

Cheguei, durante um curto período na pausa da Copa do Mundo, a acreditar na chegada do Julio Cesar no Flamengo e o Cesar seria o reserva imediato. Com isso, a saída de Felipe e Paulo Victor seria uma saída legal para não ter que aturar nenhum dos dois no gol do Flamengo e nem ficar com essa dúvida de quem é o melhor para ocupar uma vaga que tira o sono de muito rubro-negro.

Flamengo não conseguiu se livrar do Felipe mesmo impedindo-o de fazer o sexto jogo antes da Copa para ser negociado. Ele já foi anunciado como goleiro titular no jogo contra o Atlético PR. Assim sendo, ele completará o número de jogos que impossibilita uma negociação nesse ano para clubes da primeira divisão.

Entre os goleiros que estão o Flamengo, prefiro o Cesar. Novato, inexperiente mas tem mais técnica e é mais arrojado que os dois que não se destacam no gol do Flamengo. Porém, entre Felipe e Paulo Victor, Felipe é o meu titular e Paulo Victor fica no banco de reservas. Não gosto de goleiro que joga adiantado e isso já é suficiente para não querer o Paulo Victor como titular.

Vamos de Felipe contra o Atlético Paranaense. Que ele se concentre no jogo e consiga ter uma atuação digna de goleiro que já decidiu título para o  Flamengo.


14 de julho de 2014

Flamengo não é lugar para vagabundos!

http://static.tumblr.com/hoggmbc/Q6qm1mehf/pqaaahw8rgsuy8l7hwsmtma3juqn9g6ncgfrt70qshpnkhgspt85smlctwjovb_lgudr2ah3ft0ib8ehm1epkiaxlowam1t1ulkovesbcvehppergqccfpcved64.jpg

Vai recomeçar a jornada do Flamengo no Brasileirão. Na penúltima posição da tabela, não resta outra alternativa ao Flamengo do que começar a vencer os jogos, principalmente os que ele tem mando de campo. Quando se tem o mando de campo, os três pontos tornam-se obrigatórios porque é assim que nossos adversários vêem quando somos visitantes. Num campeonato de pontos corridos, não há como fugir dessa regra. Não há como achar empate em casa bom resultado.

É com esse pensamento que eu espero o time do Flamengo em campo na volta do Brasileirão 2014. Se perder ou ganhar faz parte do jogo e da competição, quero que o time que portará o Manto vermelho e preto tenha a consciência, PLENA, de que o Flamengo não tem lugar para derrota. Porque jogador que se acostuma com a derrota tem que estar longe do Flamengo. Na boa, dispenso jogador que fica de bla bla bla sem ter se esforçado, sem ter trabalhado, sem ter lutado. Deixa o bla bla bla para os vagabundos. E o Flamengo, tão querido, tão vitorioso, tao amado, não foi construído e nem pode ser habitados por vagabundos.

Não faltará apoio. Tenho certeza que a torcida apoiará e abraçará um time de jogadores que se esforçam, que honram as tradições do Flamengo. Do contrário, não poderão reclamar da falta de apoio. A torcida não tolera e nunca tolerou jogador vagabundo, jogador hipócrita, que faz uma coisa em campo e fora dele fala outra completamente diferente. Uma sugestão: não está a fim de jogar no Flamengo, rala. Cai fora. Pica a mula. Deixa para vestir o Manto quem quer, quem merece e quem o honra. De novo: o Flamengo não é lugar para vagabundos.

Aos vagabundos, vida curta. Agora, caras, para quem quiser entrar na vibe de apoio ao Mengão, para que a situação melhore e que essa vice lanterna seja apenas um passado negro, vida longa. Vida longa para curtir o Mengão e aproveitar o que ele nos dá de melhor. Se sem vagabundos, a vida é em melhor, imagina sem eles no Mengão? É para curtir!

Vamos para cima deles! Vamos recuperar o tempo perdido e fazer a Nação com milhões de torcedores voltar a sorrir. Eu acredito, a gente pode, o Flamengo vai conseguir!

Saudações!


10 de julho de 2014

A mesma praça, o mesmo banco...

http://www.seixospedranobre.com.br/admin/arquivos/produtos/020412090706285-bancosparajardim.jpg

E vai acabando a Copa do Mundo de futebol no Brasil e chegando a hora do Mengão entrar em campo novamente pelo Brasileirão 2014. Confesso que estou ansiosa para ver o quanto estou com a impressão errada sobre um elenco que não me provoca mais nenhum frio na barriga.

Eu não esqueci dos 3x0 em cima do Cruzeiro no primeiro tempo. Não me esqueci da maneira apática na qual o time se comportou, do capitão voltando sem a sua faixa, que deveria ser portada com orgulho, do esporro do diretor/gerente de futebol falando que tinha gente fazendo corpo mole e nem do faniquito inconsolável de gente da diretoria em Redes Sociais depois do vexame que foi a nossa última apresentação o Brasileiro. Pode não ter sido histórico, mas foi uma das coisas mais bizarras que eu vi do Flamengo nos últimos tempos.

É claro que o vexame do Brasil me fez relembrar e associar os 7x1 que se levou da Alemanha com o nosso vexame contra o Cruzeiro. Não, gente, eu não estou exagerando. Assim como não se pode aceitar uma goleada histórica numa semifinal de Copa do Mundo em casa, a gente não pode aceitar jogadores daquele jeito contra o Cruzeiro. Assim como os jogadores da Alemanha não aceleraram o jogo para não fazer mais gols no Brasil, os jogadores do Cruzeiro também não aceleraram. Não é porque o jogo contra o Cruzeiro não foi um vexame histórico (para alguns!) que não tenho que ficar inconformada. Aliás, por um bom tempo, lembrarei desse jogo. E tenho a impressão que ainda falarei muito dele.

Da mesma forma que o Brasil está tendo a chance de refazer o seu futebol num fato, o Flamengo teve. O Flamengo esteve com a faca e o queijo na mão e nada fez. Parece que o Brasil vai pelo mesmo caminho. Então, para quem acha que a CBF é uma porcaria porque não muda o rumo do futebol, vamos olhar um pouco para o próprio umbigo: o Flamengo também não mudou. Permaneceu na inércia. Preferiu se fazer de cego. Afrouxou.

Não dá para achar normal um 7x1 em 90 minutos, assim como não dá para achar normal um 3x0 em 45 minutos.

Saudações!

3 de julho de 2014

Seja bem-vindo Canteros, o não salvador da pátria!



Estou até emocionada! Depois de muita negociação, muito disse me disse, muita expectativa, o Flamengo anunciou uma contratação. Trata-se do argentino, Hector Canteros, que não tem como maior característica ser o salvador da pátria Flamenga. Por favor, desde já, não faça isso com o argentino de 1,76 m, 25 anos e que teve como último clube o Vélez Sarsfield, da Argentina.

Ele chega com a responsabilidade de suprir uma carência que não foi criada pela expectativa do futebol dele. O torcedor do Flamengo, que hoje olha com desconfiança a única contratação num momento do clube que esperavam 4, 5 contratações, não pode acreditar que o Canteros seja o salvador da pátria. Ele não era o craque do time, jogou poucas vezes pela seleção do seu país e os videos espalhados pelo Youtube trazem a certeza de que está longe de ser o craque que vai nos acalmar, embora seja um bom jogador.

Jogador de meio de campo, que já jogou em todas as posições, chega para ser titular de um time que carece de bons jogadores, principalmente em boa fase.

A minha torcida é para o Canteros conseguir organizar com seriedade e esforço um setor que precisa de suor. Literalmente. Pelo desempenho no Velez e no ano que ele passou no Valencia, da Espanha, ele pode ajudar o Flamengo. Não é a toa que ele chega para ser titular.

Seja bem-vindo ao mais querido, Canteros!

Julio César no Flamengo é uma boa?


http://i1.r7.com/data/files/2C95/948E/3128/F4BD/0131/2A7E/6D26/7C8D/JCesarBahia700.jpg

Esperei baixar a poeira para falar do Julio Cesar no Flamengo. É claro que não queria ser contagiada pela importância que ele teve na classificação do Brasil na Copa do Mundo.

Não escondo que entre Brasil x Flamengo, sou Flamengo. Não sou do tipo de que curte jogo da seleção com aquele patriotismo aflorado mas entendo quem curte e quem aproveita isso. Se acho bacana com o Flamengo, por que não acharia bacana com o Brasil? Só acho que o time da CBF não merece a moral que o Flamengo merece.

Nao há como negar, porém, que histórias como a do Julio Cesar, de redenção, de superação, encanta. Me encantou e deu um certo orgulho quando o Julio que fez isso, simplesmente porque não esqueci que associaram a imagem dele falhando em 2010 ao Flamengo.

O porta voz do Mengão, um torcedor que usa redes sociais para dar notícias de bastidor e quase sempre atropela o veículo oficial do clube, já soltou que o Flamengo fez uma contra-proposta em cima do que o Julio Cesar quer para jogar no Flamengo. Mas que a negociação está emperrada porque o Julio César não deu resposta. Ou seja, é caro para o que o Flamengo pode e quer pagar. Flamengo está oferecendo pouco e, mais uma vez, parece que não vai ter o jogador o clube.

Independente do que o Flamengo quer/pode/vai fazer, acho que é um bom momento para se investir em jogador que já tenha uma identificação com o clube. Flamengo carece disso. Há dois anos, eu seria totalmente contra a vinda do Julio Cesar. Além de achar que a saída dele não foi legal, encarei como  "esbanjada" o fato dele ter dio que não encerraria a carreira no Flamengo. Com o tempo, entendi que ele a saída dele não foi por causa do Flamengo e sim por causa das pessoas que faziam o Flamengo da época (e isso aconteceu com vários ooutros jogadores).

O Flamengo precisa de jogadores que motivem o torcedor ir aos estádios, para dar orgulho. Os times de futebol são movidos por isso ontem, hoje e sempre. Não sei se o Julio Cesar é o jogador ideal para consertar o time para uma melhor campanha no Brasileirão mas é uma ótima opção para fazer um Flamengo mais forte e aproximar esse time da torcida.

Muitas vezes, na vida, a etiqueta do preço pode até assustar. E, quase sempre, esconde os benefícios que só quem está bem antenado vê.

Saudações Rubro-Negras!

28 de junho de 2014

5 coisas para você se conformar com o Flamengo

http://extra.globo.com/incoming/12488436-de3-15e/w640h360-PROP/ney.jpg

Depois daquele jogo lamentável contra o Cruzeiro, que terminou 3x0 porque o Cruzeiro diminuiu o ritmo e teve até bronca do diretor de futebol em vestiário flagrado por câmera de canal de televisão, você teve a esperança que alguma coisa ia mudar e que um montão de jogador que o tempo já expirou no Flamengo iria entrar numa barca para nunca mais voltar, né? Ledo engano, meu e seu.

Duas semanas depois da volta aos treinamentos e quatro semanas após o ocorrido, nada mudou. Com o caminho tomado, algumas certezas  que, por mais que a gente reclame, não mudarão. E outras que, por enquanto, teremos que engolir por ser a preferência do técnico que lá está.

1) Time com três zagueiros

O time que vem treinando, tanto em Atibaia, quanto no Ninho do Urubu, vem sendo treinado com três zagueiros. Chicão, Wallace e Samir vão compor o setor para que o Flamengo deixe de levar gol em todo jogo. Com o elenco que  gente tem e considerando o desempenho, acho que é bom caminho. Vamos torcer para que os jogadores se adaptem ao esquema.

2) Elano é titular

Eis que, com Elano recuperado, Ney Franco já tratou de arrumar vaga no time titular para o cara que parece de vidro. Não adianta reclamar, sofrer ou xingar o técnico. É uma decisão tão certa que não houve nem substituição em treino. É torcer para que  vidro tenha sdo reforçado e que ele consiga desempenhar um bom papel no Flamengo.

3) O Mugni é o ultimo da fila

Com a preferência do Ney Franco pelo Mattheus no meio de campo do Flamengo, aquilo que já vinha de desenhando nos jogos antes da parada do Brasileiro, se concretizou: o Mugni não é a primeira (e acho que nem a segunda) opção para dar um pouco de criatividade ao meio de campo do Flamengo. O argentino, que chegou até a fazer boas atuações, principalmente quando entrou no segundo tempo, parece ser o ultimo (ou o penultimo) da fila de opções do Ney Franco.

4) Como não tem dinheiro, não há reforços

A diretoria não consguiu capitalizar para se ter reforços. E é uma ecolha não fazer novas dívidas porque tem a questão do comprometimento do pagamento de impostos. Não adianta reclamar, é a bandeira dos caras. Eles estão cientes de que esse time sem reforço não vai dar o dinheiro que eles tiveram no fim do ano passado principalmente em bilheteria, não são burros. Mas não querem arriscar e correr o risco de se enrolarem com o pagamento de dividas antigas. Concordando ou não, essa é a realidade do Flamengo. Vai continuar xingando ou vai se conformar? Eu queria o time reforçado e acredito que, inclusive, daria mais motivação para o Flamengo lucrar com ingresso e etc. Mas, pelo que se desenha, não é isso que vai acontecer.

5) Léo Moura é capitão e "imexível"

Ele pode até ter tirado a faixa de capitão no último jogo. O Flamengo pdoe até ter jogado um tempo inteiro sem um capitão. As atuações dele podem ser desastrosas, os gols dos adversários sempre tem a culpa dele mas o capitão do Flamengo é o Léo Moura. Jogador mais antigo do grupo, vitorioso com o Manto e líder do grupo. A esperança que ele estaria numa possível barca foi por água abaixo e parece que o capitão está mais firme do que nunca. Azar o nosso.


Eu já comecei a me conformar. Daquele jeitinho que é melhor aceitar do que ficar dando murro em ponta de faca. Por mim, mandava meia dúzia de gente embora, contratava dois ou três jogadores de peso para dar uma mexida nos jogadores que ficaram. Não aconteceu e parece que não acontecerá. Óbvio que os caras que comandam o Flamengo tem um parcela de culpa nisso mas o peso maior está nas pessoas que já passaram pelo Flamengo. A herança de glórias e títulos dentro de campo não é a mesma que fora de campo. Infelizmente.

Já estou com saudades do Flamengo em campo. Bom ou ruim, é o Flamengo. E é pelo Flamengo que meu coração bate mais forte!



Copyright @ 2013 Primeiro Penta é o Flamengo!.