Seja bem-vindo Ao Flamengo, Rafinha!



O Flamengo anunciou a contratação do lateral Rafinha para a continuidade do ano.  É uma contratação para animar qualquer rubro negro que goste de qualidade no time.

O anúncio da contratação foi muito mal feito, parecendo mesmo uma cortina de fumaça pela péssima atuação do time mais cedo contra o Fluminense. Acho que um jogador do naipe do Rafinha merecia coisa melhor. E, por achar isso, esse parágrafo é o único que falará disso nesse texto.

Sempre que o Flamengo contratava alguém de 13,14,15 eu olhava para o elenco e pensava: fulano é melhor que sicrano, então o elenco vai melhorar. Foi assim que eu pensei quando Pará chegou, quando Rodinei chegou. A gente poderia discutir que era melhor ou pior mas, quando eles chegaram, diminuiu a ruindade que a gente tinha depois da saída do Léo Moura. Porém, com o anuncio do Rafinha, o upgrade que foi dado é para deixar qualquer rubro negro satisfeito. A lateral direita é um problema antigo desse time, que precisa de um jogador bom para jogar com o Everton Ribeiro.

O anúncio não foi uma surpresa total. Pelas redes sociais, a gente já sabia que estava perto. Vídeos de torcedores, vídeo do Rafinha cantando um samba foram indícios. Ele já tem apresentação marcada: de 24 de junho. Vai ter 2 anos de contrato com o Flamengo.

Rafinha é o quinto reforço do Flamengo na temporada. Antes dele, chegaram Arrascaeta, Bruno Henrique, Gabigol e Rodrigo Caio. Uma lista de reforços dessa, bicho?

Seja bem-vindo, Rafinha. Muito sucesso com o Manto.

Fla Basquete explica, em quadra, o termo "acreditar sempre"



Não teve lição melhor do "acreditar sempre" do que a atuação do Fla Basquete nessa final de NBB.

Já sabia que o basquete era o esporte de capeta. Mas na final do NBB, no sábado, eu senti isso de perto. De muito perto.

Embora eu estivesse muito nervosa para a final contra o Franca, na casa deles, no jogo 5, eu consegui ver o primeiro tempo do jogo relativamente bem. Óbvio que a diferença no placar, que chegou a 18 pontos (se nao me engano!) ajudou nesse processo. E falo óbvio porque, no apagão típico do terceiro quarto, quando o Franca começou a se aproximar no placar, o relativamente bem foi pro espaço.

Mas foi pro espaço mesmo. MESMO! Quando a diferença chegou a 5 pontos, o coração acelerou tanto que percebi que misturar basquete + Flamengo + final de campeonato amplificou a frase "basquete é esporte do capeta".

Não consegui mais ver o jogo regularmente. Desliguei a TV, torcia e comentava o jogo pela atualização alheia. Voltei a ligar a TV apenas quando uma amiga mandou um áudio falando que era nosso, depois de se divertir com o meu desespero.

Não tenho a audácia de tentar explicar o que é esse time do Flamengo. Quase dois dias depois, eu sequer tenho explicação para o imenso feito de um time que fez de salão de festa o ginásio da "capital do basquete".  Aliás, a festa estava preparada para o time de outras cores. Percebeu a cor do papel picado na hora de levantar a taça?

Não tenho como explicar o poder de decisão de um Marquinhos que ressurge no meio de uma fase final de um campeonato disputadíssimo. Você consegue cornetar o Marquinhos e ele não te "tirar" a corneta com boas atuações?

Arruma aí uma palavra que defina o Olivinha porque RAÇA já não basta. Depois do que eu vi nessa fase final, o RAÇA PRA CARALH* é pouco. Sinto muito mas é pouco.



Poderia falar do controle que o Gustavinho teve em muitos momentos da série final, poderia falar da eficiência do Balbi, da boa parte que o Mineiro fez no quinto jogo, da regularidade do Davi, das bolas de 3 diversas que salvaram nossa vida nessa final mas a gente tem que bater palma e estudar (para achar uma fórmula para outros esportes) a imensa capacidade de superação do Basquete do Flamengo. O elenco muda, o técnico muda e ele sempre nos surpreende.

Vida longa a essa energia do Fla Basquete. O Primeiro Penta do NBB agora é HEXA! Parabéns, meninos!

Soneca ativada no Fla x Flu!



A gente precisa falar do Fla x flu que terminou em empate por 0x0. Empate esse que tivemos o Diego Alves como melhor jogador em campo (pelo segundo jogo seguido), falta de vontade do time (vou nem citar nominalmente os jogadores), atuação ruim de vários jogadores e a exposição, para quem ainda insiste em não aceitar, do trabalho ruim que o Abel fez com esse time do Flamengo. E com o modo soneca ativado, tudo fica mais difícil. Se o Fluminense saísse com a vitória no clássico de ontem não seria nenhum absurdo.

O time do Flamengo não consegue ter a constância de um time que QUER ser campeão brasileiro. Campeonato esse que, por ser longo, exige uma regularidade de marcação de pontos sempre pra cima. E a única regularidade que esse time do Flamengo tem é de perder pontos que não pode perder. Não dá para perder 2 pontos para um time como o do Fluminense com o estádio com mais de 35 mil pessoas impulsionando o time. Nada contra o time do Fluminense, que inclusive foi melhor no jogo, mas a regularidade que um time precisa para chegar a 70, 75 pontos em 38 rodadas passa em fazer 3 pontos nesse tipo de jogo. Não dá para entrarem campo com o sono que o time entrou.

Quer dizer o campeonato brasileiro está perdido? Não. Eu acredito que após a parada da Copa América, teremos um novo campeonato, principalmente para o Flamengo.  Dá para buscar a diferença para o Palmeiras. Dá para melhorar a performance que nos leve a vitórias. O que não dá é continuar como está. Seja sincero (a): o time do Flamengo te inspira confiança para ganhar um grande jogo?

O empate contra o Fluminense foi um resultado ruim, tal qual a atuação do time. Time esse que não consegue jogar quando o craque, o Everton Ribeiro vai mal. Como não é sempre que ele vai bem, a gente precisa ter alternativas para isso. O time treinado pelo Abel, com o esquema respeitado pelo Marcelo Salles, não consegue ter opções. E, vamos combinar, é muito pouco para um time que gastou tanto dinheiro em contratação e jogadores para decidir.

A última partida antes da parada da Copa América é contra o CSA. Os 3 pontos são obrigatórios para não deixar o povo da frente se distanciar na tabela.  Que a soneca vista no jogo das 19h, num domingo no MAracanã esteja bem longe do time. Zzzzzz!

Saudações!