Foi para o gasto!



O Flamengo venceu a primeira partida da final contra o Fluminense. Em outros tempos, estaríamos radiantes e sacaneando os rivais em mais uma segunda-feira pós-vitória. Porém, com o time em outro patamar, fica sempre a impressão de que jogamos pouco, mesmo depois de uma vitória de 2x1. A impressão é que jogamos para o gasto.

O pior é que jogamos para o gasto e isso foi pouco mesmo. Aliás, depois da volta da pandemia, estamos jogando bem aquém do que podemos. Não há mais a marcação alta, a movimentação está pouca e, com isso, dificulta a troca de passe que é tão comum na entrada da área adversária e jogadores como Everton Ribeiro, Gerson e  Gabigol não vem jogando como antes.

Além disso, há a falta da torcida e a motivação baixa por causa do campeonato carioca. Eu não acredito em elenco cabisbaixo por causa de uma possível saída do Jorge Jesus para o Benfica. Aliás, eu não acredito na possível saída dele.

Nessa primeira partida da final, o Fluminense foi melhor na maior parte do jogo. O preguiçoso time do Flamengo jogou para o gasto, pela vitória simples e em dois lances que lembrou o Flamengo outro patamar, liquidou o jogo e saiu com a vantagem na final do Carioca. Enquanto o Fluminense jogou 100%, o Flamengo não jogou 50% do que pode e venceu. Se por um lado, mostra a diferença entre os times, pelo outro, mostra o quanto estamos aquém do que podemos produzir. Em termos de performance, isso não é bom.

Com gols de Pedro e Michael, o 2x1 em cima do Fluminense mostrou algumas coisas que temos que ficar atentos para o resto do ano. O Gustavo Henrique deu segurança nas bolas aérea na zaga do Flamengo mas no chão não foi bem. A falha de marcação que originou o gol deles é coisa de juvenil. Além disso, as reposições de bola do Diego Alves e a cobertura do Rafinha precisam melhorar.

O Pedro entrou bem demais, gostei do primeiro tempo do Diego, Gabigol aceitou demais a marcação e foi expulso injustamente, Rodrigo Caio com bom desempenho de sempre e o equilíbrio do Filipe Luís e do Rafinha, mesmo afrouxando na marcação em alguns momentos, fizeram com que o Flamengo, mesmo pressionado, não perdesse o domínio das ações dele no jogo. Embora o time não tenha jogado bem, pelo que o Fluminense dominou o jogo, ofereceu pouco perigo ao Diego Alves. Quem destoou mesmo foi o Arrascaeta e o Vitinho. O Arrasca não está jogando bem e o Vitinho, embora tenha ajudado a cobertura da lateral em muitos momentos, tem aquela preguiça de dar continuidade às jogadas. Isso irrita demais.

A vantagem pelo empate para o segundo jogo, que será na quarta-feira, com transmissão pelo SBT, é nossa. Flamengo que se cuide porque o ódio que os jogadores do Fluminense estão, capitaneados pelo seu treinador, é de temer pela saúde física dos nossos. Imagina como deve ser difícil saber que perdem mesmo jogando 100% e outro time a 50%. Deve dar ódio mesmo. Deve dar tanto ódio que tinha torcedor rival comemorando boa atuação com derrota nas costas, numa final de campeonato.

Quarta-feira esse campeonato acaba, ainda bem. Vamos para mais um título, Flamengo. Bora, quem sabe, finalmente, atropelar o Fluminense.

Vai pra cima deles, Mengoooooo!


Espero que você tenha gostado do texto. Aproveite e confira também:

Poste um Comentário




Próximo
« Prev Post
Previous
Next Post »
0 Comentários

Comente, sempre, com educação. Se você é do Twitter, do Facebook ou de outra rede social, deixe o seu contato para que eu possa agradecer.
Ah, não esqueça nunca: UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO!