Habemus técnico! Seja bem-vindo, Domènec Torrent!




O Flamengo escolheu bem. Após alguns dias na Europa, o Flamengo anunciou o seu novo técnico, que vem para substituir Jorge Jesus.

O treinador catalão Domènec Torrent, de 58 anos, vem com contrato válido até dezembro de 2021, foi ex-auxiliar de Pepe Guardiola.  Este será o segundo trabalho de Torrent como treinador desde que deixou de ser assistente de Guardiola. Antes, comandou o New York City FC, da MLS, entre 2018 e 2019. O catalão e sua comissão vão receber, ao todo, 2,25 milhões de euros (cerca de R$ 13,7 milhões na cotação atual). Além do salário, há um acordo de premiações por metas, em processo similar ao que aconteceu com Jorge Jesus.
 
O que espero dele no Flamengo? Que consiga fazer o time jogar um futebol que traga títulos. Embora seja covardia a comparação com o que fez Jorge Jesus, que caminha para ser uma coisa única e rara, as credenciais do nosso novo técnico não são ruins.

Ele é adepto do chamado "Jogo de Posição", que tem como princípio a posição em campo, jogadores espaçados em campo e muito controle da bola. Se mantiver o que pregava com o Guardiola, a movimentação dos jogadores procurando a bola não será tão constante porque os jogadores têm posições bem definidas em campo. Espero que ele consiga achar logo uma forma do nosso elenco jogar com competência.

Sobre o idioma, acredito que ele não terá problemas, visto que temos vários jogadores que jogaram na espanha ou falam espanhol. Diego Alves, Rafinha Filipe Luís, Diego, Arrascaeta e Piris são exemplos disso.

Já quero mandar um Olê, Olê, Olê, Olê, Domê, Domê, no Maracanã.

Saudações!

O elenco do Flamengo Sesc RJ para temporada 2020/2021



O Flamengo anunciou a parceria com o Sesc com uma entrevista com o Bernardinho e o presidente Landim. Agora, já temos o elenco que representará essa parceria. Na Fla TV, terá um video especial com a apresentação deste elenco.

O Sesc RJ Flamengo já iniciou os treinamentos visando os desafios da temporada 2020/21. A equipe realiza as atividades na Urca, na Escola de Educação Física do Exército.

O elenco:
A levantadora Fabíola e Juma;
As ponteiras Amanda, Ana Cristina, Drussyla e Ariele;
As centrais Juciely, Milka, Valquíria e Lívia;
As líberos Natinha e Gabi
As opostas Lorenne e Sabrina

É importante lembrar que o propósito do Sesc RJ Flamengo vai além das competições. O técnico Bernardinho acredita que a equipe poderá fazer um grande trabalho de base e que deixará um legado importante para o vôlei brasileiro.


Vai amanhã?


Uma das coisas que mais gosto em redes sociais é a resposta quase imediata a notícias que antes ficariam dias como verdade, quando não passam de especulação.

Estar no controle da narrativa é essencial não só de forma institucional como no gerenciamento de carreiras. Nos últimos dias, vimos dois funcionários do Flamengo dando aula em relação a isso, enquanto o próprio clube anda a passo de tartaruga nesse aspecto.

A primeiro aula foi dada pelo médico do Flamengo quando a imprensa, de Portugal e do Brasil, anunciou que Jorge Jesus gostaria de levá-lo para Portugal. A indefinição que surgiu não demorou nem 2 horas. O próprio médico desmentiu no seu perfil em rede social, garantindo que ficaria no Flamengo, evitando exposição errada do seu nome e sossego pra sua vida.

A ssegunda aula foi com o Marcos Braz. Um jornalista informou que ele estaria a caminho de Portugal para tratar da contratação de um novo técnico para o  Twitter. Algumas horas depois, o próprio Maços Braz informou que estava no Rio, acabando com a narrativa dos jornalistas de plantão sobre a viagem e logística de contratação desse técnico. 

O "Vai amanhã?" que o jornalista mandou como resposta ao Braz virou meme, sticker de Whatsapp, piada generalizada e pode ser uma boa lição sobre a importância de quem conduz a narrativa, que estará sempre na frente da informação. Os outros que lutem. E perguntem, inclusive em rede social. 

Saudações! 

Meu malvadão favorito!

Meu malvadão favorito!

Meu Malvado Favorito da Record: Emissora repete filme pela ...

Para muita gente, o Flamengo ganhou a fama de malvadão nesta pandemia. Como foi o clube de futebol que mais lutou pela volta do futebol depois da paralisação por causa do isolamento social, foi acusado de não estar preocupado com a segurança dos seus colaboradores, seja jogadores ou funcionários do departamento de futebol. Inclusive com torcedores do próprio Flamengo indo contra o clube, além de dirigentes e torcedores de outros clubes.

O malvadão estabeleceu protocolo de treinamento que está sendo usado para outros clubes, passou com louvor em verificação sanitária para adequações higiênicas devido à pandemia e ajudou a Federação a demonstrar que é possível voltar a jogar futebol com segurança, mesmo que o mundo não esteja mais o mesmo que outrora.

Além de seguir como referência em segurança, o malvadão distribuiu alcool gel, mascaras e cestas básicas para comunidades, ajuda para ambulantes que trabalhavam no Maracanã e, por último, vale-alimentação para jogadores de clubes das séries B1 e B2 do Rio de Janeiro.

Sabe os clubes que criticaram o Flamengo? Estão sem pagar funcionários mais humildes, jogadores e colaboradores. São poucas iniciativas de ajuda desses clubes à sociedade. Mas o malvadão é o Flamengo.

O Flamengo luta, desde o início, para amenizar os impactos da pandemia do coronavírus. O Flamengo se porta como gigante que é, seja servindo na liderança para volta das atividades, seja encabeçando distribuição de insumos importantes nesse período.

Já imaginou se todos os malvadões fossem assim? Ah, meu malvadão favorito, que orgulho eu tenho de você!

O fim da Era Jesus no Flamengo


Mesmo com toda a especulação dos últimos dias, fiquei surpresa com a saída do Jorge Jesus do Flamengo. Não que eu achasse que essa relação seria pra sempre. Mas acreditei que a renovação de contrato feita há pouco tempo, a situação do Benfica além do pacto feito com jogadores para a conquista do Mundial iriam pesar na decisão de ficar.

Foi uma linda história do amor. A minha gratidão pelo trabalho do Jorge Jesus é imensa. O Flamengo campeoníssimo só aconteceu em 2019 porque era o Jesus que estava no comando. Porque o Jesus é mesmo sensacional. Tão sensacional que a torcida incorporou o coro do Olê, olê, olê, Mister, Mister como se fosse o Flamengo sendo cantado. E, de certa forma, era o Flamengo, o Flamengo de Jesus que foi perpetuado, ali naquelas tardes/noites invictas de 2019. Como não ser grata por aqueles momentos? 

A torcida abraçou o Mister. Compramos a briga por ele ser técnico estrangeiro, defendemos contra a imprensa e antis, gritamos o nome dele em alto e bom som em estádios e lugares pelo mundo, comemoramos a sua renovação de contrato e torcemos até o fim para que a saída não se concretizasse. A gente sabe que o Jesus, dificilmente, será tão amado quanto foi aqui. Amado e idolatrado. 

O Flamengo fez a sua parte. Deu tudo o que o Jesus pediu. Deu estrutura, trouxe jogadorées de alta qualidade, pagou prêmios e salários altíssimos, adaptou métodos, institucionalizou protocolos com condições de trabalho únicas no país. O Flamengo sai maior da Era Jesus e com a certeza de que podemos ser do tamanho que a gente sempre sonhou.

Foi um grande relacionamento, que em 13 meses deu 6 títulos ao clube. Ele tem mais título que derrotas. 

Dizem que toda a história de amor tem um fim. Tem gente que sabe sair dela, tem gente que não. Quem não sabe, deixa um asterisco infeliz, um "porém" que nem todo mundo entende, aceita. 

Saibamos respeitar os sentimentos de quem releva um asterisco final e de quem não releva. 
O Flamengo é maior do que qualquer CPF. Vida que segue! 

Bem-vindos, Bernardinho e Sesc Rio!


Hoje é um dia histórico para o vôlei do Flamengo.  Numa coletiva transmitida pela FLA TV, o presidente Rodolfo Landim anunciou a parceira do Flamengo com o Sesc Rio, o time do Bernardinho.

O tamanho da importância dessa fusão para o Flamengo e para o esporte olímpico do clube é imenso. Além do know how do multi-campeão Sesc, teremos o melhor técnico do esporte coletivo da história. Eu não conheço um melhor do que o Bernardinho, seja o esporte que for.

Vitorioso e competente, ter o Bernardinho como técnico do time de volei feminino deveria ser motivo de comemoração até pra quem não gosta de voleibol. O Flamengo forte em todos os esportes deveria ser motivo de alegria para todo rubro negro. 

Vale lembrar que o Flamengo abriu mão da sua vaga na Superliga e disputará o torneio pelo Sesc, maior campeão da história da Superliga, com 12 títulos. Com o projeto do time masculino cancelado, a junção com Flamengo, clube de maior torcida no Brasil, vem a calhar para o Sesc após a crise causada pelo Covid-19. Já para o Flamengo, é uma chance de brigar por títulos no vôlei.

Acredito que nos próximos dias já teremos notícias das jogadoras que farão parte da temporada e jogarão com o Manto. 

Seja bem vindos, Bernardinho e Sesc. Muitas vitórias portando o Manto. 

Saudações!

O super time do Fla Basquete



A temporada que se passou terminou sem que houvesse o término do campeonato devida à Pandemia. Porém, já pensando na próxima temporada, o Flamengo vem trabalhando firme na renovação e contratação de jogadores para elevar o padrão do time, que já era bom.

A divulgação as renovações e contratações começou com o técnico Gustavo de Conti.  Assim sendo, ele continuará no comando da equipe por mais um ano. É ano de final da Champions League e a edição seguinte da competição, para a qual o time já carimbou o passaporte, além do NBB.

Já para as renovações dos jogadores, o Flamengo começou pelo nosso Deus da Raça. Fundamental em quadra em vários momentos da última temporada, pode adicionar mais um ano para o craque Olivinha na linda história que ele tem com o Manto.

Outro que tem uma linda história com o Manto e também renovou contrato é o ídolo Marquinhos. Ele seguirá como um dos principais destaques do time comandado por Gustavo De Conti.

Outra renovação que agradou bastante foi do armador Franco Balbi. Armador, ele seguirá conduzindo o elenco rubro-negro em busca dos principais objetivos no próximo ano.

Outros que renovaram contrato foram o Jhonatan Luz , o  pivô Rafael Mineiro (em sua terceira temporada consecutiva no Flamengo) e Leo Demétrio (o melhor sexto homem da temporada - foi muito importante nas conquistas da temporada passada.

As contratações vão elevar (e muito!) o nível do elenco do Fla BAsquete.

O primeiro a ser anunciado foi Luciano "Chuzito" González. O ala-armador de 30 anos chega ao Rubro-Negro após boa passagem pelo San Lorenzo.

Outro anunciado foi o armador Yago Mateus, de 21 anos, é o novo jogador do Flamengo. Atleta da Seleção Brasileira, o jovem é um dos principais destaques do basquete brasileiro, e chega ao Mais Querido após passagem pelo Paulistano.

A contratação que mais gerou comemoração foi a do Rafael Hettsheimeir. Atleta de seleção brasileira, com experiència no basquetebol europeu, o atleta da Seleção Brasileira chega ao Mais Querido como um dos principais nomes para a temporada.

Para terminar, foi criado um grupo de Whatsapp para debater o basquete do Flamengo: Clique aqui e entre!

Evite sua expulsão do grupo: - Não encha o grupo com stickers, nem mensagens de bom dia - Não xingue o colega - Não tem pra que falar sobre política, religião ou outro assunto

Adiciona mais um título: bicampeão Carioca 2020




Ainda bem que eu não perco a minha capacidade de ficar com o frio na barriga numa decisão de título, seja ele qual for. Para aumentar minha ansiedade, ainda tem toda o imbróglio do Jorge Jesus e sua permanência no Flamengo. No fim do dia, eu já estava com o coração mais calmo em relação à saída de Jesus e feliz com o bicampeonato carioca do Flamengo. Foi o 36º título carioca do Flamengo.

Fora de campo, houve um esforço para tentar aproximar a torcida dos jogadores. Houve rua de fogo na chegada do Maracanã, bandeiras de torcida organizadas, mosaico usando leste superior e inferior, além de som ambiente com gritos da torcida do Flamengo.

O gol do Vitinho, o da vitória, no fim do jogo premiou o time que procurou o jogo todo. Embora ainda esteja longe do Flamengo de 19, o time teve uma melhor do que os jogos passados. Com o Gerson mais atuante e o Filipe Luís como melhor em campo até o momento da sua substituição, o Flamengo pressionou Fluminense em muitos momentos durante todo o jogo no seu campo de ataque. Se a gente não tivesse um Arrascaeta apagado, ER7 em ritmo lento e BH ainda longe da sua melhor forma, o resultado poderia ser mais elástico.

O gol do título veio num chute do Vitinho que desviou no zagueiro e enganou o goleiro, quase no último minuto do jogo. Vale ressaltar que se o Fluminense foi bravo nos outros jogos, jogando pela vitória, ontem se acovardou. Ao jogar por uma bola no contra ataque, deu o campo para o Flamengo jogar e pressioná-lo durante uma boa parte do primeiro tempo. No segundo tempo, ao colocar o Ganso em campo, praticamente carimbou a faixa do Flamengo. A gente sabe que o Flamengo era franco favorito mas não custa a agradecer o técnico do Fluminense pelas substituições que colocaram uma pá de cal na única  estratégia que ele tinha em campo.


O bicampeonato veio e foi mais um título dessa incrível Era que vivemos. Além disso, o Flamengo fecha o ano com título em todo o campeonato que disputou em 2020. Mais um feito para o Flamengo de Jesus, um time que não se cansa de juntar comemorações. 

O Flamengo vai dar um descanso para os jogadores, que voltam a treinar para o início do Brasileiro, no início de agosto.

Foi para o gasto!



O Flamengo venceu a primeira partida da final contra o Fluminense. Em outros tempos, estaríamos radiantes e sacaneando os rivais em mais uma segunda-feira pós-vitória. Porém, com o time em outro patamar, fica sempre a impressão de que jogamos pouco, mesmo depois de uma vitória de 2x1. A impressão é que jogamos para o gasto.

O pior é que jogamos para o gasto e isso foi pouco mesmo. Aliás, depois da volta da pandemia, estamos jogando bem aquém do que podemos. Não há mais a marcação alta, a movimentação está pouca e, com isso, dificulta a troca de passe que é tão comum na entrada da área adversária e jogadores como Everton Ribeiro, Gerson e  Gabigol não vem jogando como antes.

Além disso, há a falta da torcida e a motivação baixa por causa do campeonato carioca. Eu não acredito em elenco cabisbaixo por causa de uma possível saída do Jorge Jesus para o Benfica. Aliás, eu não acredito na possível saída dele.

Nessa primeira partida da final, o Fluminense foi melhor na maior parte do jogo. O preguiçoso time do Flamengo jogou para o gasto, pela vitória simples e em dois lances que lembrou o Flamengo outro patamar, liquidou o jogo e saiu com a vantagem na final do Carioca. Enquanto o Fluminense jogou 100%, o Flamengo não jogou 50% do que pode e venceu. Se por um lado, mostra a diferença entre os times, pelo outro, mostra o quanto estamos aquém do que podemos produzir. Em termos de performance, isso não é bom.

Com gols de Pedro e Michael, o 2x1 em cima do Fluminense mostrou algumas coisas que temos que ficar atentos para o resto do ano. O Gustavo Henrique deu segurança nas bolas aérea na zaga do Flamengo mas no chão não foi bem. A falha de marcação que originou o gol deles é coisa de juvenil. Além disso, as reposições de bola do Diego Alves e a cobertura do Rafinha precisam melhorar.

O Pedro entrou bem demais, gostei do primeiro tempo do Diego, Gabigol aceitou demais a marcação e foi expulso injustamente, Rodrigo Caio com bom desempenho de sempre e o equilíbrio do Filipe Luís e do Rafinha, mesmo afrouxando na marcação em alguns momentos, fizeram com que o Flamengo, mesmo pressionado, não perdesse o domínio das ações dele no jogo. Embora o time não tenha jogado bem, pelo que o Fluminense dominou o jogo, ofereceu pouco perigo ao Diego Alves. Quem destoou mesmo foi o Arrascaeta e o Vitinho. O Arrasca não está jogando bem e o Vitinho, embora tenha ajudado a cobertura da lateral em muitos momentos, tem aquela preguiça de dar continuidade às jogadas. Isso irrita demais.

A vantagem pelo empate para o segundo jogo, que será na quarta-feira, com transmissão pelo SBT, é nossa. Flamengo que se cuide porque o ódio que os jogadores do Fluminense estão, capitaneados pelo seu treinador, é de temer pela saúde física dos nossos. Imagina como deve ser difícil saber que perdem mesmo jogando 100% e outro time a 50%. Deve dar ódio mesmo. Deve dar tanto ódio que tinha torcedor rival comemorando boa atuação com derrota nas costas, numa final de campeonato.

Quarta-feira esse campeonato acaba, ainda bem. Vamos para mais um título, Flamengo. Bora, quem sabe, finalmente, atropelar o Fluminense.

Vai pra cima deles, Mengoooooo!

Finalmente, um domingo de Flamengo!


Estava com saudades de um domingo com Flamengo na minha vida. Almoçar e esperar meu grande amor preencheu meu dia de uma forma que só compartilhando mesmo com vocês. 

A decisão mais sábia que tomei no fim de semana que teria o Flamengo no domingo foi não me estressar antes da hora com a tal plataforma que se anunciou que transmitiria o jogo. No domingo de manhã, testei com a senha que recebi do sócio torcedor e não tive problemas de acesso, embora a imagem fosse ruim. Porém, na hora do jogo, só conseguir acessar espelhando o celular e simplesmente travou com pouco mais de 3 minutos de jogo. Se não fosse uma amiga avisar que o jogo estava liberado na FLA TV, teria sofrido o primeiro tempo todo já que, com o celular espelhado, não teria acesso às redes sociais para a informação. Santa amiga!

Ficou provado que o Flamengo precisa se juntar a parceiros que sejam iguais ou maiores que ele, em qualquer área. Passou da hora do Flamengo deixar de servir de trampolim para empresa menor que nem presta um serviço tão bom. Se queriam fazer testes sobre uma nova forma de arrecadação de um novo modelo que está surgindo, erraram o parceiro e no timing da cobrança para essa arrecadação. Em 2020, ainda tem gente no clube que parece não ter noção das "dores" da torcida do Flamengo, como se comporta. Tudo foi uma bola tão fora que poderia chamar de pênalti do Baggio na final da copa de 94. 

Dito isso, vamos ao jogo, que foi assistido na FLATV, com uma ótima experiência. Eu gosto do Emerson, gosto do Raul Plassmann comentando, da repórter de campo, mesmo não podendo fazer entrevista é boa. Além disso, não tem comentários e narração contra o Flamengo. Acho um espetáculo não ouvir que o Vitinho, jogador que custou 10 milhões de Euros vai entrar no jogo. 

Quanto ao time do JJ, está jogando mais do que antes da parada da pandemia. A troca de jogadores com movimentação no ataque, os botes certeiros no meio de campo que definitivamente não deixa os adversários jogarem faz com que o time tenha amplo domínio das ações. No jogo contra o Volta Redonda, especificamente, o aumento da performance de jogadores como Filipe Luís e Gabigol como garçom vem para solidificar uma nova forma de se jogar.  

O Flamengo atacou com gosto. Se não fosse os toques pro lado na hora da conclusão e o goleiro do Volta Redonda, o melhor em campo, na minha opinião, poderíamos ter saído com uma goleada.  Não é exagero afirmar isso. 

A vitória por 2x0, com dois gols do Bruno Henrique trouxe a vaga na final da Taça Rio. Se vencermos o Fluminense na quarta-feira, ganharemos a Taça Rio e o campeonato carioca. Claro que a expectativa por novos títulos é grande. Há quem queira classificar títulos. Eu quero empilhá-los. 

Vai pra cima deles, Mengo! 

Saudações. 

Foi uma noite histórica!



Para quem acompanha o dia a dia do Flamengo e se interessa por fazer o Flamengo maior, já sabia que, no dia que o clube saísse das amarras da Rede Globo para transmitir os seus jogos, iria ter um retorno importante que ditaria novos rumos para o clube e pro futebol brasileiro.

Sou daquelas que está longe de dispensar a Rede Globo e seus milhões, levando o Flamengo para todo o país. Sei bem que no ano de 2019 eles usaram como puderam o artifício do Premiere e transmitiu pouco para TV aberta, mas eu acho um veículo importante. Mas a gente precisa ter a opção fora da caixa, no caso, da Globo. E a FLATV é o caminho.



Ao fazer a sua primeira transmissão solo de um jogo ao vivo, a FLA TV, braço do clube no Youtube, mostrou com uma boa qualidade técnica que há um IMENSO caminho com inúmeras oportunidades que podem fortalecer, ainda mais, o Flamengo e aproximá-lo de seus torcedores.

Graças a uma MP que permite os mandantes dos jogos transmitirem seus jogos e como o Flamengo não tinha contrato com a Globo para transmissão dos seus jogos pelo campeonato carioca, a FLA TV pôde fazer a transmissão de Flamengo x Boavista, no Maracanã. Pensa num coração aquecido em ver o nosso Flamengo em campo: era o meu!



O Flamengo venceu o Boavista por 2x0, gols de Pedro e Gerson (que merece placa por aquele golaço!). Sei bem que o placar poderia ser maior se o time chutasse mais a gol e não ficasse de toques para o lado. Porém, o resultado foi importante porque mantivemos a liderança de pontos no campeonato e se ganharmos a Taça Rio, que tem a semifinal no fim de semana e a final no meio da semana que vem, o Flamengo é campeão carioca de 2020.

Se dentro de campo a obrigação foi cumprida, fora de campo, a transmissão da FLA TV não deixou nada a desejar. Com o pré-jogo cheio de informações, com o bom Raul Plassmann e Rondinelli numa resenha bem legal, uma narração caseira do jeito que eu gosto e câmeras com ângulos diferentes, eu me diverti a beça com a noite histórica.

A noite foi histórica porque, além de trazer recordes, teve uma importância que  a porta que foi aberta não beneficiará apenas o Flamengo. Tenho certeza que a noite serviu para o Flamengo mudar o paradigma (DE NOVO!!!!) das transmissões esportivas. Com o pico de 2,2 milhões de pessoas assistindo e doações que chegaram a R$ 800 mil (isso carece de maiores informações porque li em rede social), o desafio agora do Flamengo (e de outros clubes) é fazer esse tipo de negócio funcionar para faturar mais do que os R$ 120 milhões que a Globo paga pelo pay-per-view do Brasileiro, por exemplo.

Sei bem que para chegar nesse nível vai demorar. Além de termos contrato até 2024, teremos que ter projeto muito sólido para trazer mais dinheiro do que a Globo paga. Será que conseguirão montar uma estrutura  e parceiros para viabilizar isso sem dar prejuízo ao clube?

Por ora, a porta foi aberta com recordes, boas impressões, torcedores orgulhosos e, principalmente, uma opção para uma caminhada que antes não tínhamos. Isso é importantíssimo.

Vamos crescer, FLATV! É você que, espero um futuro bem próximo, levará conteúdo rubro-negro para todos os cantos do mundo. Rumo aos 5 milhões de assinantes!

Saudações!