Que emoção, no coração!


"Dani, to saindo de casa."

Essa frase é a chave pra colocar a roupa de gala da ida ao Maracanã, separar o necessário de documento, dinheirinho, comer uma coisinha e esperar a carona da amiga pro jogo. 

Na quarta-feira passada (sim, esse texto começa lá), eu esqueci de comer uma coisinha. Esqueci o celular também, tive que voltar pra pegar. Na volta, esqueci a chave de casa no carro, a Cris teve que fazer meia volta pra me trazer. Mas eu nao esqueci da sensação do primeiro gol. Muito menos a do segundo. Que emoção, no coração. Basta fechar os olhos para me ver em cima da cadeira, ja sem casaco, despenteada, olhando pro céu e pensando "obrigada por eu ser Flamengo nessa vida, meu Deus. Dentre tantas coisas boas, Tu caprichaste nessa!" Ali, fazendo parte daquela massa que somos todos menos alguns, acompanhando o canto que me sorrir e chorar, está a minha história de amor de conto de fadas. Sem tirar, nem pôr. A que me traz emoção no coração. 

A minha história de amor teve um novo capítulo uma semana depois desse jogo acima. Enquanto Bruno Henrique ia em direção ao gol, era como se estivesse naquela cadeira, naquele estadio, no meio daqueles que iriam explodir de alegria junto comigo. Quando o Gabigol acertou o gol (finalmente!), toda a tensão que acumulei nesses dias foi para a garganta, me fazendo pular como cruança fosse. Desculpa pelos gritos, vizinhos. Desculpa por jogar você pra cima, cachorra. Pode vir dormir comigo de novo que já voltei ao estado normal. Estado esse que tem a plena consciência de que o gol do Gabriel, o do empate no Beira Rio, exorcizou a ladainha de que perder no Beira Rio é normal. Não é normal o Flamengo perder em lugar nenhum. O Flamengo nasceu pra conquistar e para quem conquista, não pode ser normal perder. Nem ontem, nem nunca. 

O day after de uma classificação dessa é para encher o seu coração de amor, colocar o sorriso no rosto, o CRF no peito e curtir essa delicia que é ser Flamengo. Se ser Flamengo é bom, imagina curtí-lo. É espetacular. Aproveita, cara. Aproveita o mundo mais feliz, mais vermelho e preto, mais Flamengo. A gente merece! 

=======

O time do Flamengo fez um confronto com o Inter quase irretocável. Com grandes atuações de vários jogadores, é preciso destacar duas duplas: a da zagae a de ataque. Ao Mister, o cara que botou o Flamengo pra jogar como Flamengo, o meu mais sincero obrigada. A minha alma Flamenga se alegra quando vê um time do Flamengo, na circunstância que foi, jogar como jogou o primeiro tempo contra o Inter fora de casa. MENGOOOOOO!

Universo, obrigada!




Definitivamente, não foi uma quarta-feira qualquer. Não foi um jogo qualquer. Não tinha um jogador sequer qualquer em campo. Não tinha uma torcida qualquer. Aliás, sabendo da sua importância primordial, aquela gente que transcendia as arquibancadas e tinha só um objetivo, a classificação, não sossegou o coração, a mente, a vida enquanto aquela bola não explodiu o travessão, na disputa de pênalti. Uma explosão que originou outra. E é dessa explosão que, basta eu fechar os olhos, ainda está na minha cabeça e que não me deixou dormir, praticamente.

Eu não sei quantos jogos eu fui ao Maracanã. Decisivos ou não, eliminatórios ou não, se eu só lembrasse do jogo contra o Emelec pela Libertadores de 2019, eu teria, na minha mente, toda a delicia que é participar de uma festa única recheada de momentos que nem com toda a minha audácia, que já foi maior para tentar descrever tais momentos, vai me fazer tentar descrever. Foi a noite que o Vamos, Flamengo se transformou numa só palavra, o VamoFlamengooooooo. Foi a noite que a sul puxou o canto e todo o estádio foi junto. Foi a noite que o impossível, para muitos, se tornou possível em 20 minutos. Foi a noite que todas as frases feitas que a gente conhece fazem sentido. Ah, esses momentos! 

Em momentos que o "eu teria um desgosto profundo, se faltasse o Flamengo no mundo" é oportuno, o "é bom demais ser Flamengo" tem que ser transformado em "é bom demais sermos Flamengo". Estávamos ali, dentro e fora do Maracanã, celebrando o que é ser Flamengo, na essência, no canto e na palma, na energia, na coragem, na alma e na celebração, fazendo o nosso papel de uma forma impecável. IM-PE-CÁ-VEL!

Da imensa satisfação de ter participado desse momento no estádio, eu só posso agradecer, de novo, a minha energia ter dado de frente com a energia do Flamengo e a gente ter se juntado nessa vida. Universo, obrigada. Obrigada por colocar o Flamengo de uma forma tão linda na minha vida e estar vivendo essa quinta-feira, que não é uma quinta-feira qualquer!

Saudações!